ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

SOL E GIRASSOL


Estava eu, sozinho no jardim.
Um triste girassol
Olhando um céu cinzento
em busca do meu sol.
De repente, no seu sorriso resplandecente
eu vi um novo arrebol.
Do horizonte escuro a um paraíso aberto.
Da incerteza à esperança.
Do medo à segurança.
Foi assim que meu coração saltou, pulsou.
Quem disse que o mundo não presta,
que a vida é ruim.
Que não há pessoas e coisas boas
é so olhar para mim
e ver meu olhos em festa.
Festa de amizade e amor.
Meus olhos que só viam cinzento
vislumbram agora um jardim em flor.
Brilhe muito meu sol,
com a intensidade que ninguém jamais viveu
Aqueça com seu calor esse girassol em forma de homem...
que sou eu.

3 comentários:

Sonia Schmorantz disse...

Felizes os homens que tem as chaves
porque só encontram portas abertas...

Como podem tantos homens dormir sossegados e felizes
de portas fechadas,
quando essas portas se fecham para tantos homens
que ficam sempre ao relento
e nunca podem entrar?

Neste mundo de tantas portas,
quando teremos cada um, a sua chave,
e a sua hora de voltar?...

JG de Araújo Jorge

um abraço

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

O orvalho cobre
as flores da manhã,
gotículas frescas
e o alvorecer
da rosa de porcelana,
quando o júbilo
se inventa
numa única palavra dita
e o aroma nos liberta.
(Paula Raposo)

Tenha uma sexta feira linda com muito amor...
Lindo poema
Abraços

Rosane Oliveira disse...

Que delícia tá esse blog amigo Carlos!!!
Amei esse sol!
Grande beijo!