ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

quarta-feira, 16 de junho de 2010

SEMANA DA AMIZADE- AQUELA RUA


( imagem sacrahome.com.br- google )
Aos que já conhecem alguns poemas dessa semana, peço desculpas, mas faz-se necessário, até mesmo para os novos amigos do blog conhecerem. É que estou postando poemas direcionados a amigos. Esse de hoje, lembrando assim rapidamente, está com meu irmão em Vitória e com um amigo na Austrália, além de minha irmãs e sobrinhas que são corujas de mim. Todos são unânimes de dizerem que retratei com fidelidade a nossa rua e nossa infância. Rua Vital Brasil. Aquela rua.
///////////////////

Outro dia vi uma reportagem na tv que me deixou meio pensativo. Um grupo de moradores em Brasília fez um abaixo assinado ( e ganharam) contra o sino da igreja que toca as badaladas conforme as horas, por exemplo, cinco horas, cinco badaladas. Mesmo respeitando o limite máximo das dez da noite, conforme a lei do silêncio, os moradores entenderam que o sino perturbava. Pôxa, será que um sino de igreja perturba assim? A gente é perturbado com tanta coisa, ou devia, e não está nem aí.
Tem tanta coisa mais importante para a gente brigar como, segurança educação e saúde nesse país. Bem, direito deles de se sentirem perturbados e afinal o juiz deu ganho de causa. Uma coisa posso dizer. Nem esses moradores, nem esse juiz, são poetas. Aí que está. Quando visito meu ex bairro, uma coisa que acho bem legal é que a igreja ainda toca o sino de hora em hora como quando eu era criança. O bairro está todo mudado, poucos amigos moram lá ainda, mas o sino ainda está lá e isso me traz gostosa saudade, me vejo de novo correndo atrás da bola no meio da gritaria. Por quem os sinos dobram? Dobram por aqueles que os ouvem. Para aqueles que os merecem.
////////////
AQUELA RUA

Nunca mais aquela rua
de jogo de bola na esquina,
de botões na calçada,
de onde a garotada olhava as meninas,
respeitava as senhoras, cumprimentava os senhores.
Passavam peões e doutores, mas, a rua era só nossa
a gritaria misturava noite e dia.
Nunca mais aquela rua de onde se ouvia o sino da igreja,
respeitando o senhor tempo.
Só que o tempo para o menino não é nada;
ele faz dele o que quer,
como faz com a bola no pé.
As mães, penteando os cabelos da meninada,
preparando o almoço, preparando para a escola, preparando para a vida.
Ah! O tempo...
o tempo é covarde, e às vezes arde a vontade de voltar,
mas,o tempo não é mais como a bola
que se faz o que quer com ela no pé.
É o senhor tempo!
Vez em quando volto lá. A rua ainda está lá...
mas, não é mais "aquela " rua.

19 comentários:

Kotta1947 disse...

Na minha terra também se ouve o sino em dias de festa ou quando chamam o povo para as cerimónias religiosas, funebres etc.
Mas agora vou-lhe dizer, há poluição sonora quando são ligados electricamente aí meu amigo não há quem consiga dormir nem na aldeia ou arredores, tocam os quartos, meias e horas é horrível. Cumprs.

Elaine Barnes disse...

Quem viveu intensamente a infância teve o privilégio de ter boas lembranças. As brincadeiras mais inocentes e as amizades que ultrapassaram o tempo. Construção sólida de seres humanos que puderam viver cada etapa,cada fase com a liberdade dos pés no chão.
Tempo bom! Lindo! Montão de bjs e abraços

Everson Russo disse...

Quem não tem essa rua na vida? eu tenho, igualzinho a contata,,,,futebol, gente passando, pessoas que se conhecem e se respeitam,,ou respeitavam,,,foi uma epoca boa que nao volta mais,,,abraços amigo e um dia cheio de paz.

Sandra disse...

que lindo mesmo...
nossa quanta saudade daqui!
tenha um bom dia, beijos no coração

Chica disse...

Tudo lindo e esas lembranças nos contagiam...abração,chica

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Carlos
Da rua da vinha vida( nasci e fui criado lá), não resta mais nada, só as lembranças, a saudade, e umas poucas fotos amareladas pelo tempo.
Grande abraço

Edna Lima disse...

Na cidadezinha em que eu morava aí Minas o sino também tocava. Nunca mais morei perto de alguma igreja onde os sinos tocam. Grande bj amigo. Edna.

Marliborges disse...

Olá amigo Carlos,(eu tbm sou Soares, sabia?)
Se o sino pára de bater as 22h, tudo bem, não há do que se queixar. Do contrário, nem entro no mérito, só quem está lá para saber. As recordações de nossa infância são muito doces, mas naquele tempo a gente, se quisesse poderia passar o tempo dormindo. Também lembro na minha infância do sino da igreja. Que saudades. Mas à noite não lembro, eu tinha um sono pesadoooo! Nada me acordava. Beijo grande. Sabes, eu tenho um sino (desses da imagem), aqui no meu sítio, a gente usa como um código. Bjsssss

Mariana disse...

Este poema eu não conhecia.
Faz muito tempo q não escuto o sino da igreja.

Rosa dos Ventos disse...

Tudo muda e nós também!
Belo poema...
Gosto de ouvir os sinos a tocar, vivo numa terra onde se ouvem constantemente.
Só não gosto quando os sinos dobram por alguém...

Abraço

lusibero disse...

Carlos: adorei este seu post e o poema subsequente!O sino da minha aldeia toca sempre toca até aos quartosde hora...Enós habituámo-nos, de tal modo, ao toque do nosso sino, que sentimos a sua falta ,quando ele não está bem.
CReio, aliás, que não há poeta que esqueça o toque do sino da sua aldeia... Ele representa a Vida da aldeia!
FERNANDO PESSOA, POR EXEMPLO, Diz:
"Ó sino da minha aldeia/
Dolente na tarde calma/Cada tua badalada,/Cabe dentro da minh'alma(...)
BEIJO DE
LUSIBERO

Pelos caminhos da vida. disse...

Seu post me trouxe gdes lembranças da minha terra, lá o sino badala avisando o horário da missa, hum...que saudades...

Essa Semana da Amizade está um SHOW.

beijooo.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Aquela Rua que está/é porque um poema deste só pode ser escrito por quem vivencia cada momento intensamente da própria história cujo trilho *corre percorre recorre* a cada dia. O sino é a sua memória, não egocêntrica, mas solidária******
Admirável, Carlos!
Obrigada por + esta, amigo!

*Trouxe o sol à poesia
mas como trazê-lo ao dia?

No papel mineral
qualquer geometria
fecunda a pura flora
que o pensamento cria.

Ora, no rosto que, grave
riso súbito abria,
no andar decidido
que os longes media,

na calma segurança
de quem tudo sabia,
no contacto das coisas
que apenas coisas via,

nova espécie de sol
eu, sem contar, descobria:
não a claridade imóvel
da praia ao meio-dia,

de aérea arquitetura
ou de pura poesia:
mas o oculto calor
que as coisas todas cria.

João Cabral de Melo Neto*

Um beijo*******
Boa Noite****
Renata

Li tudo***********

AFRICA EM POESIA disse...

Carlos com futebol também se sente a ...AMIZADE.

BOLA REDONDA



Bola...
Que é apenas...
O delírio...
Da pequenada...
E também dos adultos...

Uma bola...
Uma simples bola...
Transforma...
Os homens...
Movimenta...
O mundo...

Pobres...
E ricos...
Sentem...
Que bola...
É alegria...
E divertimento...

E a bola...
Que joga...
Que rola...
Que faz rir...
E faz chorar...

Consegue...
Esquecer...
Horas más...
E fazer...
A união...
De um Povo!...

LILI LARANJO

Natália Ferreira disse...

" o tempo é covarde"

não posso deixar de comentar sobre o sino , acho que deve ser uma merda ( me desculpe a expressão) acho não , na verdade concerteza deve ser horrivel um sino as 1 hora da manha auto no ouvido de quem quer que seja acredito tambem que se não fosse encomodo niguem iria reclamar e essa abaixo assinado não iria passar ; bom eu num sei bem que significansia temm sino na igreja mas seja la o que for eu não sou mt chegada não ; um beijo meu querido adoro ler-te

marcia. disse...

vim agradecer a tua visita mais volto pra comentar ok ,marcia!

claudete disse...

Pois é Carlos, o sino badalar é típico das cidades interioranas e nas capitais onde o significado cristão está bem presente na população. Hoje, que moro na Capital, ao meio dia e às seis da tarde ouço do 6º andar do prédio onde trabalho o sino de uma Igreja distante e sempre paro o que estou fazendo ,pois sou remetida às lembranças da minha cidade. Acho que algumas pessoas estão perdendo ou nunca tiveram este tipo de sensibilidade...infelizmente. Abração.

Juliana Carla disse...

********************************************
Boa noite Carlos!

Por toda sua ternura no BRAILLE DA ALMA, lhe ofereço cinco opções de mimo. É só escolher e trazer para o seu cantinho. Se preferir pegar todos... Bom, fique a vontade! Você merece pela beleza do seu trabalho!

Eles estão no canto direito da página ou neste link:
http://brailledalmamimos.blogspot.com/

Mimos em questão:

*** "Prêmio Dardos" (dobradinha)
*** "Prêmio Blog original"
*** "Selo Meme"
*** "Melhores Blogs Culturais do Brasil"

Bjuxxx e xerooo querido amigo.

Juliana Carla
brailledalma.blogspot.com

********************************************

Majoli disse...

"Aquela Rua", me fez lembrar da minha rua, lá em Cachoeira Paulista...o sino da igreja que ainda tem suas badaladas a cada hora inteira e um badalo único na hora e meia...minha mãe a arrumar os meus cabelos, fazendo tranças...ou maria chiquinha...rsrs.

Você é um poeta que encanta meu amigo.
Gosto quando aqui venho e derramo algumas lágrimas de felicidade, pelo menos assim esqueço um pouco da minha tristeza, do meu desencanto.

Beijos meu amigo.