ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

sexta-feira, 16 de julho de 2010

SEMANA DA MINEIRICE- "O VELHO, O MENINO E O BURRO"


( imagem google )
Não chega a ser um texto sobre mineiro, até porque a fábula nem é brasileira, mas remete-nos à sabedoria do matuto.
/////
"Um velho, resolve vender seu burro na feira e chama o neto de companhia. Sabendo que precisa chegar com o animal em bom estado, os dois vão andando puxando o burro. Não demorou e pessoas pela estrada riam. "Como são idiotas. Andando a pé, em vez de montar, sendo que têm um belo burro, em ótima saúde". O velho, com dó do neto, mandou que ele montasse. Mais à frente, outras pessoas zombando. "Que absurdo. Um homem tão velho andando e um menino cheio de vida montado". O velho mandou que o menino descesse e montou em seu lugar. Mal andaram de novo e vieram outros críticos. "Que pecado. Uma criança andando e o velho no conforto do lombo do burro". O velho resolveu então que os dois montassem no burro, assim ninguém teria vantagem e calaria a boca dos críticos. Nada feito. Mais adiante, mais gargalhadas. "Como maltratam o pobre animal". Indignado o velho resolveu que os dois passassem a carregar o burro nas costas. Pensou. "Quero ver alguém criticar agora". Pois não teve jeito, foi até pior. Riam tanto dizendo. "São mais burros que o próprio burro. Pra quê serve um burro se for pra ser levado nas costas?"

Moral da estória: Quem quer agradar a todo mundo, acaba não agradando a ninguém... nem a si mesmo

Não devemos nos apegar irracionalmente às críticas, pois independentemente da forma como agirmos, elas acontecerão. O que também não significa que devemos ser surdos à elas.

12 comentários:

Everson Russo disse...

Essa de agradar a todo mundo não dá certo mesmo,,,,bom final de semana pra ti amigo,,,abraços de paz...

Elaine Barnes disse...

É verdade né amigo! Primeiro que seria pretensão agradar a todos.Impossível! O ser humano tem a mania de criticar e,julgar e condenar.Cada um tem um olhar para o mundo,sua maneira de ver as coisas,sua verdade.Agradar a nós mesmos sem pensar no que pensam é um exercício,depois de incorporado a vida fica mais fácil e nós mais tranquilos. Adorei! Montão de bjs e abraços

sandra Freitas disse...

Eita amigo, arrasou, essa fábula nos mostra como as opiniões são diversas e infinitas. Sempre haverá algúem pensando diferente. Podemos ouvir tudo, mas reter apenas o que é bom.
Bjokas meu amigo.

S.C. disse...

Olá, como, está??
tem selo p/ vc no meu blog...
http://emnos-u2.blogspot.com/2010/07/selos.html


abraços

legalmente loira... disse...

querido carlos,
semana da mineirice agradou mesmo.
agradar a todos impossivel.
não agrado nem a mim mesma dificil rsrsr.
bjos.

Louise Oliveira disse...

Meu pai amaaaaaaaaaaaaaaaaa essa história, e vive contando ela para todo mundo. rss
Que legal que vc contou aqui. É realmente uma ótima maneira de nos mostrar que temos que ser autenticos.
Bjs! Amigo.
Lu

Wanderley Elian Lima disse...

Oi Carlos
Temos é que estar com a consciência tranquila, a fazermos o que é possível, e não o que esperam que façamos.
Abração

IT disse...

Carlos Soares

Fico imaginando, o que sairá de sua mente brilhante, para a próxima semana?!

Eita mineirinho danado de sabido sô!!

bjim procê minino!

Tomai e Comei: Aqui nasce um novo reino. disse...

Conhecia este texto, mas em alemão.

Majoli disse...

Oi Carlos, não conhecia essa fábula, mas muitas vezes a gente deixa de ser a gente mesmo só pra agradar aos outros e mesmo assim não consegue.
Então temos que aprender a ser nós mesmos, a nos amarmos e deixar que as pessoas nos aceitem como somos, aprendam a gostar da gente assim...ou não.

Beijos no ♥.

Espero que esteja melhor da gripe meu amigo.
Fique com Deus.

"Cantinho Poético" disse...

Um novo dia virá
Junto a uma brisa suave.

BOM FDS.......Beijos M@ria

Sueli disse...

Carlos, a vida ensinou-me que devemos agradar a nós mesmos. Sempre! Beijos!