ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Movimento FÉ E LUZ





O Movimento Fé e Luz, movimento internacional e ecuménico, foi fundado em 1971, por Jean Vanier (canadiano filósofo, teólogo, fundador da “Arca”) e Marie Hélène Mathieu (Directora do Office Chrétien des Personnes Handicapées – França). Congrega pessoas com deficiência mental, as suas famílias e amigos, em especial jovens. Constituiu-se em torno da constatação do isolamento social e eclesial das famílias com filhos com deficiência mental.Nascido no seio da Igreja Católica francesa, desde o início que o Movimento é ecuménico, havendo no mundo comunidades pertencentes a várias confissões cristãs, com uma grande preocupação pela tolerância na diferença, como carisma próprio das pessoas com deficiência mental.A família é, desde a origem do Movimento o pivot das acções de que a pessoa com deficiência é o centro, o “coração”, o motor. Mas importa que não fique isolada e que a pessoa com deficiência e os seus irmãos, possam ter amigos jovens que os ajudem a inserir-se nas comunidades. Os objectivos do Movimento são assim definidos: – Para a pessoa com uma deficiência FÉ E LUZ revela-lhe que ela é chamada a dar todas as riquezas do seu coração, a sua ternura e a sua fidelidade.– Para os pais, FÉ E LUZ traz apoio nas suas dificuldades, ajudando-as a melhor captar toda a beleza interior do seu próprio filho e a descobrir que ele/a pode ser fonte de amor e de paz.– Para os irmãos e irmãs das pessoas com uma deficiência mental chamando-os a reconhecer que os seus irmãos podem ser fonte de vida e de unidade; se eles perturbam ou perturbaram a sua vida, também poderão transformá-la positivamente.– Para os amigos, especialmente os jovens, FÉ E LUZ abre caminho de amizade com a pessoa com deficiência e de compromisso com ela, descobrindo cada um no outro a vida na sua diversidade e riqueza.A sua organização parte de encontros mensais constituídos por três momentos essenciais: a partilha humana a partir do tema mensal; oração; festa. Através da utilização dum Carnet de Route (um guião) comum a todo o Movimento Internacional, procura-se tomar consciência da unidade e da comunhão eclesial na diversidade através do mundo. Encoraja-se a procura de expressões não verbais dos membros, para reforço da linguagem verbal ou em sua substituição, o que inclui, em geral, o “reviver” dum texto do Evangelho através duma mímica e gestos / ou símbolos.
Dioceses de Évora, Lisboa e Porto.
Revista “Ombres et Lumière” do Office Chrétien des Personnes Handicapées (França) inclui uma página sobre o Fé e Luz, A BARCA (Brasil).
Como dito acima, o MOVIMENTO FÉ E LUZ, é um trabalho solidário e espontâneo que lida com deficientes físicos, mentais e down.
Em Governador Valadares, o movimento existe há dez anos. Reunimo-nos mensalmente duas horas antes da missa, e no pátio da igreja, lanchamos, brincamos com os meninos e depois entramos todos juntos na igreja. A igreja tem outros movimentos e pastorais importantes, mas os padres têm um carinho especial com o FÉ E LUZ. Não raro, vejo alguém chorando na platéia quando entramos porque ficam emocionadas. Certa vez uma senhora me disse: “O trabalho de vocês é muito difícil”. Respondi a ela: “É nada. É muito fácil”. Tem sim umas dificuldades. Alguns são pesados e precisam ser carregados, vez ou outra algum passa mal, a mãe esqueceu o remédio, tenho que ir buscar rápido, só que a recompensa vale mais.
Antes de entrar para o FÉ E LUZ , eu virava o rosto de pena, só que pena também é uma forma de discriminação. Também não sabia que eles tinham as mesmas emoções que nossos filhos, irmãos e vizinhos. Pois sentem sim. Se emocionam, brincam. Os que não falam, expressam no olhar. Não ocupo cargo nenhum no movimento, tem gente melhor para isso: Sabrina, Célia, Nice. Sou um bom colaborador e modéstia a parte muito querido pelos meninos. Cada um com suas particularidades, assim como nós, que também temos nossas diferenças. Eni adora dançar e cantar. Canta fanhosa, mas dá para entender o que canta. Anderson tem deficiência nas pernas, mas é inteligentíssimo e gosta de música. Joabe faz até poesia e me mostra. Romário se orgulha do nome e joga bola mesmo de muletas. Denim, é mais complicado, às vezes fica nervoso, gosta de morder, mas Célia, a mais dedicada de todos sabe lidar com ele. Gilson, surdo-mudo, me fala por sinais que está quase na hora da missa. Edílson, tetraplégico, aponta para o céu e me diz. “Olha o aviããão... olha o aviããão”. Seu Zé, pai dele já me disse: “O senhor é muito bom de prosa”. Deve ser porque fico horas ouvindo os causos dele. Frei Carlos, com quem me identifico, até porque lembra fisicamente meu pai, um dia na sacristia, após a missa, com a mão no meu ombro. “É muito bonito o trabalho de vocês. Os mandamentos de Jesus, eram enfatizados num só: amor ao próximo... e isso vocês fazem muito bem. Cristianismo é isso”. Respondi: Eu que agradeço por ter tido a oportunidade de entrar para o FÉ E LUZ, pois entrei depois que sofri um acidente. Meu carro capotou três vezes e não sofri um arranhão sequer. Aí percebi que estava devendo alguma coisa.”. Ele balançou a cabeça pensando. “ Que bom que reconhece que tem falhas, mas não se preocupe com os defeitos. Claro que devemos procurar sempre melhorar como gente, mas aprimore o que você tem de bom, que os defeitos vão sumindo automaticamente. Mas nunca se esquecendo de reconhecer as falhas. A balança de Deus é justa e Ele sabe pesar os qualidades e defeitos. Glória a Deus nas alturas e paz na terra ao homens de boa vontade. Foi Ele mesmo quem disse: O que fizestes a um desses pequeninos, foi a mim que o fizestes”.

Nota: As fotos pela ordem. 1)Eu meu amigo Anderson. 2)Palhaço Pingulim animando a festa distribuindo doces e pipocas 3)Comemoração dos 10 anos, reunindo os movimentos de toda a cidade 4)Menino de outro bairro, não sei o nome.A mãe pediu que tirasse a foto

4 comentários:

Salamandra disse...

E é assim que se faz um Mundo melhor ou mais suportável!!
Fazendo sorrir os outros aquece o coração.
Parabens Carlos pela sua generosidade para com os outros, eu acho que voçê anda sendo um anjo na terra. Ser espiritual é isso mesmo Dar porque no Dar acabamos por nos encontrar a nós próprios, gostei muito deste post meu Amigo.

Um abraço de alma
Salamandra

mundo azul disse...

_______________________________

Que belo trabalho, Carlos!!!

Parabéns!

Beijos de luz e carinho, amigo...

Obrigada pelo texto que deixou lá no Mundo Azul... Estávamos sim, sintonizados quando escrevemos os textos...

______________________________

Marta Miriam disse...

Boa noite..
Moro em Belo horizonte, estamos querendo montar a Pastoral Fé e Luz aqui em nossa Paróquia... gostaria que nós ajudadasse...
desde já agradeço...
meu email martaaraujo@ymail.com

Marta Miriam disse...

Boa noite..
Moro em Belo horizonte, estamos querendo montar a Pastoral Fé e Luz aqui em nossa Paróquia... gostaria que nós ajudadasse...
desde já agradeço...
meu email martaaraujo@ymail.com