ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

terça-feira, 27 de abril de 2010

SEMANA DA SERESTA- "LUA BONITA"


( imagem forroemvinil.com )
Essa música é meio contemporânea do cangaço. Há algumas controvérsias sobre os cangaceiros. Ficaram na história como bandidos, mas para muitos, eram justiceiros. Fácil taxar de bandido, mas ninguém fala do descaso das autoridades para com o povo nordestino na época. A indústria da seca. Sim, o povo morrendo de sede e gente ganhando dinheiro em cima disso. Alguma semelhança com os dias de hoje? Todas. Na favela só tem bandido? Não. Mas muita gente da favela prefere conversar com o bandido do que com o estado. Onde o estado falha, o crime atua. O crime dá até comida para os favelados. Está certo receber comida de bandido? Não.’Mas a barriga de meu filho está roncando’. Voltando ao tema, Zé do Norte, cantor, compositor, folclorista e poeta Pernambucano, teve outras canções como ‘Mulher Rendeira’, ‘Sodade, meu bem, sodade’, que entraram para nosso cancioneiro popular. Grandes nomes da música brasileira regravaram sucessos dele. Como eu sei de Zé do Norte? Ora, meu pai era sanfoneiro dos bons, estava sempre falando dele e nossa casa era sempre uma festa. Me lembro dele e seus amigos tocando essa música com sanfona, no ritmo original de forró, que inclusive fez parte da trilha sonora do filme “O cangaceiro”. Até que um dia um amigo de meu pai, pediu silêncio e disse assim: “Essa música é mais bonita cantada lenta”. E tocou dedilhando no violão. Todos acharam muito bonita. Não sei se ele recriou a música ou se alguém já a tinha gravado assim, só sei que gostei. De forró virou uma música apaixonada. Muito tempo depois, já adulto, numa de minhas madrugadas sem sono, vi o filme na TV CULTURA, eu nem sabia ainda que a música fazia parte, mas quando vi a trilha sonora com nome do Zé do Norte, eu não quis dormir. A cena dos cangaceiros cantando essa música sob a lua, me trouxe meu pai e seus amigos de volta. O filme é em preto e branco, assim como a nossa memória. A gente é que precisa colorir. Tem alguns defeitos, alguns chuviscos, precisa ser remasterizado... assim também como nossa memória. Mas a lua, a sanfona, os cangaceiros, meu pai e seus amigos, esses eu consegui ver. O tempo não apaga tudo. As cenas principais não. Porque elas entram na retina e dormem no coração. Meu coração reclica e remasteriza tudo, todos os dias.

//////////////////////////////////
Canção “Lua Bonita”, interpretada por Zé do Norte, dele e de Zé Martins, em cena do filme “O Cangaceiro” dirigido por Lima Barreto em 1953. Clássico do cinema nacional o filme fez grande sucesso e levou dois prêmios no festival de Cannes daquele ano, o de melhor filme internacional na categoria “aventura” e um prêmio especial para a trilha sonora de Gabriel Migliori, além da indicação para o grande prêmio de melhor filme. Grande filme de um grande diretor, valorizado pelo texto escrito com colaboração de Raquel de Queiroz, e pelas atuações de Alberto Ruschel, Marisa Prado, Vanja Orico, Adoniran Barbosa, Milton Ribeiro entre outros.
( fonte bossafilmes.blogspot.com)

Com vocês...

LUA BONITA ( Zé do Norte e Zé Martins)
Lua bonita,
Se tu não fosses casada
Eu preparava uma escada
Pra ir no céu te buscar
Se tu colasse teu frio com meu calor
Eu pedia ao nosso senhor pra contigo me casar.
Lua bonita
Me faz aborrecimento
Ver São Jorge num jumento
Pisando no teu clarão
Pra que cassaste com um homem tão sisudo
Que come, dorme faz tudo, dentro do seu coração?
Lua Bonita, Meu São Jorge é teu senhor,
E é por isso que ele "véve" pisando teu esplendor
Lua Bonita se tu ouvisses meus conselhos
Vai ouvir pois sou alheio,
Quem te fala é meu amor
Deixa São Jorge no seu jubaio amuntado
E vem cá para o meu lado
Pra gente viver sem dor.

18 comentários:

JoeFather disse...

Olá meu amigo!

O amigo juntou tudo numa só postagem: arte, história, saudade...

A arte realmente consegue ser a única "arma" que algumas classes tem para demonstrar uma realidade que está ali para todos verem, mas só é vista por aqueles que se interessam...

E como bem citou o amigo, somente a arte tem o dom de ficar impregnada dentro de nossos corações, atadas às lembranças daqueles que nos serão sempre inesquecíveis...

Parabéns pela postagem, perfeita!

Abraços renovados!

Everson Russo disse...

Interessante meu amigo,,,por mais que passe o tempo,,,por mais que as gerações e ritmos vão se fazendo, estilos e coisa e tal...lá está ela...a lua...sempre calada,,,mas sempre nos dizendo tudo,,,e sempre sendo saudada pelos musicos,,,pelos poetas, não tem nada a ver,,,mas lembrei de um trechinho da musica "Quanto TEmpo Demora Um Mes",,,"...quando voce voltar,,,a lua vai estar cheia e no mesmo lugar..." do Bikini Cavadão.....abraços fraternos de bom dia pra ti.

Pelos caminhos da vida. disse...

Estou adorando essa semana de seresta por aqui...

Bom dia!

beijooo.

Felina Mulher disse...

Toda vez que começo a ler-te eu sempre repenso e confirmo, tudo que somos depende da infância que tivemos ou da educação que nos foi dada, e vc deve ter tido uma bela infância e uma excelente educação, pelo modo como a relembras...se pudessemos nunca crescer, seria ótimo,as penso que assim como a infância tem o seu encanto, também a vida adulta pode ser vivida com prazer e doçura e vc me mostra isso.E a nova geração teve oportunidade de conhecer o Zé do Norte, pois o “Maluco Beleza” Raul Seixas também gravou “Lua Bonita”, por sinal, excelente.

Um lindo dia pra vc moço.

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

Eu agradeço todos os dias por ter um pai que ama serestas e canta e toca violão que é uma beleza.

To adorando as musicas !

Beijo

Sandra Botelho disse...

Eita que esse blog é só cultura...
Bjos amigo poeta .

Rosa dos Ventos disse...

Fiz, por opção no último ano da faculdade uma cadeira de Literatura Brasileira e a temática do "cangaço" foi um dos pontos fulcrais da mesma!
E gostei muito...

Abraço

Elaine Barnes disse...

Õh amigo,sempre abrilhantando nossa vida com cultura. Essa seresta está demais! Fiquei pensando a responsabilidade de casar com a lua e ser rival de São Jorge rs...Nossa uma obra prima mesmo em beleza e prosa.As lembranças do teu pai sanfoneiro que toca a canção no teu coração. Montão de bjs e abraços

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Carlos
Sou bisneto de cangaceiro do bando de Lampião, tenho o maior orgulho disso. Quanto a música, essa eu não conhecia, bonita letra.
Abração

CARLA FABIANE... disse...

MENINO CARLOS...
DESCULPE MINHA AUSÊNCIA, ALGUNS PROBLEMINHAS PESSOAIS ME ROUBARAM O TEMPO TÃO LINDO E PRECIOSO DE LER-TE.
TE AGRADEÇO PELO IMENSO CARINHO, DE TODO MEU SER!
ESPERO QUE AGORA AS COISAS SE ACALMEM E POSSAMOS NÓS FALAR MAIS...
QUE DEUS ESTEJA CONTIGO!
LINDAS JANELAS EM FORMA DE POESIA, QUE O HORIZONTE TE REVELE SEMPRE O BLILHO DA VIDA E DA LUA!
BEIJOS...

Anne Lieri disse...

Carlos,que beleza de texto e de canção!Adoro seresta!Nada como uma boa serenata!Parabéns pelo texto e coração seresteiro!Abraços,

Rosemari disse...

Oi Carlos

Quanta coisa boa tem aqui..a noite tão serena , intensifica-se em palavras, como seresta ao luar.

anita sereno disse...

oi anjo passando para te deixar um beijo e votos de uma boa semana

BANDEIRAS disse...

Oi carlos,

Sabe o que mais me encanta no Brasil é essa cultura tão rica que temos. Cada região com sua beleza peculiar. E o nordeste não poderia deixar de estar presente no contexto da cultura.
Adoro tudo que é daqui, do nordeste, principalmente a música de raiz. Amo o forró, o frevo. Nossa canção nordestina tem sabor de sofrimento, mas ao mesmo tempo nos leva a uma alegria que se chama esperança. Sim, o nordestino é antes de tudo; alguém que tem esperança, que tem muita fé e que acredita num amanhã bem melhor.

E a lua...essa inspiradora de tantos poetas, não poderia ficar de fora do nosso cancioneiro popular. Vc lembra da bela canção da Chiquinha Gonzaga, intitulada " lua branca " ? é linda ! não é ?

Um mega abraço prá ti

IT. disse...

Carlos,

A lua aqui está lindaaaa!!!
Muitooo, lindaaa.
Em frente de minha casa, tenho dois lindos coqueiros e, de um ângulo fantástico contemplei...lua bonita.

"ZÉ do norte" canta "Lua Bonita" e, eu aprecio a musa dos apaixonados.

Noite de seresta pra vc.

Edna Lima disse...

Êta mineirinho de cultura. Busca cada assunto . Tudo de bom este seu texto.Mas o nordeste ainda continua com sua exclusão social.Um pouco menos.Grande bj Edna

Roberta disse...

Olha eu aqui de novo rsrsrs
Conheço esta canção interpretada por um outro ídolo meu Raul Seixas...até pensava q era de autoria dele, aprendi mais uma.Obrigada...Abraços!!!Roberta Siquieri

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Roberta.Raul gravou LUA BONITAsim em 1985 por aí e ficou muito boa. E se gosta do Raul a postagem de amanhã fala um pouco dele. beijão