ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

quarta-feira, 9 de junho de 2010

SEMANA DO APOCALIPSE- A VIDA NÃO É UMA DROGA... MAS PODE VIRAR


( imagem google )
Fiquei pensando se falaria no tema drogas, se teria algo a ver com a ideia da semana. Cheguei à conclusão que claro que tem, é uma das coisas mais horríveis com os quais a sociedade convive, digna de fim do mundo. Não sou eu quem digo, e sim, autoridades competentes, que mais de 80% dos crimes de roubo e morte são associados às drogas. No meu tempo de juventude física, falava-se ou via-se mais só maconha. Drogas pesadas como cocaína, heroína, LSD, a gente só ouvia falar, eram difíceis, só acessíveis às classes média e alta. Hoje não, acha-se em qualquer esquina, para qualquer classe e idade. Como agravante, agora tem o crack, que é a parte que "não presta" da cocaína, é o lixo dela, ou melhor, na verdade é o lixo do lixo. Sempre fui muito respeitado pelos amigos, pois sabiam que eu era um maluquete, porém com responsabilidade. Vivia brincando, mas tratava assuntos sérios como deviam, com seriedade. Resolvia até pequenas pendências, quase sempre era para mim que pediam algumas opiniões. Sempre tive minha turminha de cinco ou seis para irmos juntos para o clube e lugares diversos. Quase sempre eram os mesmos. Só um nunca faltava. Esse saía comigo todos os dias. Não víamos diferença entre segunda-feira e domingo, qualquer dia era dia para passear. Eu chegava do trabalho, já vinha me chamar. Tomava banho rápido e saía. Quase sempre o destino era um bairro próximo. Não tão próximo, era necessário pegar ônibus. Só que a gente ia mais a pé. Voltávamos sempre de madrugada. Numa sexta-feira indo para esse bairro andando pela rodovia, estava com esse amigo. Num ponto mais escuro, tirou do bolso um pacotinho branco, abriu e me mostrou. "Você conhece?". Respondi. "Não, mas imagino... maconha". Dei uma pausa e perguntei. “Há quanto tempo você mexe com isso?”. Respondeu. “Uns dois meses, já fumei algumas vezes”. E completou. "E aí, está afim? É legal, você vai gostar". Numa mistura de surpresa, decepção e raiva, olhei para ele por um bom tempo e falei. "Se você é meu amigo nunca mais me mostre isso". Dei as costas e voltei para casa. No sábado não me procurou. No domingo, dia especial, dia de ir ao clube, também não. Fui com os outros, até perguntei por ele, mas não sabiam. Também não o vi nos arredores nem dentro do clube. Estranhei, ele nunca faltava. Na segunda-feira também não me procurou. Pensei. "Deve ter ficado com raiva de mim. Paciência". Mesmo sabendo que agi certo, lamentei a perda de um amigo. Na terça-feira chegando do trabalho, lá estava ele sentado no meio-fio frente à minha casa, como sempre fazia. Fiquei feliz de vê-lo ali. Cheguei calado e me sentei. Daí a pouco falou. "Vim lhe pedir desculpas". Respondi tranquilizando-o. "Não precisa disso, está tudo bem". Insistiu. "Precisa sim. Estou com raiva e vergonha de mim mesmo. Todo mundo é seu amigo e eu não quero ser o único a ficar de fora. A partir de hoje, não fumo mais maconha... por sua causa. Pra falar a verdade, desde sexta-feira. Aquela que lhe mostrei, joguei no mato falando para mim mesmo. Por causa dessa porcaria perdi meu amigo". Não falei muita coisa, nessas horas não cabe sermão. Disse apenas que "o colorido da vida é o colorido natural das coisas. Aquela luz é amarela, aquele pedaço de papel no chão é branco, a folhagem da árvore é verde, então não precisamos de "recursos" para ver beleza nas coisas. Pelo contrário, esses "recursos" até nos impedem de ver a beleza real delas , enganam nossas mentes, são alucinações e dão uma falsa euforia. E usar isso também para fugir dos problemas é nada mais que adiar os problemas. No outro dia, os problemas voltam e você fuma, fuma e vai ficando pior. É uma bola de neve. Você é um principiante e está fácil de parar". Fechando, falou. "Você é mesmo um amigo de verdade. Agora vá tomar banho logo que a gente já está atrasado". Perguntei. "O que tem de especial lá no bairro hoje? E ele. "Ah, tem nada... bem, tem as meninas na porta do colégio". "Esse já é um bom motivo pra gente ir. Vamos lá ver as belezas naturais delas... de cuca limpa", completei.
Vanglorio-me sim de duas coisas. Uma... que tirei pelo menos uma pessoa das drogas. Outra... é que só uso dois artifícios para ver a vida mais bela: meus óculos, porque sou míope... e minha poesia. Ando sim alucinado por aí... pela vida.

15 comentários:

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

ATENÇÃO: AINDA COM DIFICULDADES NO BLOG... MAS DE HOJE NÃO PASSA. uM ABRAÇO A TODOS.

Everson Russo disse...

A droga leva sim o ser humano ao proprio apocalipse,,,abraços amigo e um belo dia pra ti.

Sandra disse...

Passei para deixar um carinho para vc. Passe na interação de amigos.
http://sandrarandrade7.blogspot.com/
Passe lá e confira. aproveitem e leve o selinho da interação.
Um grande abraço.
Sandra
Vou te esperar.
carinhosamente,
Sandra

apaixonado disse...

Muito legal essa história cara, se cada um conseguisse tirar um amigo
dessa roubada já diminuiria bem o número de pessoas na droga. Ser amigo é isso puxar a orelha quando deve também. Eu também sou assim. Abraço cara.

paula barros disse...

Carlos,

Um texto com um tema que traz tantos problemas mas que você traz na leveza da escrita reflexões da vida, de comportamento.

abraço

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Carlos
Droga é realmente uma droga, destrói lares, sonhos e vidas acabando com os sonhos de todos que a procuram par fugir de si mesmos.
Abração

Priscila Lima disse...

a pior droga éa mente reclusa, de querer o melhor pra si, ao proximo...
mas a vida dá oportunidades basta querer...
Abraço.

Guida Rosa disse...

Terminou o século vinte
Com o Mundo em confusão
E entrámos no seguinte
Com a mesma apreensão.
O Apocalipse está
A cumprir as profecias
Avisos com que nos dá
Um sinal do fim dos dias !...

abraços querido.

Joe B. disse...

Senti saudade de suas palavras, é um prazer estar de volta.

Pena disse...

Fabuloso e Admirável Amigo:
Ainda bem que recusou e mostrou a autêntica Cidadania e respeito.
Drogas? Jamais.
É isso que fez e que serve de exemplo às gerações futuras.
Uma atitude, num conjunto de atitudes, de um exemplar e perfeito Estar/Ser e Sentir.
Parabéns sinceros.
Magistral. Adorei.
MUITO OBRIGADO pela sua preciosa amizade que é recíproca.
Abraço forte de respeito.
Com admiração constante pelo seu talento imenso. SEMPRE!

pena

Bem-Haja, pela sua atitude de profunda admiração numa pessoa íntegra, solidária, plena e perfeita.
É fabuloso, amigo.

Machado de Carlos disse...

Parabéns pelo assunto e também pelas entrelinhas do texto. Espero não perder o amigo, heim? – (Risos!...)

Pelos caminhos da vida. disse...

A droga é uma DROGA, um post dentro da realidade amigo.

beijooo.

Impulsiva disse...

Caramba, que história!!!!

Que legal sua atitude, mais ainda a do seu amigo, que, por uma amizade, desistiu de seguir com a besteira que estava fazendo, poucos fazem isso, você sabe. Bom saber que as pessoas são sim influenciáveis, mas não só para coisas ruins.

Só quem já viu uma vida ou uma família sendo aos poucos destruída pelas drogas pode avaliar o tamanho desta tua atitude. Graças a Deus este problema não invadiu a minha casa, mas sei de muitas que convivem com as drogas.

É mesmo aquilo que já é clichê, mas é a mais pura verdade, é muito fácil começar, difícil de verdade é sair do buraco que ela pode levar uma pessoa.

Ótimo post poeta, adorei o final, muito fofo:

"só uso dois artifícios para ver a vida mais bela: meus óculos, porque sou míope... e minha poesia. Ando sim alucinado por aí... pela vida."


Só você mesmo...

(Também sou míope, rsrsrsrs)

Beijos,
Kenia.

"Cantinho Poético" disse...

Tudo de simples e lindo que eu vejo
me faz lembrar voce...
Porque a tua humildade
reflete a beleza que trazes n'alma.

Denise Flor©

Belos sonhos e beijos meus!! M@ria

Rita Contreiras disse...

Carlos, que texto tocante!Como a verdade é simples, sem artifícios e linda! a mentira precisa de tantos adornos pra convencer que é uma verdade...Atitudes tão autênticas e revestidas de afeto são tão poderosas!Tenho um motivo muito íntimo e especial pra estar bem tocada pelo que li e peço permissão para copiar seu texto para dar para alguém que muito amo. Grande abraço.