ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

sexta-feira, 11 de junho de 2010

SEMANA DO APOCALIPSE- O HOMEM SEM ROSTO


( imagem pedraapedra.weblog.com.pt)

Uns diziam que era lenda, outros, que era verdade. No alto das montanhas, embrenhado na floresta, morava um homem. Alguns dos poucos que conseguiam vê-lo, diziam que já era velho, de barbas longas, cabelos brancos nos ombros. Outros contradiziam que era ainda bem jovem. Uns terceiros diziam que tinha o poder de alterar sua forma, ora velho, ora jovem. Como saber ao certo, algo de um homem que ninguém conhecia ou entendia? Que vivia entre a lenda e a verdade? Aquele homem não tinha rosto. Ninguém sabia como era seu rosto, fugia sempre que percebia a presença de alguém. Aquele homem não tinha olhos, diziam alguns que conseguiam encará-lo. Aquele homem não tinha voz, jamais respondia a um chamado escondido no matagal. Diziam que falava só com os bichos e plantas. Claro, esse era seu habitat escolhido. E eu, que sempre gostei de lendas e verdades resolvi galgar aquelas montanhas, correr os riscos se eles houvessem. Eu precisava saber daquele homem, o que faz um homem se refugiar do mundo, da vida, dos amigos. Imaginei que ele fugiria de mim como fugia de todos que se aproximavam. Acontece que eu também tenho poderes, também falo com plantas e bichos, e sentado debaixo de uma árvore, cansado, perguntei a um passarinho como eu faria pra conversar com o homem. "Diga a ele que sou poeta", argumentei. O passarinho decolou do meu ombro e voou montanha acima. Voltou minutos depois com gestos para segui-lo. A caminhada não foi tão longa. Quando cheguei, lá estava ele, sentado à porta de uma gruta. Não olhou para mim e por mais que me esforçasse, não consegui decifrar seu rosto. Realmente, aquele era um homem sem rosto. Tentei falar, perguntei seu nome, mas nada de responder. O homem não tinha voz. O passarinho, um beija-flor pairando no ar, era sua ponte, seu portavoz e me disse. "Ele está dizendo que resolveu falar com você, porque você é poeta e só quem tem o dom de falar com os bichos, pode entendê-lo". Fiquei feliz com o crédito que me foi dado. Rompi a indecisão se devia ou não perguntar, acabei perguntando, afinal era para isso que fui ali. "Por que ele vive aqui? Isolado de tudo e de todos?". Senti que o passarinho ficou triste de repente e pairando bem à minha frente, respondeu. "Foi desengano de amor. Alguém mandou que ele sumisse e ele sumiu. Era o centro da vida de alguém e quando esse alguém mandou que sumisse, ele entendeu que nada mais faria sentido. Disse que a gente se prepara para ser o centro de alguém, mas não se prepara para ficar sem essa pessoa, porque essa pessoa também passa a ser o centro da gente. E então a gente fica oco, vazio. Amor tem que ser por igual. O sentimento é uma balança, muitas vezes, não muito justa, pende só para um lado". Tentei falar e perguntar mais coisas, mas o homem se levantou e entrou para a gruta. Não precisava mesmo dizer mais nada. Eu já havia entendido. Aquele homem não tinha rosto... aquele homem não tinha voz... porque não tinha amor.
Acordei, debrucei-me na janela e fiquei pensando nos seres humanos, até que a lua me desse um "tiau, volto amanhã" e o sol me desse um "olá, bom dia", e respirei aliviado... porque o amor está em mim. Ao contrário do eremita, não deixo que meu amor se vá com as pessoas, porque esse amor é meu. Podem matar o amor vivido no momento, dentro de si, mas não a minha capacidade de amar, pois essa minha capacidade de amar não vai embora porque as pessoas se vão. Tolas são as pessoas que se vão. Lembro-me de uma música antiga que gostava muito. "Se o amor é meu, se o coração é meu, de mão beijada entrego a quem quiser". Entendo a vida como um ciclo e aceito perfeitamente, sabiamente, poeticamente e sei que depois de cada apocalipse há uma gênesis. A semente morre para germinar. Depois da tempestade vem a bonança e o arco-íris é o reflexo e comprovação disso. Um passarinho, muito parecido com o do sonho, me diz que a vida é bela.
///////
Amanhã encerro minha semana do apocalipse. Esse texto não estava previsto para hoje, mas não podia deixar de contar mais esse sonho maluco

16 comentários:

Priscila Lima disse...

Nossa que curioso!
Adorei
Abraço.

Pelos caminhos da vida. disse...

Interessante essa lenda.

Um gde abraço amigo.

beijooo.

Everson Russo disse...

Lendas...rs..rs...sempre boas e intrigantes...será que sim,,,sera que não? abraços de otimo final de semana.

José disse...

ó Carlos, acho que não é um sonho maluco, há um passarinho que é um beija flor, há um poeta, e há coisas que só os poetas conseguem entender.
Podia ainda dizer tantas coisas mais mas fico por aqui.

Um abraço,
José.

Eduardo Medeiros disse...

Carlos, tua frase

"pois essa minha capacidade de amar não vai embora porque as pessoas se vão."

resume bem este teu belo sonho!

abraços

Anne Lieri disse...

Um sonho maluco,mas muito bonito!Não deixar que levem esse amor que existe em seu peito é uma grande escolha!Devemos sempre guardar em nós o amor para distribuir por aí!Lindo texto!Abraços,

garoto cientista disse...

Gostaria de lhe pedir um favor, foi postado em meu blog “ternura e intimidade” um comentário não muito agradável, decidi por não apaga-lo, acho que pode ser útil, deixei meu comentário, gostaria que comentasse também. Obrigado e desculpe o incomodo.

claudete disse...

Não amigo Carlos, não é uma lenda sem aplicabilidade...saiba que a cada segundo ,nos seres vivos , inclusive nos humanos, as células "morrem" para darem origem às células novas em alguns órgãos. Ou seja ,o estado de renovação acontece sempre independente da morte...Se trouxermos este exemplo da natureza biológica para nossa vida com certeza deixaremos de ver a morte como um fim...é sempre um recomeço. Bela postagem.

Edna Lima disse...

Um passarinho, um arco-iris e um poeta.Mistura perfeita.! Grande bj conterrâneo. Edna

Bia Maia disse...

Gosto demais de lendas, ainda mais as intrigantes...

beijos cheios de amor próprio..rsrsrsrs!Doce amor próprio!

Bia

IT disse...

Sonho de poeta é diferente.
Ascende,transcende e recebem "insigths"

Sabe, Menino beija flor!
os sonhos do poeta,são estrelas cadentes que brilham no solo fértil da mente.
Continue! A VIDA É BELA.

E....

"Sonhar é o melhor de tudo
E muito melhor do que nada!"

Beijos com admiração.

IT

Pelos caminhos da vida. disse...

Se você tem alguém especial;
ame-a com todas as foças,
não deixe pequenas coisas interromperem sua felicidade,


Se você tem alguém especial;
Diga a ela que você a ama,
que sente sua falta quando longe ela está,
que você se sente bem com a voz e alegria dela.

Se você tem alguém especial;
neste dia diga isso, faça isso, mesmo que por um dia, seja e faça alguém se sentir especial.

Feliz Dia dos Namorados!

Fim de semana iluminado.

beijooo.

Valvesta disse...

Carlos amado, voltarei pra ler toda a semana de apocalipse, quero entender desde o inicio, hoje a net esta de tartaruga e caindo...
deixo aqui meu agradecimento por sua visita, e desejo que teu fim de semana seja tudo de bom, abraços no coração.

Úrsula Avner disse...

Olá poeta, os sonhos são mesmo assim, envoltos de mistério que vamos tentando decifrar ou simplesmente transformamos em escrita... Um abraço amigo.

Luciana disse...

Oi Carlos

Tudo bem contigo?

Um ótimo fim de semana

Bjs

Sonhadora disse...

Carlos
Como sempre muito bem contadas as suas histórias, gostei muito desta lenda.

Beijinhos
Sonhadora