ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

segunda-feira, 21 de julho de 2014

SOBRE O TEMPO

.
Do tempo?
Pra ser sincero. Não muito espero,
ele não me espera também.
Do jeito que ele me trata, e até desacata,
eu o trato com desdém.
Mas não quero briga com ninguém,
muito menos com o tempo,
cansei de contratempos.
Eu quero é viver muito Zen!

Do tempo?
Não quero pavor, nem favor.
Nem agrado, nem agravo.
Ele que passe com seu jeito trigueiro,
eu também sou aventureiro.
Não quero ser nem dono, nem escravo,
quero ser parceiro,
mesmo que a gente não se encontre num lugar comum,
afinal o tempo é de todos...
E eu? Ora, eu sou apenas um.
Ele que passe como bem quiser,
se quiser pode até parar
dentro de sua própria razão,
mas que não espere me encontrar
do jeitinho que ele quer,
pois, no meu peito, vale o tempo do meu coração.

quarta-feira, 16 de julho de 2014

ASAS DE UM POETA


Quando alço voo,
quando meu canto entoo,
eu sou o que quero ser.
Abro as asas da liberdade
sem medo de o sol derreter.
Os temores somem
nenhum susto me afeta
Sou passarinho, sou menino, sou homem.
É lindo o voo de um poeta.
Sou Peter Pan,
sou Ícaro, sou Don Juan.
Sou amante, sou amado, sou príncipe encantado
Sou sol, sou céu, sou mel, sou hortelã.
Sobrevoo arco-íris e montanhas
não corro perigo,
o tesouro eu quero ver,
a sorte me acompanha,
até o sol é meu amigo,
ele não vai me derreter.
Sou o que quero, o que penso,
mas às vezes sou puxado por alguém
que me lembra que mutuamente sou Carlos
e que vivo na terra também.
Volto para casa, recolho minhas asas,
sujeito-me à cidade
até que um novo dia

resplandeça em poesia
ensaiando um novo voo nas asas da liberdade.

sábado, 12 de julho de 2014

O DIA EM QUE FUI ELEITO O MAIS FEIO DO BAIRRO



Calma... eu explico a foto feia.

Esse texto poderia ser dividido em duas partes. A primeira eu já contei, mas vou dar uma resumida rapidinha. Era comum, a turminha, sendo umas oito ou 10 meninas, e nós, uns 7 rapazes, sentados no meio-fio cantando e tocando violão, batendo papo, outros paquerando, brincando, bebendo, enfim, quase todo final de semana tinha esses encontros, e numa dessas noites animadas, nós rapazes começamos uma discussão de quem seria o mais bonito. É claro  que não haveria consenso, então alguém sugeriu: "Por que não deixamos as meninas escolherem?". Elas toparam, afinal acabou sendo mais uma brincadeira, entraram na casa de uma delas, votaram no papelzinho, e quando voltaram, fizeram a contagem, e eu surpreendemente fiquei em 2º lugar. Marcelo, foi o 1º colocado, também pudera, o cara tinha 1,92cm, andava muito alinhado, social, cabelo baixinho. Era bonitão mesmo. Eu era exatamente o contrário, 1,71cm, cabelo enrolado quase não deixando  ver a cara, jeans desbotado, camisas sempre largas, tênis velho, era meu estilo despojado, meio inconsequente, desgarrado. Apesar de toda essa diferença, éramos amigos inseparáveis, acho que Marcelo tinha um pouco de vontade de ser eu,  era de família meio tradicional, não podia fazer muitas coisas, então me "invejava" um pouco (sentido positivo), pelo meu jeito de ser. Dizia que gostava de mim porque eu topava tudo (quase tudo, né? menos coisa desonesta ou perigosa). Lançava os desafios, eu ia e fazia. O rapaz que ficou em 3º lugar protestou, dizendo que eu ficava falando poesia na orelha das meninas rs rs. Ai, ai. Ora, cada um usa as armas que tem. Legal foi o que a menina que desempatou a meu favor, disse: "O Carlos não é o mais bonito, mas pra mim,  ele é o mais legal. Por isso, votei nele". Friso que... foi apenas uma votação entre as meninas de nosso convívio, mas eu não quis nem saber, fiquei curtindo meu  2º lugar a semana toda e tirando onda. Até que no outro sábado, surgiu outra discussão, a partir desse assunto da beleza que ainda estava à tona, porém agora seria o contrário: Quem faria a careta mais feia. Teve um que imitou o Bozo... o outro encostou a língua na ponta do nariz (que língua rs rs)... um virou as pálpebras pra cima, me causando até tremor de nervosismo, uma cena horrorosa. Caretas diversas. Faltava eu... fiquei por último. Então inventei essa careta aí da foto. Não sei se alguém já havia feito antes, mas juro que criei na hora. A galera caiu na gargalhada, riram muito muito. "Que careta doida é essa, Carlos?".  "Onde você inventou isso?"
Pronto.. fui escolhido o mais feio. Que paradoxo! E que barato! Numa semana, o 2º mais bonito. Na outra semana, o mais feio. Só eu mesmo para transitar entre duas pontas distintas com tanta facilidade. Numa boa, acho isso  sensacional. A mesma garota lá de cima do texto, disse ainda rindo: "Não falei que ele é o mais legal?".
====
Marcelo mora na Austrália, faz uns três anos que não me liga. Na última vez,  me confidenciou: "Estou gordo, amigo Carlos. Pesando uns 140 kgs, tomo muita cerveja. E você, como está?". Respondi que ainda estou razoável. Num dos desafios que me fazia, e que recordou, era quando me chamava, para andar de ônibus para descer pela porta traseira sem pagar. Um dia, ele disse: "Dessa vez não vamos levar dinheiro". Pois nesse dia, o motorista ao me ver descendo, trancou-o na porta, mas ele muito forte, conseguiu se soltar e pulou do ônibus. Quando ele disse no fone: "Que loucura! Corri um risco danado", confessei: "Nem tanto. Achou que eu era doido de não levar dinheiro? Eu tinha dinheiro na meia. Se tivesse imprevisto, eu pagaria. Eu não ia deixar você ali sozinho, fiquei esperando você pular". E ele riu de lá: "Serio??? Você era mesmo esperto... e um amigão".

sábado, 28 de junho de 2014

SE AO MENOS VOCÊ ESTIVESSE AQUI


Está tudo tão confuso, baby
coisas que nem sei distinguir
Às vezes perco o rumo, eu não me acostumo...
Se ao menos você estivesse aqui.

As coisas perderam a graça, baby
o tempo não passa
eu nem sei para aonde ir ou se quero ir...
Se ao menos você estivesse aqui.

Está tudo tão pouco, tão louco,baby
E eu sigo tão solto, tão rouco
de gritar o que não sei definir...
Se ao menos você estivesse aqui.

Há uma guerra lá fora, baby
eu tenho medo de sair
para esse mundo onde não me cabe,
mas por mim que ele se acabe
desde que você esteja aqui.

Eu sei que você quer também, baby,
então por que você não vem, baby?
Se esse amor é tão profundo
Venha fazer desse quarto o nosso mundo.

Oh,baby
Oh, baby
Pra quê perder mais tempo?
A solidão é o pior passatempo,
faz o relógio regredir...
Se ao menos você estivesse aqui.
Se você estivesse aqui...
Se você estivesse aqui...
Se você estivesse aqui...
======================
Mais uma musiquinha.. até que ficou simpática rs rs. Já é a quarta que faço.

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Scorpions - Dust in the wind - Legendado HD


Essa música é toda linda,mas essa menina tocando esse violoncelo a deixou ainda mais bonita. Assisti um show de música erudita, e num dos dias, eram só violoncelos, eram sete tocando juntos. Poucas coisas me deixam impressionado... e nesse dia, eu fiquei.

quarta-feira, 11 de junho de 2014

ONTEM EU CHOREI


Ontem eu chorei,
Não sei por quê... mas eu chorei.
Talvez por uma saudade que pensei que tinha morrido.
Talvez uma lágrima escondida, ou um sorriso proibido.
Dizem que os sorrisos contidos viram lágrimas cálidas,
pois envelhecem, não florescem.
As realidades são pálidas.
Nem tudo é o que a gente crê.
Aí a gente chora sem saber por quê.
Isso é estranho,
pior é quando ninguém vê,
então no travesseiro me consolo.
Ah... eu chorei como menino pedindo colo!
Talvez por recordar  uma canção antiga
que o rádio nunca mais passou,
ou  por  sentir  a  falta de uma mão amiga
que a minha nunca mais tocou.
Ah... eu choro tão frágil!
Queria ser mais ágil
para disfarçar essa lágrima teimosa
e dar lugar à minha risada mais gostosa.
Ontem eu chorei... não sei por quê mas chorei...
chorei até conseguir dormir.
Felizmente hoje é um novo dia,
e eu pude voltar a sorrir
como há tempos não fazia.
Sorri e também não sei por quê.
Isso também é estranho,  eu diria
pior  é quando ninguém vê.

quarta-feira, 28 de maio de 2014

RECITANDO - OLHOS DE SIMPLICIDADE

video
OLHOS  DE SIMPLICIDADE
Com uma simples chama acesa
eu derroto sua escuridão.
E não adianta me trancar em labirintos e segredos, porque gosto deles,
exercitam minha mente, a mesmice me corroi.
Não trato medos e mistérios como assuntos sérios.
Dou risadas quando doi.
Cada vez que alguém me impôs limites, gostei;
fiquei sabendo do que sou capaz.
No que imaginava, fui muito mais além.
Que importa se o sol vai embora?
É tão lindo o horizonte de um sol poente
mas amo a lua também.
Deito e amanheço naturalmente.
Amo todas as coisas...
que se movem, que falam, que exalam.
Amo até as pedras,
sejam as rochas duras da natureza,
ou mesmo pessoas que se vestem de pedras,
 privando-nos de sua beleza.
Eu tenho o olho que tudo vê... o olho da simplicidade
A sua escuridão não vence minha clareza
Com um simples sorriso ultrapasso suas barreiras...
do som, do silêncio... e da sua dureza.
Porque eu sou LUZ... nada vai me impedir de ser LUZ!