ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

sexta-feira, 29 de maio de 2015

ANDO MEIO GRILADO.

( imagem spumanoquintal.wordpress.com )

Recebi uma visita inesperada há quatro dias. Até aí tudo bem, receber uma visita inesperada acontece. O pior é que é que até hoje ele não foi embora, e o “ mais pior” ( existe isso? acho que não rs rs ) é que não é uma visita comum. Quem tem miopia vai entender o que vou dizer; eu estava sem óculos, tinha acabado de tomar banho, e vi uma mancha preta enorme no alto da parede, no canto. Quando estou sem óculos, vejo tudo aumentado e distorcido, mas tive medo de colocá-los para não constatar o que temia. Pensei que era uma aranha caranguejeira. Pensei: “Tô morto!”. Apesar de que já me disseram que a caranguejeira não é perigosa, mas eu não vou chegar pra ela e dizer: “Olá, dona aranha, sua linda? Você é venenosa?”. Acabei pondo os óculos, era um grilo do tamanho de um “dinossauro” rs rs, até fiquei na dúvida se era mesmo um grilo por causa do tamanho. Ainda dei graças a Deus por não ser uma barata. Bem, eu não gosto de matar, então pensei em abrir a porta e tocar com a vassoura, mas e se ele viesse voando pro meu lado? Aí eu ia sair voando para a rua primeiro que ele. Reparei que ele estava quieto, menos mal, o pior é que toda hora tinha que passar debaixo dele para ir à geladeira. Eu falava: “Fica quieto, aí cara. Podemos sobreviver os dois aqui, sem crise. Vamos combinar, eu não mexo com você nem você comigo”. Ele mexia as duzentas pernas e quatrocentas antenas como se estivesse me entendendo. E na hora do banho? Se ele viesse eu ia ter que sair correndo pelado rs rs... então fechei a porta do banheiro, mesmo estando sozinho. Saí devagarinho para não ‘perturbar’ a visita, e ele estava do mesmo jeitinho. Na hora de dormir, mesma coisa, tranquei a porta do quarto, ainda bem que tem o ventilador. Antes de dormir fiquei pensando: “O que será que eu tenho contra insetos e bichos? Ou melhor, o que eles têm contra mim?... porque são eles que me perseguem, eu fujo deles. Já dormi sem banho porque tinha uma barata no banheiro, acordei de madrugada, andando pé-ante-pé, como se eu fosse o estranho e ela a dona da casa, ao ver que já não estava, tomei banho de três minutos e deitei de novo. Certa vez travei uma ‘luta’ terrível com um rato de madrugada... e fui a nocaute. Eu correndo prum lado, em vez de ele correr pro outro, corria para o mesmo lado que eu, e aí, frente a frente, ficamos nos esquivando, eu pulando nas pontas dos pés como macaco. Até que certa hora, talvez se sentindo acuado, correu mesmo de frente para mim, eu dei um pulo tão alto que caí de cara no chão. Voltando ao grilo, acordei no outro dia, do mesmo jeito, devagarinho e sem barulho, para não mexer com o dito cujo. E lá estava, se ele se mexeu foi muito pouco. Fui trabalhar, mas deixei a porta dos fundos aberta, que é segura, dá para os fundos de uma pousada de uns quatro metros de altura, sem perigo. E falei para ele: “Estou deixando a porta aberta para você ir embora, viu? Sinto muito, mas aqui só cabe um, eu já moro aqui”. Voltei no final do dia, como sempre entrando devagar, mas esperançoso de que ele tivesse ido. Que nada, estava na mesma posição. Fui logo perguntando: “Você é doido? Tem casa não? Não come, não bebe água? Tá aí desde ontem. Deixei a porta aberta pra você ir”. E assim, mais uma noite. Acordei de manhã, peguei duas bananas da terra em cima da geladeira para cozinhar e tomar com café, e vi que uma, mesmo com a casca ainda durinha, tinha dois furinhos, tipo escavados, como as máquinas fazem na terra. Ainda bem que eu olhei, não é? Olhei pra cima: “Então é por isso que você não saiu, né cara? Comidinha de graça até eu gosto. Pôxa, isso já tá passando da conta”. Engraçado, dessa vez ele não se mexeu, deve ter ficado com vergonha. Evidentemente joguei as bananas fora. E assim, mais uma noite com porta do quarto fechada. De madrugada, comecei a sonhar, ouvindo uma música agradável, não pude distinguir na hora que tipo de instrumento, às vezes parecia flauta, às vezes violino, sei lá o quê, só sei que era uma música tocada rápida. Abri os olhos, me localizei no quarto, na cama, e pude distinguir: não era flauta, nem violino, nem ‘sei lá o quê’... era o grilão cantando na maior empolgação. Levantei devagar, abri a porta, e ele parou. Mas não estava na parede, estava escondido, eu falei olhando para os lados, procurando: “Agora que já me acordou, você para? Vai, canta até estourar ‘fi duma égua’ rs rs”. Dormi pouco, era só eu fechar a porta, ele começava, eu abria e ele parava. De manhã, antes de ir trabalhar, ele não apareceu, o folgado devia estar tirando uma soneca, aí tive uma ideia: “Vou jogar inseticida em todos os cômodos, deixo a porta aberta, ele vai se sentir incomodado e vai embora”. Cheguei do trabalho à noite, e lá estava ele, no seu lugar preferido, no alto, no canto da parede, parece que é resistente ao inseticida. E lá fui eu de novo, dormir ao som de um grilo na cuca.

quarta-feira, 27 de maio de 2015

DOCE MISTURA

 ( imagem weheartit.com- google )
 =

Gosto dessa mistura
de lucidez e loucura
de fogo e ternura
desse tesão, dessa fusão
que faz a gente virar um só.
A gente mistura suor, mistura perfumes,
mistura sorrisos, mistura ais
Os gemidos não são queixumes,
são pedidos de quero mais...
E novamente a gente ousa
E assim você me dá, e eu lhe dou.
E depois que tudo se acabou
vem o doce cansaço
e a gente repousa
misturados num abraço.
=
( imagem weheartit.com)

domingo, 24 de maio de 2015

CABRAL ESTAVA CERTO

imagem absolut.brasil.com
" O que é que a baiana tem?"... rs rs


imagem blogbrassilturista.com.br

imagem cheiroverde.com   







“MEU NOME É BRASIL. EU NASCI AQUI”.  Essa é a placa numa das entradas na cidade de Porto Seguro. Achei bem criativo. Há muitos anos vi uma reportagem sobre Porto seguro, que dizia que muitas pessoas vinham passear aqui, gostavam e ficavam de vez. Na época, pensei: “Isso é mentira, é exagero. Como alguém pode ir passear num lugar e resolver ficar?”. Pois hoje eu conheço um tanto de gente que foi exatamente assim, veio passear e fincou bandeira, não arredou mais o pé. Um amigo daqui me disse que “esse lugar tem um feitiço, prende a gente”. Sei que no Brasil e no mundo também há vários lugares bonitos, outros pontos turísticos bem famosos, mas Porto Seguro é um lugar diferente, tem uma magia no ar que não sei explicar. É fato histórico que Cabral se maravilhou com as belezas do lugar, Pero Vaz declarou amores na famosa carta à Corte, e hoje sei que eles tinham razão. A beleza natural de toda a região é impressionante, tem falésias lindas, muita mata nativa, a gente vê com facilidade macaquinhos, bicho-preguiça, raposa, tamanduá, cachorro do mato, fora as aves lindas. A chegada aérea também é deslumbrante. O clima é único. Tempo bom o ano todo, sempre um vento gostoso no rosto, e os períodos de chuva são assim, dá uma pancada de chuva e abre o  sol, daí umas duas horas de novo, chuva e sol, não há períodos longos de chuva sem parar. As águas do mar sempre quentinhas, não tem grandes  ondas, portanto quase zero perigo, principalmente para crianças. Quando a maré está baixa, e quase sempre está, a gente vê os recifes ao longe, dá para ir  “lá no meio” do mar. Tem os distritos pitorescos frequentados por gente muito famosa, Trancoso e Arraial D’Ajuda, lugares ótimos, aprazíveis. As noites são sempre muito divertidas, seja em Porto, Arrraial  ou Trancoso, mas ainda há Coroa Vermelha, Santa cruz de Cabrália, Santo André, que ficam no entorno. Em Porto destaco especialmente o Museu do Descobrimento, tem o Centro Histórico onde tem réplicas ou restos de canhões daquela época, tem a Passarela do Álcool, onde se vende de tudo nas barracas e lojas, isso só para citar alguns pontos. Em Trancoso, além das praias com toda a sua exuberância, tem o Quadrado, também muito bonito e muito frequentado. Em Arraial destaco a Rua do Mucugê, conhecida como a “rua mais charmosa do Brasil”, e é mesmo muito charmosinha. Tem ainda a Broadway, onde o comércio só funciona à noite. Mas eu prefiro mesmo ficar é na praça onde acontecem os pagodes, as rodas de samba, as capoeiras. Tem ainda o ECOPARK, um dos maiores clubes de lazer da América Latina. O que acho bem bacana é que em Porto Seguro, Arraial e Trancoso as ruas estão sempre enfeitadas, não é somente no natal, ou carnaval, ou nas festas juninas. Acho legal também é que aqui se conserva o estilo rústico dos tempos de colônia, quase tudo é à base de madeira, madeira de lei mesmo, a lei orgânica municipal proíbe construções com mais de dois andares, então nunca terá edifícios margeando as praias, tudo isso faz o lugar  parecer meio Caribe, Jamaica, Hawaí. O povo baiano também é bem receptivo, não igual ao mineiro, mineiro é insuperável no quesito acolhida, mas o baiano é bem gente boa também. A gente vê piadas sobre baianos por aí, mas um pouco é exagero, o baiano só é tranquilo, ele nunca se estressa, não anda apavorado como nós do sudeste, e são muito criativos, muito bons em artesanatos, com certeza, uma arte que vem de suas origens africanas e indígenas.
Puxa... desse jeito vou virar secretário de turismo daqui. Turismo e história são bem comigo mesmo.
 ===
Essa é a Carta de Pero Vaz de "Calzinho"  ( Calzinho sou eu he he )

sexta-feira, 22 de maio de 2015

MY WAY - FRANK SINATRA




Não sei com quem essa música é mais bonita. Com Elvis Presley com toda a sua inovação, sua irreverência e seu charme ( Elvis era um cara charmoso), ou com a voz impecável de Frank Sinatra, não é à toa que era chamado de THE VOICE. E não tem playback não, viu gente? Ou seja, não está dublando, está cantando ao vivo. Ah, eu cresci ouvindo coisa boa, por isso que eu sou chato.

=
Sinatra além de tudo era um ator esplêndido.Ganhou o Oscar de melhor ator em A UM PASSO DA ETERNIDADE. Que filme!

quarta-feira, 20 de maio de 2015

VEM AÍ UM LIVRO DIFERENTE

imagem - pt.dreamstime.com
=

Como uma gestante na penúltima semana: é assim que estou me sentindo ao me lembrar de meu livro. Já usei essa comparação outras vezes, comparação primeiramente usada pelo Gonzaguinha nos anos 80 quando se referia ao seu disco que estava para sair, e que achei bonito da parte dele. Nas idas e vindas, livro pra lá, livro pra cá, corrige aqui, conserta ali, acrescenta isso, tira isso, eu o li várias vezes, e a cada releitura, foi impossível não dar uma choradinha. Sim, eu chorei a cada vez que li. Parece que estou sempre descobrindo algo novo nele, como se não fosse eu o autor, são emoções que se renovam, mesmo sendo as mesmas palavras. Em alguns textos eu até fecho os olhos para visualizar as cenas. As coisas do coração, as melhores coisas enfim,  a gente vê fechando os olhos. No meu primeiro livro, eu disse que “esse livro não tem muitas intenções”. Que bobagem eu disse, todo livro tem intenções. AVENTURAS DE UM MENINO PASSARINHO também tem as suas. Este livro ( uso a expressão ‘este’ porque já o sinto perto) pretende aguçar nas pessoas, principalmente nas crianças, o prazer pela leitura, mesmo ele tendo um pouquinho de adulto, mas as crianças de hoje podem ter acesso a alguns assuntos adultos, desde que não seja erotização e/ou futilidade. Este livro não promete “fazer chover ou ventar”, também não tem “50 tons”, ( só para fazer referência ao livro do momento) mas tem alguns tons, talvez até mais do que 50, porque não me  poupei  nessa aquarela. Ele pretende resgatar o respeito aos pais, aos professores.  Este livro enaltece a amizade, a fraternidade, a gratidão, a fé, a pureza de alma, a brincadeira, a liberdade, a imaginação, o sonho... e tantos outros tons que tornam essa vida mais colorida. Pretende fazer ventar  ventos de esperança, fazer cair um temporal de emoções, tudo isso num só tom, o da emoção... com intensidade. Este livro tem a intensidade de uma flor. Uma flor tem a mesma intensidade que um  vulcão; cada um numa extremidade, cada um com sua particularidade, mas são igualmente intensos. Pouca gente percebe essas coisas cósmicas, transcendentais, que flutuam num outro patamar de existência, numa outra dimensão, porque não têm muito tempo de fechar os olhos, nunca param para respirar. E foi numa outra dimensão que fui buscar palavras para escrever este livro. Puxa vida, como eu acredito nisso! Por outro lado, fica parecendo uma estrada meio solitária, uma luta quase inglória, afinal habitamos num mundo bem materialista, veloz, de modismos, de atrocidades, de coisas que não edificam, que não melhoram a vivência, tenho visto que até a música, a literatura, a cultura enfim, está indo para esse lado. Alguém já disse: “a arte é o espelho social de uma época”.  Portanto, os filmes e novelas que estamos assistindo, os livros que estamos lendo, as músicas que estamos cantando, nada mais são do que o retrato atual da sociedade... mundial. A nova ordem mundial  está uma desordem. Viajo nas minhas referências literárias e me pergunto. Será que não teremos mais livros como O PEQUENO PRÍNCIPE, ou ALICE, que transmitem mensagens de amizade, de esperança, que criam bons laços, que melhoram as relações humanas? Teremos sim, poucos, mas teremos. De minha parte, AVENTURAS DE UM MENINO PASSARINHO tem um pouco de  PEQUENO PRÍNCIPE, de ALICE, de MONTEIRO LOBATO, de DRUMMOND, de LÚCIA CASASANTA, de VICTOR HUGO, de WALT DISNEY, de CHARLES DICKENS... ah tem um pouco de tudo. Só não tem maldade. Quem está dentro da arte, em qualquer campo da arte, seja música, cinema, televisão, literatura, pintura, o que for,  precisa procurar apresentar algo diferente, senão a arte cai em mesmice, é isso que estou tentando fazer, diria reinventando a carochinha. Sendo assim quem sabe?... talvez no meio de tanta igualdade meu livro seja a nova curiosidade. Para fechar sobre as intenções deste livro: Quase ninguém acredita, não tenho como primeira intenção ganhar dinheiro, se o dinheiro acontecer, será bem-vindo, mas não será nada mais que a consequência de um trabalho bem feito, o desejo principal  é vê-lo nas escolas nas mãos de crianças, nos shopping centers e livrarias do país, só por isso já estarei realizado. Cheguei ao quase absurdo de pedir a Deus ( um absurdo bom, penso)  que não me deixasse morrer sem antes vê-lo publicado. Eu não estou doente, mas há imprevistos na vida, tudo pode acontecer. O livro está aí, e eu também estou... quase parindo.  Então que ele venha para a luz... que ele próprio seja LUZ!
=====

Obs: Adianto aos amigos que optei por não ter livros comigo, deixei tudo a cargo da editora sobre divulgação e vendas, eles têm os canais, recursos e know-how para isso. Em breve darei aqui o site, link, endereço e outras formas de aquisição.

sábado, 9 de maio de 2015

FLORES DE MAIO





As mães são flores de maio

que   um anjo de Deus trouxe em seu balaio,
e plantou um imenso jardim,
para fazer desse mundo um lugar decente.
Uma mãe para você, uma mãe para mim.
Mãe para toda a gente.
Mãe que espera, que gera gente.
Mãe é  semente
que no parto transforma a dor em amor,
depois vira flor...
 e cuida da gente como se a gente também fosse flor.
Mãe que tem mãos que
 que abençoam, que perdoam,
que socorrem.
Mãe é bondade,  fertilidade.
Mãe de qualidades infindas
que não cabem nos versos meus
Um dia, lindamente morrem...
Sim, as mães morrem lindas
porque voltam ao céu em forma de flor
para compor o jardim de Deus.
==============================

 FELIZ   DIA DAS MÃES!!!
===
As mães são de Deus, elas são emprestadas à terra para fazer daqui um lugar melhor e mais seguro para se viver. Um dia Deus vai recolher todas as boas mães e vai fazer um lindo jardim lá no céu. É por isso que elas voltam para Ele.

sexta-feira, 8 de maio de 2015

O BOM RAPAZ - MÚSICAS DE MAMÃE

WANDERLEY CARDOSO

=

Minha mãe dizia que ele era muito bonito. Boba não, hein?