ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

segunda-feira, 26 de abril de 2010

SEMANA DA SERESTA- "MALANDRINHA"




(imagem portalliteral.terra.com.br )
Essa música é muito antiga. É de 1927, compositor Freire Júnior. Tive que garimpar para saber autor, mas foi com Martinho da Vila que conheci. Martinho é um grande sambista, tem ginga até na voz, gosto de sua tranquilidade para cantar. Canta como se nada estivesse acontecendo à sua volta. Corrijo. Conheci com o marido de minha irmã que hoje mora em Vitória,. cantando ao violão. Aí sim perguntei de quem era e ele disse mesma coisa. “É muito antiga, mas Martinho da Vila regravou”. Ouvi muito depois no lp que ele tinha. Esse cunhado me fez gostar muito dessas músicas. Por exemplo, Adoniran Barbosa, grande poeta, da boemia romântica paulista. Cartola. Pixinguinha. Noel Rosa. E outros grandes. Ele dizia. Talvez você não goste do ritmo, mas já que gosta de ler, leia a letra. São muito inspirados”. Realmente, descobri muitas pérolas. E ele cantava tão bem que eu pedia por exemplo. “Canta aquela... ‘Marina, morena, Marina você se pintou...’, pois não sabia os nomes e citava só os trechos. “Preste atenção, amor. O mundo é um moinho...”. E outras tantas.
/////
“Canta, canta minha gente (1974): Primeira vez, depois de anos, que Roberto Carlos é ultrapassado no número de cópias vendidas. A causa foi este elepê, do qual saíram as famosíssimas faixa-título e “Disritmia”, talvez a declaração de amor mais popular da história da MPB. É romântico no animado “Dente por dente” e no samba-canção “Viajando”. Regrava a espetacular “Malandrinha”, de Freire Júnior, levanta a moral de sua escola, quase rebaixada em 1974, em “Renascer das cinzas”, glorifica seu time de coração em “Calango vascaíno” .
Bato continência: “Patrão, prenda seu gado”, versão da obra-prima de Pixinguinha, Donga e João da Baiana
FONTE ( artilhariacultural.com )
///////////////////////////////////////
Com vocês...

MALANDRINHA(Composição: Freire Junior )

A lua vem surgindo cor de prata
No alto da montanha verdejante
A lira do cantor em serenata
Reclama da janela à sua amante
Ao som da melodia apaixonada
Das cordas do sonoro violão
Confessa o seresteiro à sua amada
O que dentro lhe dita o coração
Ó; linda imagem de mulher
Que me seduz
Ah! Se eu pudesse
Tu estarias num altar
És a rainha dos meus sonhos
És a luz
És malandrinha, não precisas trabalhar
Acorda, minha bela namorada
A lua nos convida a passear
Seus raios iluminam toda a estrada
Por onde nós havemos de passar
A rua está deserta, ó vem querida
Ouvir bem junto a mim
O som dos pinhos
E quando a madrugada já surgida
Os pombos voltarão para os seus ninhos

Não é linda? Reparem que quase todas as músicas de seresta, exaltam, claro, a mulher amada... e a lua. A lua não é só dos astronautas. A lua é dos apaixonados. A lua é uma eterna musa. É a lua de todos.

Amanhã vou postar uma música ainda do tempo do cangaço

23 comentários:

Pelos caminhos da vida. disse...

Já vi que essa semana vai dar o que falar: semana da seresta, excelente idéia amigo, gostei.

Ótimo dia pra vc.

beijooo.

BANDEIRAS disse...

Oi Carlos,

Lembrei qdo papai era vivo e gostava de cantarolar essa música, para aborrecer mamãe...ele era bastante brincalhão e ela não era muito chegada a brincadeiras....pena.
E ele repetia sempre a frase : eis malandrinha, não precisas trabalhar...
Ah, ela ficava brava !
Acho que ela nunca entendeu o verdadeiro sentido da frase.

Amanha estarei por aqui, quero ver sobre o cangaço, como nordestina, me interesso muito pelas coisas de minha região.

Uma linda segunda-feira prá ti amigo,

Bjs !

Tatiana disse...

Linda canção!
Adoro serestas!
Tenha uma semana maravilhosa!
Beijos repletos de meu carinho!

Fatima disse...

Eu já te contei que fazia parte de um grupo de seresta?
Gosto muito desta música e de todas que vc citou no texto.
Só para vc ficar sabendo:
Toda segunda, eu e outras amigas e amigos publicamos uma cor diferente.
Faz parte de uma blogagem coletiva sugerida pela Glorinha do blog Cafécombolo".
Bjs.

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

Caramba, pensei que ninguém mais conhecia essa musica.
Minha avó me ensinou a tocar no pianos há mais de 20 anos atras!

Canto de tras pra frente, de frente pra tras!

Trouxe-me boas recordações: minha velhinha partiu há 10 anos.

Beijo!

Everson Russo disse...

Meu amigo,,, a gente não viveu essa epoca,,,mas ao certo era muito gostosa né? devia ser muito bom essas rodas com o pessoal cantando essas musicas as suas amadas,,,e mais,,,deveria ser uma sensação gostosa aquela de chegar e fazer uma serenata,,,,mesmo sendo timido...rs..rs..rs...eu acho que teria coragem....rs..rs....tudo que é sensibilidade é comigo mesmo...rs..rs....abraços fraternos de otima semana pra ti.

Everson Russo disse...

Ah,,,esqueci de dizer,,,apesar de roqueiro convicto,,,,sou um romantico incorrigivel...rs..rs...abraços.

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

oi,Everson. Corrigir pra quê? Um abraço
///
Oi,Bandeiras.Que bom que lembrou umna passagem gostosa e despertou uma saudade.beijos
///
Oi,Ana Cristina. Digo o mesmo a você.Uma gostosa saudade.beijos
///
Fá... pé de valsa. Beijos,Fá
///
OI, Tatiana.Pra você também.Beijão
///
Oi, Ana(Pelos camihos). Teremos uma bela seemana sim, ao som de seresta.beijos

claudete disse...

Você sempre criativo adorei ,meu nome é seresta sabia? rsrsrsrsrs, sabe qual era meu nome nas famosas serestas de Canhoto da Paraíba( Anita deve ter ouvido falar dele, pergunta): Passarinho cantador... que saudade ... Vou bater ponto e conferir viu? E..já vi que vou chorar, esta de hoje é a cara do meu pai e do meu tio, seresteiros inveterados , devem estar fazendo seresta no andar de cima. Parabéns pela iniciativa.

Elaine Barnes disse...

Eu adoro Martinho da Vila,além das composições maravilhosas,me dá uma calma vê-lo e ouví-lo,coisa da simplicidade que ele passa pra gente,do sossego,como se nos desse a certeza que tudo terminará bem. Gosto de verdade. Montão de bjs e abraços

Luciana P. disse...

Músicas antigas, sendo boas, valem a pena serem relembradas. E cantada por Martinho, acho que qualquer música fica boa, até hino de escoteiro, rsrsrs. Ele consegue passar emoção à letra e ilumina tudo com aquele sorrisão lindo que ele tem. Adoro Martinho!
Muito boa a sua ideia de rebuscar e trazer pra cá melodias que valem a pena serem revividas... E que venham as outras, mesmo que sejam do tempo do cangaço, rsrsrs.

Ah, falei no teu nome hoje no blog da minha amiga Tatinha. Ela fez um post sobre os mineiros e aí citei você, o Everson, o Wanderley e a Carol como sendo meus amigos mineiros.

Acho que é por isso que o Everson escolheu o Renato Russo pra ser seguidor, pois ele é roqueiro, mas é incorrigivelmente romântico, e Renato também era...

Xiii, hoje o comentário virou um post, hahahaha. Beijos, Carlos, sempre bom estar aqui!

Luciana P. disse...

A propósito, se quiser ver o post da Tatinha, está neste link aqui:

http://feiaepobre.blogspot.com/2010/03/amanheci-assim.html

Priscila Lima disse...

oi Carlos?
fico feliz de ler suas postagens, concordo com você que são a lua é inspiração da vida e de muitas poesias que ainda vão enxer nossos olhos de emoção...
...hoje á noite tem luar... aproveita pra escrever uma poesia meu amigo...
abraço.
Priscila Lima.

Chica disse...

Que linda escolha,Carlos!amanhã tem mais! abração,linda semana,chicA

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Carlos
Essa música é de uma beleza incrível, quando ao Martinho da Vila, lamento mas nunca consegui gostar dele.
Abração

Felina Mulher disse...

Bons tempos aqueles em Carlos, em que os homens saiam com suas roupas brancas e seu chapéu Panamá e um violão na mão, para cantar para a sua amada que já esperava na janela...o seresteiro cantava seu coração despedaçado em amores não correspondidos.A Malandrinha eu não conhecia,mas uma bela letra apaixonada e romantica....pena que hj em dia, pelo menos aqui em minha cidade isso já não existe mais, as músicas muito pouco tem de poesia, apenas rítmos.Hoje em dia o pessoal acha Seresta brega e fora de moda. Mas é uma cultura e deve ser respeitada e admirada e é bom ver vc resgatando isso.

Um beijo menino beija flor.

Tatinha disse...

Carlos,
Vi agradecer a visita e dizer que adorei ter vc, mas im mineiro no rol de amigos.
Volte sempre
Beijos

IT. disse...

...Sim, é linda! e quase todas são inspiradas a mulher e a lua, mesmo pq
a lua é dos apaixonados, assim como a musa é para o poeta. E, a lua, é para todos.

Um abraço ao seresteiro da lua.

Solange Maia disse...

que delícia de postagem, resgatando esse amor puro, romantico, arretado....

adorei !

beijo poeta !

Sandra Botelho disse...

Bons tempos em que o amor era cantado em versos e vivido em cada coração...
Bjos achocolatados

Luciana Horta disse...

Opa! Mais um mineiro por aqui! Bom demais!

Aahh... Serestas... Saudade deste tempo!

Gostaria de te convidar a conhecer o meu espaço e catar palavras comigo e com os outros que lá estão.

Luciana (Catadora de Palavras)

Pena disse...

Precioso Amigo:
"...“Canta, canta minha gente (1974): Primeira vez, depois de anos, que Roberto Carlos é ultrapassado no número de cópias vendidas. A causa foi este elepê, do qual saíram as famosíssimas faixa-título e “Disritmia”, talvez a declaração de amor mais popular da história da MPB. É romântico no animado “Dente por dente” e no samba-canção “Viajando”. Regrava a espetacular “Malandrinha”, de Freire Júnior, levanta a moral de sua escola, quase rebaixada em 1974, em “Renascer das cinzas”, glorifica seu time de coração em “Calango vascaíno”..."

Deve ser um talento fabuloso.
As vendas propaga-se de fama.
Excelente escolha numa extraordinária sensibilidade, a sua.
Abraço amigo forte de amizade, respeito e estima.
Sempre a admirá-lo.

pena

Bem-Haja, pela visita que me efectuou e eu adorei.
É uma honra a sua amizade.
Possui uma sensibilidade fantástica.

Lianara **Lia** disse...

Oi Carlos!
Não vivi esta epoca, mas conheço todas as músicas. São lindas demais!

Abraços

Lia

Blog Reticências...