ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

quinta-feira, 24 de junho de 2010

UMA SEMANA NO CINEMA- "SOCIEDADE DOS POETAS MORTOS"


( imagem google )
Esse é um filme que sempre estive inserido nele, mesmo sem nunca ter assistido. Assisti agora há uns três meses, mas passei anos procurando em locadoras, tentando baixar na internet, pedindo amigos... e nada. Como digo sempre, a poesia que sempre é boazinha comigo, um dia me proporcionou a dádiva de ver esse filme. Chamo de dádiva, sem exageros, ou com exageros, como queiram, porque o filme é tudo que penso. Quem me acompanha com atenção, entende porque exagero e porque estava inserido nele. Acabei assistindo num momento improvável, olha o improvável aí de novo. Foi numa noite de insônia, exatamente quando liguei a tv, vi lá. "Sociedade dos poetas mortos". No elenco ninguém menos que Robin Willians, que já fez outros filmes belos como "Patch Adams, o amor contagia" ( esse também é de chorar. Majoli chora um rio se ver rs rs).
Um professor nada convencional, na contramão do ensino ortodoxo, austero, padronizado como viseira de burro, começa a ensinar aos alunos, jovens ávidos por novidades, um novo jeito de se fazer poesia. Mais que isso... viver a poesia... ser a poesia na acepção da palavra. De cara, ele põe sobre cada mesa um livro de um grande autor, totalmente padronizado literariamente, clássico, que não dá direito ao leitor de pensar. Manda que abram em certa página, onde está ressaltada justamente essa limitação de pensamentos, o não à liberdade de se expressar, conforme seu coração deseja. Pede que leiam alto e quando terminam, diz. "Rasguem". Depois dos olhares estupefatos, os alunos começam a gostar da ideia e... rasgam mesmo. O professor diz mais ou menos assim. "A partir de hoje, a poesia mudou. Nada de convencional. A poesia é você. É muito mais que se sentar atrás de uma mesa e colocar coisas no papel. Poesia é jeito de ser. De se movimentar. Poesia se faz toda hora. E ela não tem regras, a não ser a sua própria sensibilidade". Levava os alunos para o pátio e mandava que andassem até certo ponto". Os alunos caminhavam. Depois, o professor dizia. "Agora caminhem, da forma como você gostaria de caminhar". O alunos faziam de novo e esse caminhar era diferente do outro, mais solto, desinibido e por isso mais feliz. Por quê? Porque até o direito de andar é padronizado, é preciso andar certinho, corpo alinhado, seguir modinhas". Um dos alunos, que resistia ao método, resmungou algo baixinho. O professor pede que ele expresse sua desaprovação, sua raiva com o novo método, mas de voz alta. Ele diz em voz alta. Mas o professor, insiste. “É pouco, fale com mais raiva. Cadê a sua raiva, sua expressão?". Com certeza, houve grande resistência da diretoria da escola e até dos pais e da sociedade em si, porque quando há um poder dominante, as viseiras são gerais. O final, não foi exatamente com eu queria, pois devido à resistência da sociedade, vi a arte sendo assassinada. E tudo que o rapaz queria era representar. Lá em cima, falei que sempre estive inserido no filme, porque quem me conhece, sabe que sempre pratiquei o ensinado pelo professor, o CARPE DIEM, que é viver o momento, aproveitar as coisas, o que se tem na mão, viver o hoje e acima de tudo, não fazer só poesia no papel, como vivê-la. Passei e passo minha vida dizendo isso às pessoas. Sei que sou retórico, meus poemas e textos, estão sempre falando de liberdade, não a física que também é importante, mas também a liberdade do pensamento, de expressão, principalmente se você tem um dom. E acho que todos têm. Entendo , se vejo uma placa “entrada proibida”, compreendo e acato, respeito esse limite físico, mas a liberdade de pensamento não, essa é só sua, ninguém pode lhe tirar. Quando tiram é porque você deixa. Ah, já ouvi tanta coisa boa por isso."Por isso é bom falar com poeta, a gente sempre sai com astral pra cima". Já ouvi críticas também, fazem parte, mas minha consciência a quem devo primeiro satisfações, essa está sempre tranquila. Há uns meses, teve apresentação poética em praça pública e como outros amigos poetas, fui convidado. Chegando lá, não avisado de como seria, vi que recitavam poemas apenas de grandes mestres da literatura. Muito numa boa, eu não quis recitar. Questionado, respondi. “Carlos Drummond de Andrade e Mário Quintana não precisam de mim. Já são grandes por si. Eu quero dizer o que eu tenho a dizer. Eu tenho material e opinião a mostrar. Eu tenho minha poesia e é ela que eu quero recitar. Se não puder, prefiro não participar”. Mas fiquei ali assistindo, achei tudo muito bonito, essas coisas não me chateiam. Aproveitei para bater bons papos na praça que estava linda, noite agradável. Afinal dou sempre um jeito de extrair algo de bom de qualquer momento. Sigo meu CARPE DIEM. E por mais que haja resistência, os poetas não estão mortos, porque eles sim... são a verdadeira resistência.

35 comentários:

Luciana P. disse...

Carlos, perdi a conta de quantas vezes assisti a esse filme. É adorável e nos ensina muito sobre a vida e sobre a hipocrisia. A cultura a que estamos inseridos, os costumes a que estamos arraigados. e fala ainda sobre a liberdade e até onde nos permitem ir... adoro esse filme e te parabenizo pela lembrança.
Existe um outro filme parecido com esse, ótimo também, que se chama "O CLUBE DO IMPERADOR"... é mais ou menos dentro da mesma temática, emocionante. Se não assistiu, vai aí uma dica.
Beijos pra ti!

Chica disse...

Esse filme é maravilhoso mesmo! Lindo post! abração,tudo de bom,chica

Anne Lieri disse...

Carlos,realmente esse filme é um dos mais bonitos que já assisti!Seu texto disse tudo!A poesia é mesmo um jeito de ser,não tem regras e cada um escreve como lhe chega a emoção a alma!Vc é mestre nisso e sempre autentico!Amei!Carpe Diem!

Sonhadora disse...

Meu querido Carlos
Um filme maravilhoso, daqueles que se podem ver vezes sem conta, sempre nos traz sentimentos novos.

beijinhos com carinho
Sonhadora

Eduardo Medeiros disse...

Carlos, quero destacar tua frase:
"respeito esse limite físico, mas a liberdade de pensamento não, essa é só sua, ninguém pode lhe tirar."

Vi o filme há muito tempo, preciso revê-lo.

abraços

Secreta disse...

Nunca vi este filme, mas agrada-me a filosofia que aqui descreves :)

Everson Russo disse...

Bom dia meu amigo,,,outro dia citamos Morgan Freeman,,,que realmente é um dos grandes nomes mundiais,,,agora Robin Williams tambem é impagavel...super ator,,,aquele filme da babá então...rs..rs...abraços de bom dia pra ti.

Anita "Menina Flor" disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Vou ver sim, Luciana. Deve ser bom ,indicado por você.Beijão
///
beijos,Chica.
///
Carpe Diem,Anne. Beijos
///
Um abraço,Eduardo
///
Beijos ,Sonhadora. É ótimo mesmo.Beijão
///
Oi,Secreta. Está perdendo um filme de emoções
//
Si, caro Everson. "Uma babá quase perfeita". "Bom dia, Vietnam". E outos ótimos. Um abração

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Vou ver sim, Luciana. Deve ser bom ,indicado por você.Beijão
///
beijos,Chica.
///
Carpe Diem,Anne. Beijos
///
Um abraço,Eduardo
///
Beijos ,Sonhadora. É ótimo mesmo.Beijão
///
Oi,Secreta. Está perdendo um filme de emoções
//
Si, caro Everson. "Uma babá quase perfeita". "Bom dia, Vietnam". E outos ótimos. Um abração

Wanderley Elian Lima disse...

Uns dos melhores filme que já vi em toda minha vida. Chorei até.
Abração

Rosemari disse...

Carlos

Adorei o texto.Sabe que nunca assisti esse filme e morro de vontade de vê-lo.
Adorei, e você sempre maravilhoso e gentil !!

Felina Mulher disse...

Belo!Não somos Robôs, temos que ser livres no pensar, no criticar e vc como professor deve estimular isso.Qdo vc citou ,que já ouvi tanta coisa boa por ser assim e que tbm Já ouviu muitas críticas, eu te digo, sou criticada diariamente por ser quem eu sou, não aceito regras, sou rebelde mesmo...mas não sou poetisa, sou contra a robotização da raça humana,a mesma raça que tem a necessidade de expressar seus sentimentos e tudo mais.Não assisti ao filme, mas vou assisti-lo.

Um beijo menino beija flor.

cristal de uma mulher disse...

Amigo aqui o assunto é passado e presente y voamos na asa do vento quando te lemos ,maravilha de filme

Bom está sempre comigo e eu contigo..Obrigada

Majoli disse...

Oi Carlos, sua semana está assim pra mim:
O de segunda, eu assisti
O de terça, não
O de quarta, eu assisti
O de quinta, não

Disso posso tirar proveito, tenho dois filmes indicados por você para ver.
E já que a chorona aqui se emociona e você disse que irei chorar com Sociedade dos Poetas Mortos...assino embaixo.

Achei legal, você querer se apresentar com poesias suas, pois realmente os grandes poetas já se fizeram por si, não vejo motivos pra ficar declamando poemas deles, aliás muitos já conhecidos.
Temos que mostrar o que saiu de nós.

Beijos com ternura no teu ♥ meu amigo.

Pelos caminhos da vida. disse...

Já ouvi falar muito desse filme, mas ainda não o assisti.

beijooo.

Louise Oliveira disse...

Gosto muito desse filme tb. Que bom que vc falou sobre ele. Me deu vontade de assistir de novo.
E sobre a poesia, tb penso que quando essa é feita com a alma, com a vontade de expressar o que vai dentro de vc e independente se agradará ou não aos outors e se vão entendê-la ou não. O importante mesmo é o momento ser único e especial para vc, é te dar a oportunidade de emanar o que vai dentro de vc e sim, pq nao viver isso tb na prática.
Bjs! Amigo. Foi bom eu ter passado por aqui hoje.
Lu

Michelle Crístal disse...

Esse filme é lindo! O que mais me complica e ao mesmo tempo é liberdade, onde a própria lei rege somos livres e ao mesmo tempo não, temos limites!

Edna Lima disse...

Que belíssimo post garoto! Parabéns. Bjs da conterrânea . Edna

claudete disse...

Hoje posso comentar e serei breve, simplesmente genial o filme,faz tempo que vi e agora me motivei a rever. Abraços .

Priscila Lima disse...

Agradeço suas palavras!
adoro esse filme já perdi as contas de quantas vezes assisti,
essa semana aqui ta show em amigo!
Abraço.

Eu Meus Reflexos e Afins disse...

Carlos!!!
Saudades daqui.Estava em viagem,na cidade maravilhosa.
Me encantando com cultura e arte por la.
Mas ca estou de volta e com a corda .
Te espero pra conferir
esse texto em especial.
Adorei o post,amo o filme,preciso rever.
Bjins entre sonhos e delírios

Sandra Botelho disse...

menino fico até com vergonha mas nunca vi esse filme, e sempre ouvi inumeros elogios a ele.
O bom de vc postar uma sinopse é que posso vizualizá-lo através de seus olhos e mente.
Bjos achocolatados

Impulsiva disse...

Meu amigo, teria que ser o mês ou o semestre no cinema para caber tantos filmes lindos e que nos ensinam grandes lições, rsrsrs.

Este é lindooooooooo, não posso acreditar que você só o assistiu há pouco tempo, pois eu já o achava a sua cara mesmo...

Adoro a idéia central do filme, gosto tanto que tatuei "Carpe Diem" entre o caule de uma rosa que tenho na nuca (tem a foto no blog).

Robin Willians está impagável neste filme, aliás nunca vi um filme dele que tenha sido pelo menos mediano, tenho a impressão que ele já impôs aos diretores de Hollywood "só faço filmes com histórias incríveis", rsrs, eu já associo ele a filmes com histórias altamente ricas.

"Por isso é bom falar com poeta, a gente sempre sai com astral pra cima". Concordo, por isso adoro vir em seu blog...por suas poesias e histórias como esta:

“Carlos Drummond de Andrade e Mário Quintana não precisam de mim. Já são grandes por si. Eu quero dizer o que eu tenho a dizer. Eu tenho material e opinião a mostrar. Eu tenho minha poesia e é ela que eu quero recitar. Se não puder, prefiro não participar”.

Palmasssssssssssssss, rsrsrs.

Beijos,
Kenia.

Marliborges disse...

Carlos
Esse filme é um clássico. A gente está sempre querendo assistir. Eu já vi algumas vezes e sempre tem algo novo a aprender. Robin Willians, fora de série, como sempre. E a história, um grito, um alerta para que a gente não se deixe aprisionar no labirinto dos estereótipos. Belo post. Parabéns. Bjsssssssss

Luciana N disse...

Oi Carlos

Tua seleção de filmes é ótima vi todos eles e todos eles passam mensagens ótimas como sou apaixonada por filmes sou meia suspeita em falar, Sociedade dos Poetas Mortos é um daqueles filmes que tu ve e quer ver de novo (tenho ele gravado graças a meu irmão), A espera de um milagre já perdi as contas de quanto já assisti e Um sonho de liberdade vi sem pretensão e acabei adorando.
Sobre teu comentário muito bom e me fez pensar em muitas coisas ter a amizade de vocês aqui no Blog é muito importante.
Bjs e uma boa sexta-feira

Guto Oliveira disse...

Carlos, muito bacana esses posts sobre filmes. Cinema é muito mais que entretenimento. Lendo seu post isso fica ainda mais claro para mim. É aprendizado, crescimento, quebra de preconceitos. Fiquei feliz por ter assistido a todos os filmes até agora postados. Gostei especialmente de Filadelfia e de Sociedade... Mas os outros também são ótimos. Gosto do Tom Hanks. Vi todos os filmes dele, eu acho. Acho bacana nesses filmes todos a mudança sutil que acontece com os personagens que se deparam com o diferente e que no decorrer da narrativa vão se transformando em relação a seu sentimento sobre eles. A cena da opera de Filadelfia é belissima e emociona. A cena final de Sociedade... é um dos mais belos momentos do cinema, em minha opinião (quando os alunos sobem em cima das carteiras, para ver o mundo sob outro angulo de visão). Acho perfeito. Obrigado pela oportunidade de ler algo tão bonito. Abraços.

http://quasepoema.zip.net

Juliana Carla disse...

O DNA bateu na célula “rasgue”. Acredita que já fiz isso com alguns dos meus versos? De fato! Eles estão em nós!

E senti a-ti-tu-de lá na praça pública! Gostei!

Bjuxxx e xeroo amigo

meus instantes e momentos disse...

passando pra conhecer teu blog.
Gostei daqui.
Tenha um ótimo funal de semana.
Maurizio

CARLA FABIANE... disse...

Que nossas almas consigam alcançar a
plenitude deste final de semana
atravéz da paz e da alegria...

Um monte de beijos com ternura....

jefhcardoso disse...

Nunca assisti esse filme, também já procurei muito por ele, quem gosta dele é minha esposa-namorada, diz que até hoje foi o melhor filme que assistiu.
Preciso encontrá lo.
Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com

Angel disse...

Pessoas sensíveis gostam de filmes assim só que pessoas sensíveis costumam transpirar sensibilidade... Isso realmente se aplica a você? Pode até ser que sim. Bom, pelo menos você tem bom gosto, quer dizer, no que diz respeito a cinema.

Everson Russo disse...

Um super abraço de bom final de semana e um bom jogo pra ti...

Elaine Barnes disse...

Assisti muitas vezes. Ser o que é e assumir...Pagar o preço para não se corromper em nome do que acredita é digno de aplausos> Montão de bjs e abraços

Sueli disse...

Boa pedida! Vou tentar alugar! Beijão!