ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

quarta-feira, 7 de julho de 2010

SEMANA DAS LENDAS DE AMOR- CUPIDO


( imagem kapelonia.uboot.com )
GENTE, SEI QUE É GRANDE, MAS NÃO DEIXEM DE LER PORQUE É MUITO BONITO

O Cupido é retratado como uma criança traquina, com asinhas, loiro de cabelos encaracolados, que lança setas certeiras aos corações das pessoas, fazendo com que estas se apaixonem perdidamente. Uma espécie de anjo da paixão, um ser alado de aparência infantil, que voa por entre as nuvens carregando arcos e flechas, à procura de corações solitários.
Mas quem é ele? E porque passa a vida a transformar os corações das suas vítimas com as suas setas?
A origem do Cupido remonta à Antiguidade Clássica, mais concretamente, à mitologia greco-romana., onde este é referido como um Deus único.
Na Antiga Grécia ele era conhecido como Eros, o jovem filho de Afrodite, a deusa do amor e da beleza e de Ares, o deus da guerra.
No livro «Mythologie Grecque» (Editions Toubi’s) ele é descrito como um jovem homem nú, de asas douradas, com cabelos encaracolados, munido com um arco que lança flechas mágicas. « Antes de ser adoptado pelos poetas, esculpido pelos escultores e pintado pelos pintores ele era, para os antigos gregos, o filho de Afrodite e de Ares, que trespassava os corações dos mortais. Ele era o mais belo dos deuses já que fazia nascer nos homens os sentimentos mais nobres e ajudava os pares a unirem-se. Para além disso, ficou conhecido por adoçar os temperamentos dos mortais, mesmo os mais duros, por embelezar a sua vida e por lhes dar um sentido.
A mitologia ainda diz que Cupido viveu um grande amor e enfrentou muitas dificuldades para conseguir um final feliz. Por isso ficou conhecido como aquele que une os corações.
Seu amor era a bela mortal, Psyché que por ser muito bela, despertou o ciíume de Vênus que como deusa, deu ordens a Cupido para que este fizesse com que a jovem se apaixonasse por alguma criatura de má aparência. Em vez disso, o Cupido apaixonou-se perdidamente por ela e fez dela sua amante. Colocou-a num palácio, onde a visitava à noite mas, por ser mortal, ela estava proibida de olhar para ele. Psyché foi feliz até ao momento em que as suas irmãs, movidas pelo ciúme, lhe disseram que ele era um monstro que a iria devorar, convencendo-a a olhar para o seu amado.
Certa noite, Psyché, levada pela ousadia do amor, pegou numa lamparina e iluminou o quarto para ver Cupido adormecido. Admirada com a rara beleza do jovem, ela deixou cair sobre o seu corpo uma gota de óleo da lamparina, e ele despertou. Por causa disso, Cupido castigou-a com o seu abandono, ressentido pela desobediência da amada. Nesse tempo desapareceram também o seu encantador castelo e os magníficos jardins, e ela viu-se sozinha num campo deserto. Mas ela não desistiu, procurando o amante por toda a terra e acabando por encontrar o templo de Vénus. Desejando destruí-la, a deusa do amor deu a Psyché uma série de tarefas dificílimas., entre essas, separar na escuridão da noite, as impurezas de um monte enorme de várias espécies de grãos. Felizmente, as formigas tiveram piedade dela e vieram em grande número para ajudá-la. E assim todas as tarefas foram executadas à exceção da última. Vênus deu-lhe uma pequena caixa que ela deveria levar até ao mundo dos mortos e onde deveria guardar alguma da beleza de Perséphone, a mulher de Plutão.
Durante a viagem, ela recebeu conselhos para evitar os perigos do reino dos mortos e que não abrisse a caixa. Mas a tentação foi mais forte e Psyché abriu-a. Em vez de encontrar a beleza, ela encontrou um sono mortal. Cupido encontra-a tombada, sem vida. Valendo-se dos seus poderes divinos, ele desperta sua amada e recoloca esse sono mortal de novo na caixa.
Ao ver o seu grande amor voltar à vida, Cupido perdoa-a, assim como perdoa também a Vênus. Os Deuses, comovidos pelo amor de Psyche por Cupido fazem dela uma deusa, para que ambos pudessem viver o grande amor que os unia, para toda a eternidade. O casamento entre os dois realiza-se, finalmente, no céu.
A palavra Psyché, em grego significa borboleta, entendida como sinónimo de alma. A borboleta simboliza a imortalidade da alma: desde o casulo limitado em que estava, depois de ser mera lagarta, estende suas asas, flutua na brisa do dia e transforma-se num dos mais belos e delicados seres da natureza. Psyché é, portanto a alma humana, purificada pelos sofrimentos e infortúnios, preparada para gozar a pura e verdadeira felicidade.
Opinião particular minha. Psyché, não só mereceu finalmente viver seu grande amor, como também a ser elevada à situação de deusa, pela sua persistência, sua desobediência, em nome de seu amor. Fosse ela acomodada, não teria sido feliz.
Até hoje, Cupido, feliz pela recompensa de ter encontrado seu grande amor, anda por aí, ajudando as pessoas a conseguirem também, flechando os corações solitários. Ai... me acertaram aqui.

(adaptação dos textos: 'cupindoaeiou.pt', 'wikipedia', 'starnews.com.br')

27 comentários:

Felina Mulher disse...

Ai que uma das flechas acertaram este aqui também......lindaaaa esta lenda, eu realmente não a conhecia.
Obrigada menino pela partilha tão bela.

Um beijo carinhoso.

Pelos caminhos da vida. disse...

Li até o fim, não conhecia essa lenda muito bonita.

Bom dia Carlos.

beijooo.

Fatima disse...

Gosto muito do "seu" Cupido!
mas antes dele me flechar a testa como vc desejou, ele vai ter que tomar um cafezinho comigo pra gente exclarecer umas cosinhas.
Rsrsrsrsrsr
Bjs.

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

"Bem feito" pra você, Felina, que tenha sido acertada. Beijos
///
Beijos, Ana.
///
Oi,Fátima. Estou rindo de seu comentário. Então vai por em pratos limpos com o cupido? Tá certo.beijos

IT disse...

Hum...
Aiiii...o cupido passou por aqui.
Com sua força poderosa, vive acertar
os corações.

Oh cupido!
Eu estou tão diferente!
você não me sai mais da mente,
Agora, repleta de amor e emoção
Com uma flecha acertou, o meu pobre coração.

(será que este cupido devolveu a inspiração?)humm! tá ruim ainda.rs

Beijos

Everson Russo disse...

To precisando de um desses pra me acertar e eu poder reencontrar o amor,,,entender tudo de novo....abraços amigo e um belo dia pra ti,,,hoje parece que tudo ta normal né? comentarios sendo registrados...

Elaine Barnes disse...

Falando em cupido não consigo entrar no blog da Anita.
A leda mitológica é belíssima e não só a conheço como tive que separarar as sementes durante muito tempo como exercício.Reler tudo aqui me fez relembrar que a ousadia,quebrar algumas regras são absolutamente necessárias para o encontro da felicidade.Separar as sementes significa se encontrar retirando aquilo que te deram como verdade,mas, não é seu. Ela conseguiu com ajuda é claro,"andorinha sozinha não faz verão",mas descobriu dentro dela o que lhe pertencia e era o amor. Nada vem sem luta,sem descobertas,qto mais nos aproximamos de nós,mais o amor também se aproxima. Belo tema. Amei! Montão de bjs e abraços,vou voltar as minhas sementes,ainda falta um bocado pra separar,rs...

Palavra Doce disse...

Olá Carlos, tudo bem?
Achei seu blog por acaso e aproveito para convidar vc a dar uma passadinha no meu blog para ler doces palavras...
Boa semana!

Rosa dos Ventos disse...

Sempre bonitas estas lendas!

Abraço

Sandra Botelho disse...

Eita flechinha viu?rsrsrsrs
Que bom quando ela acerta dois corações e não apenas um...Linda lenda amigo. Bjos achocolatados

Wanderley Elian Lima disse...

Oi Carlos
Acho que esse mito é o mais querido de todos, pelos menos todos vivem querendo ser flechado por ele, além de sua imagem ser a maior gracinha.
Abração e boa viagem

Colhendo, né Amor!? disse...

Te acertaram, é?

Sempre fui acertada por flechas tortas (Acho que o Cupido que me flecha, é miope) rsrsr

Adorei o post.

Beijo grande...

Atreyu disse...

O Cupido da mitologia é meio que um curinga, há mitos em que ele é amado e outros que ele é um verdadeiro alvo do ódio humano! Amo mitologia @@

Machado de Carlos disse...

Agradeço-lhe profundamente pelo seu comentário e, respondo-lhe com um especial “Tim-tim” como um blinde à sua altura de grande escritor que você é!
Obrigado pela sua visita!
Um Grande Abraço!

alfazema disse...

É refrescante, é doce, é ternurento, é um prazer, vir ao blog do "Menino"
beijo

Chris... ჱܓ disse...

Linda a lenda do Cupido!
Gostei de conecê-la... não sabia disso tudo não...
Muito legal Carlos!

Bjos e uma noite de paz!

Elzenir Apolinário disse...

Boa noite, amigo, ando numa correria...mas depois de alar sobre amigos no blog, percebi q temos q reservar um tempo para visitá-los. Bjs

Luciana N disse...

Oi Carlos
Obrigada pela visita
Bjs

legalmente loira... disse...

carlos querida,
otimas suas lendas..
esta tem flecha certeiras
que ja acertaram meu coração.
A lenda mitológica é riquissima.
lindo de sua parte nos passar com riquezas de detalhes.
lindo dia com carinho e bjos.

Everson Russo disse...

Um belissimo dia pra ti amigo,,,paz sempre...abraços.

Janita disse...

Olá amigo Carlos.
Lamentavelmente, mal nos conhecemos e já nos vamos afastar. Ms isto vai ser coisa de pouco tempo. Em Setembro, reataremos os nossos laços de amizade.
Quero agradecer-lhe as palavras, que tanto me gratificaram, lá no meu (seu) cantinho.
Este menino travesso que anda por aqui à solta é um perigo...
Vá que ele dispare sua setinha noutra direcção...falhe a pontaria e acerte em mim?...Cruz,credo..Era a treva total!
Um grande abraço Carlitos e me aguarde.
Janita

Priscila Lima disse...

meu cupido tava com flecha duplicada quando me acertou...rsrsrs
Abraço das conchas.

Ricardo Calmon disse...

belo belo texto,amei,Carlos Soares é cultura e poesia,coisas de mininu beija flor!

te abraço

viva la vida

cristal de uma mulher disse...

Mais que história mais linda e delicada. cheia de enigmas que corresponde a toda mitologia grega.

A palavra Psyché, em grego significa borboleta, entendida como sinónimo de alma. A borboleta simboliza a imortalidade da alma:


Particurlamente eu sou apaixonada por estes seres divinos..Quando as vejo fico como menina sorrindo até que voem a seu destino.


Amei amigo .
Tenhas um lindo fin de semana com sua amada já que foi flechado !!!!!

Marilu disse...

Querido amigo Carlos, sou fascinada por lendas, essa é linda...Tenha um lindo final de semana...Beijocas

Pena disse...

Amigo de Excelência e talentoso:
"...Até hoje, Cupido, feliz pela recompensa de ter encontrado seu grande amor, anda por aí, ajudando as pessoas a conseguirem também, flechando os corações solitários. Ai... me acertaram aqui..."

O Cupido existente em si é como um Anjo-da-Guarda do seu sentir precioso direccionado a elas.
Parabéns ao seu mítico sentido de oportunidade.
Excelente sentimento.
Com respeito e admiração constantes.


pena

É um Cupido de deslumbre.
Bem-Haja, pela imesa criatividade, pertença só sua.
Adorei. Extraordinário.

"Cantinho Poético" disse...

Cartas de amor são escritas não para dar notícias,
não para contar nada, mas para que mãos separadas
se toquem ao tocarem a mesma folha de papel.

Rubem Alves

Beijos poéticos e perfumados...M@ria