ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

terça-feira, 1 de junho de 2010

O MENINO E O PASSARINHO


O menino é um passarinho que adora voar.
Brinca aqui, brinca ali, cumprimenta anjos e querubins.
O passarinho é um menino que adora brincar.
Pousa aqui, pousa ali, alegra praças e jardins. Experimenta perfumes.
Mas ambos têm os mesmos queixumes;
Incompreendidos são no direito de sonhar.
O passarinho quer horizontes, o menino também
só podem ver o sol atrás dos montes se voarem mais além.
Para quê essas gaiolas que limitam planos e sonhos
se a vida é uma grande feira?
E essas palavras que matam mais que atiradeiras?
Pergunta o passarinho: Para quê um horizonte azul assim
se não é feito para mim?
Pergunta o menino: Para quê essa rua se há uma cancela no fim?
Ainda bem que o menino e o passarinho têm uma vantagem
ambos não desanimam da viagem pelo grande jardim da vida
e fazem dela uma bela avenida.
Gaiolas rompem com o peito
palavras superam com jeito e as jogam no pó.
Entendem-se tanto que até parecem um só
no desejo de brincar.
-Vamos, menino. Suba em minhas asas,
nada nos impede de voar.
Deixemos lá embaixo a arrogância, a intolerância e a mediocridade,
quem nos fere com palavras não conhece a liberdade...
a verdadeira liberdade... de sonhos fartos... amar, brincar,
dormem nos mesmos quartos, vestem a roupa da mesmice
a vida de quem não ousa, é uma tolice.
- Vamos sim, passarinho. Aqui não podemos ficar.
Nossas asas são blindadas
palavras não nos podem derrubar.

26 comentários:

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Amigos, não ando muito inspirado. Acho que a parada me enferrujou um pouco. Um abraço a todos

Sandra Botelho disse...

Imagina se estivesse inspirado...
Menino passarinho...É vc neh?
Lindo demais viu.
Bjos achocolatados

Priscila Lima disse...

ahh... mosdesto vc hem amigo...
sabe, as palavras as vezes pra nós mesmo não faz muito efeito mas pros outros são de muita inspiração.
a poesia está com vc em cala clic do teclado do seu Pc, amigo ela está em você, acredite nela e vc vai ve-la cada vez mais!


Adorei a fotoe essa parte

"-Vamos, menino. Suba em minhas asas,
nada nos impede de voar.
Deixemos lá embaixo a arrogância, a intolerância e a mediocridade,
quem nos fere com palavras não conhece a liberdade..."
quem sabe poderemos subir nas asas da pureza das palavras...
Abraço.

claudete disse...

Bela analogia...o menino é você o passarinho c´est la vie. Abraços.

Fatima disse...

Que lindeza Carlos!
Bjs.

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Obrigado,Sandra.É... acho que sou. Beijos
///
Valeu, Priscila. Se toco nas pessoas etão a poesia foi boa.Beijos
///
Ei,Claudete. Como disse à Sandra, acho que sou.Beijos
///
Valeu, grande Fá. Beijos

IT disse...

Carlos Soares,

A poesia, assim como os passarinhos fazem estripulias no jardim de nossa existência.
Pulam aqui, ali, saltitam acolá.
beijam flores,fogem de atiradeiras e, brincam até com borboletas...

Mas nunca param de "voar" preferem correr riscos,que parar de brincar.
Nada impede de parar de voar.
Voe passarinho.

Bom retorno!

IT

Elaine Barnes disse...

Ter asas blindadas. Esse passarinho sabe tudo!A sabedoria de usar a liberdade com respeito aos sonhos e ir até eles com humildade. Não é preciso arrogancia,prepôtencia e mediocridade,esses sim tem o peito engailodado. Um adendo a rotina saudável de amar. Uma maravilha o texto e muitísimo inspirado. Eu amei! Montão de bjs e abraços

Anne Lieri disse...

Carlos,mesmo se dizendo pouco inspirado escreveu um belo texto/poema!As palavras que ouvimos nos desmoronam um pouco,ás vezes,mas não podemos nos deixar abater.Lindo o sonho do passarinho e do menino!Me inspirou uma poesia!Abraços,

Chica disse...

Isso é estar sem inspiração???Uma linda conversa com esse passarinho que sabe das copisas como andam aqui por baixo.Lá em cima é melhor, com certeza, voando...abração,tudo de bom,chica

Wanderley Elian Lima disse...

Crianças, pássaros, homens, animais, não nasceram para jaulas nem gaiolas. Nascemos livres e deveríamos sermos para sempre.
Grande abraço

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Oi,Irlene. Gosto também de borboletas, mas algumas são fujonas rs rs. Não deixam a gente pegar. E essa imagem qe acompanha a postagem é linda,né? Sabe que me inspiroua fazewr um poema falando de borboleta?Acho elas tão singelas. E enfeitam o céu da gente.Obrigado. Beijos
///
Pôxa. Eu, inspirando Anne Lieri? Que honra, gente. Beijos, Anne
///
Obrigado e parabéns, Elaine pela percepção das coisas. Beijos
///
Chica, sinceramente pensei se postava, mas vendo pessoas como você, elogiar, me sinto verdadeiramente como um passarinho. No céu. Beijos

Impulsiva disse...

Não anda inspirado????
Minha nossa, e o que é que eu acabei de ler????


"Para quê essas gaiolas que limitam planos e sonhos se a vida é uma grande feira?"

Meu querido, isso é muito mais que poesia, é filosofia, aliás, em se tratando disso você mandou muito bem do começo ao fim do poema!!!!!

Parabéns!!!!!
Saudades imensas daqui!

Beijos,
Kenia.

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Obrigado,Kênia. Muito bom ler palavras assim, depois da gente ouvir umas ruins .Beijos

Machado de Carlos disse...

Vejo-me um menino que caminhava sozinho nos cafezais do Paraná. Naquele tempo ainda havia uma parte do sertão. Gostava de ouvir os pássaros, mas tinha medo do saci. Falavam muito em saci. Criança tem muita imaginação. Qualquer mentira se torna verdade. No entanto os pássaros não mentem e o menino se transforma... Seria bom que o tempo parasse!...

Edna Lima disse...

Liberdade menino! Muita liberdade!
Mesmo que estejamos presos na gaiola dos nosso cotidiano.
Há!!!
"Acho que aquele amigo lá do post do meu blog é seu vizinho."
kkkkkk ". Grande bj conterrâneo. Edna

Sonhadora disse...

Meu querido Carlos
Adorei suas palavras...lindas e muita inspiração neste texto.

Beijinhos
Sonhadora

mARa disse...

Olá, Lindo o que escreveu, liberdade,brincadeiras e sonhos na asa da imaginação, fica assim lindo,leve e solto, brincadeira de criança.

Beijokas, estamos ambos sumidos. rsssss...é o frio, acho...

IT disse...

...Sim Carlos, esta imagem do passarinho, é linda...muito linda!
e,certamente quem a fotografou já imaginavas bem, quem a iria apreciar.
Certamente.

Parabéns! ao menino poeta.

Felina Mulher disse...

Olá meu passarinho predileto.. Tu não imaginas como te compreendo, tenho andando mais ao menos com o mesmo dilema, a vida é assim mesmo, é feita de mudanças, de começos, de fins e de até jás.. eu prefiro este último... que você voe livre, sem rumo certo, mas que volte sempre aquela praia tão especial..
Eu adorei o texto sem inspiração...kkkk....se a minha falta de inspiração chegasse pelo menos perto da sua, já estaria de bom agrado.

Um beijo moço...linda noite de sonhos.
P.S: Se precisares de um anti-ferrugem, acho que ainda tenho um restinho por cá.

Rosa dos Ventos disse...

Às crianças tudo é permitido, até imitarem os pássaros no seu voo!

Abraço

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Lindo, Poeta Carlos ! Adorei*


Descobri que te amo demais

Descobri em você minha paz

Descobri sem querer a vida

Verdade!...

Prá ganhar teu amor fiz mandinga

Fui a ginga de um bom capoeira

Dei rasteira na sua emoção

Com o seu coração fiz zueira...

Fui a beira do rio e você

Com uma ceia com pão

Vinho e flor

Uma luz prá guiar sua estrada

A entrega perfeita do amor

Verdade!...

Descobri que te amo demais

Descobri em você minha paz

Descobri sem querer a vida

Verdade!

Como negar essa linda emoção

Que tanto bem fez pro meu coração

E a minha paixão adormecida...

Meu amor, meu amor, incendeia

Nossa cama parece uma teia

Teu olhar uma luz que clareia

Meu caminho tal qual, lua cheia...

Eu nem posso pensar te perder

Ai de mim esse amor terminar

Sem você minha felicidade

Morreria de tanto penar

Verdade!...

Beijos*********
Bom Dia!

Cristina disse...

Lindo poema, no dia mais importante do ano: o dia da criança.
Gostei da analogia feita, entre o menino e o passarinho.
Parabéns!

Everson Russo disse...

Um dia esse menino e esse passarinho descobrirão que o limite dos sonhos é infinito,,,que o caminho não tem fim,,,,que tudo beira ao impossivel,,,a felicidade e o amor,,,abraços fraternos de belo dia pra ti amigo.

Secreta disse...

A força que todos os "meninos" precisam sentir!
Beijito.

Majoli disse...

Desculpe a demora em vir Carlos, estava "fora do ar", mas não consigo e não vale a pena ficar longe de vocês.

O Menino e o Passarinho, ah me deu vontade de voar, mesmo em pensamentos, levando comigo o sabor da liberdade, da segurança e da credibilidade.

Ando precisando alçar lindos vôos, se faz necessário.

Beijos meu querido amigo.