ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

BONITINHOS, MAS ORDINÁRIOS


( imagem google - cinema.com)
Quando a gente é adolescente ( aborrescente ), fica doido para fazer dezoito anos. Para ter algumas vantagens, como se houvessem só vantagens em ser adulto. Algumas das supostas vantagens são, chegar mais tarde em casa e ter acesso a lugares e filmes proibidos. Até os anos 80, 70% dos filmes brasileiros eram eróticos. Vez ou outra aparecia um “Lúcio Flávio, o passageiro da agonia”. “Quem matou Lúcio Flávio?”. “Pixote”. “Terra em transe”. Não tinha jeito, maioria esmagadora, era de eróticos. Nelson Rodrigues tinha presença muito forte no cinema nacional. E tem ainda. Soube falar de sexo e das vontades femininas como ninguém. Ainda bem, como ele mesmo dizia, que “toda unanimidade é burra”, então se fazia filmes com outros conteúdos também.
Meu amigo Marquinhos dizia que gostava de mim, porque tirando confusão, o resto eu topava tudo. Nem tudo, sabia de meus limites. Esse caso não foi com ele, foi com outro amigo... Luís. Era tapadão, parecia que tinha um certo desvio mental, mas gente boa que só ele. Grande coração, gostava de ajudar as pessoas. Fazia muitos bicos, nunca ficava sem dinheiro.
O filme em cartaz era: “Bonitinha, mas ordinária”. Com um título tão chamativo, ficamos doidos para ver, mas éramos menores. Eu tinha quase dezessete. Ele dezessete e pouco. Como íamos entrar? Aí entrou minha “criatividade”. Será?. Tive ideia de pegar lápis creon, não sei se nome está correto, nem se existe ainda, que minhas irmãs usavam para colorir as pálpebras. Para desenhar um bigode visando parecer mais velho. Fiz um bigodinho bem cínico, safado mesmo, tipo cantor de bolero. Luís faria em sua casa. Eu já tínha ralo bigodinho, era preciso só sombrear mais. Sabendo que ela era muito sonso, avisei. “Não vá dar ‘oreiada’ lá. Na porta do cinema, fique calado, fique atrás de mim.Deixe só eu falar. Tudo que eu falar, você concorda”. E fomos ver “a gostosa da Lucélia Santos”( ele falava assim). Andamos um bom pedaço sob chuva fina. Tudo era diversão. Chegamos , compramos os ingressos e fomos para a fila. Ficamos fazendo tipo, estufando o peito, tentando crescer, sérios. Quando chegou minha vez, o porteiro, negão forte, me olhou de cima pra baixo, no princípio sério, mas fui notando um certo sorriso querendo sair dele. Perguntou. “Quantos anos você tem?”. Quase sem ar de tanto estufar o peito, respondi. “Dezoito anos e dois meses”. “Hummmm....”, desconfiou. “E cadê os documentos?”. Despistando, enfiei a mãos nos bolsos procurando e levei a mão à testa. “Pôxa, você não imagina o que aconteceu. Cheguei agora do trabalho, tomei banho rápido pra não perder o filme, acabei deixando na outra calça. Mas pode acreditar. Eu tenho dezoito sim”. Olhou para Luís atrás de mim e perguntou. “E você... esqueceu os documentos também?”. O tonto respondeu exatamente assim. “Sim. Mesmo motivo dele. Tudo que ele falar aí eu concordo”. “Aiiiii... essa doeu”, pensei. O pessoal da fila já estava impaciente. “Ô anda logo aí, estamos na chuva”. O porteiro pensou um pouco, franziu a testa e acabou sendo camarada, irresponsável, mas camarada e disse baixinho, entre os dentes. “Vou quebrar o galho”. E rindo concluiu. “Entra logo que seu bigode está derretendo”. Enquanto recolhia as entradas, comentou para uma moça que estava atrás, rindo de tudo. “Essa molecada está cada vez mais sem vergonha”. “Com certeza....bonitinhos, mas ordinários”, completou a moça, inteligentemente, em trocadilho com o nome do filme.
Fomos direto ao banheiro lavar os bigodes. Foi aí que vi direito o rosto do meu amigo. Luís estava parecendo um vampiro, com aquele cabelo atrapalhado, molhado e a boca toda roxa, além de ter olhos esbugalhados. Não sabia se ria ou brigava.. “Caramba. Você foi usar logo lápis roxo?”. Sempre num jeito aéreo, simples e inconsequente de falar, abriu os braços. “Ora, era o que eu tinha, né? Estressa não, amigão. Importante é que nós entramos e vamos ver a gostosa da Lucélia Santos”. Falava de um jeito engraçado só para me fazer rir.
O filme Debbye&Lloyd, só saiu muito depois, mas se fosse na época, seríamos uma boa dupla para o filme. Meu amigo ganharia o Oscar.

OBS: Aproveitando, Jim Carrey é um artista sensacional. Gosto muito dele
//////

(amigos talvez nesse final de semana não os visite como eu gostaria e merecem, mas darei um jeitinho de passar rapidinho nos blogs. Como sabem estarei em Vitória. Acho que dou dar L.E.R, de tanto operar churrasqueira. Comentem `a vontade que eu gosto. Um abraço a todos e tenham um grande e poético final de semana

23 comentários:

Miragem disse...

Bom dia meu AMIGO Carlos!!!

Sua poesia esta postada...
Agradeço muito por ter aceitado essa parceria...
Você é especial...
Depois volto para comentar o texto...
Bjks...
Chrys
;)

(Carlos Soares) disse...

Obrigado Chrys. Com prazer e obrigado por me chaamar.bjs

FERNANDA & POEMAS disse...

OLÁ CARLOS, GOSTEI MUITO DO TEU TEXTO... LINDO!!!
VOTOS DE BOM FIM DE SEMANA. ABRAÇOS DE CARINHO,
FERNANDINHA

Everson Russo disse...

E qual voce seria exatamente, o Debi ou o Loide? rs..rs..rs..interessante, eu falo sempre com o meu amigo e poeta Blue, penso que voce deve conhece lo,se não, dá uma passainha lá, tem o link dele nos coments do Livro, digo que ele sempre escreve algo relacionado a solidão, amor, falta dele,muito parecidos comigo, e voce, interessantemente, sempre com suas historias que vagueiam o meu mundo tambem, imagina,essa de hoje me remeteu aos meus 15 pra 16 anos, eu tenho um primo, um ano mais velho, e eram hilarias nossas sagas aos locais proibidos...rs..rs..rs..tinhamos uma vantagem, bom, a epoca era vantagem, eu já tinha barba nessa idade, o que facilitava o parecer mais velho...rs..rs..rs...ainda assim, os dois debiloides tiravam xerox da identidade, e usavamos apenas um determinado numero a epoca pra que a idade se acertasse aos 18 anos exigidos, e isso foi até completar os tais anos, e te digo mais, entre cinemas de filmes e até alguns com shows ao vivo, fomos barrados no baile uma vez só...rs..rs..rs...penso que o gostoso era a ansiedade de não ter certeza se conseguiriamos ou nao burlar a lei...rs..rs..rs...e ao completar 18 anos, perdemos completamente o prazer em tais loucuras, dái já era bem melhor ir pro corpo a corpo...rs..rs..rs...lembro me direitinho do primeiro filme visto, não vou colocar o nome aqui por que nao seria legal...rs..rs..rs...mas depois com a chegada do já obsoleto video cassete, tambem facilitou a vida dos delinquentes...rs..rs..rs..rs...forte abraço meu querido, tenha um belo final de semana...

p.s. e quanto a sua pergunta no Livro, realmente o post de ontem foi um momento triste, ando meio assim, mas tá tudo legal...obrigado pela preocupaçao...logo passa....abraços...

(Carlos Soares) disse...

Prezado Everson. Isso que é sintonia. Eu pensei: aposto que o Everson vai perguntar quem era o Debi e quem era o Loyd. Não deu outra. No próprio filme eu também não sei agora quem é quem, mas entre nós o mais tapado era ele. Esse cara está no Tocantins,dizem que estava ganhando dinheiro para caramba.Pensando bem, acho que o tapado era eu. Aventuras como essas,suas e minhas, são ótimas, a gente divertia sem dinheiro. Tenho um amigo,Marcelo, hoje na Austrália, que a gente ia ao centro só pra descer pela porta de trás,sem pagar. Se pegassem a gente,a gente pagaria.Nunca pegaram.Um dia ele me desafiou: "Hoje não vamos levar dinheiro pra ficar mais emocionante". Quase nos demos mal, o motorista prendeu ele na porta, mas ele muito forte conseguiu abrir e pular. Tambem foi a última vez. Um abraço

Anita "Menina-Flor-Mulher" disse...

Bom dia meu AMOR!

Você e suas traquinagens rsrs, adorei.


Bjkas

(Carlos Soares) disse...

B.dia, Anita, musa. Você não viu nadinha. Só que no blog não posso contar tudo. Te amoooooooooooooo beijos

Maria José disse...

Muito bem escrito seu texto Carlos, todos nós temos alguma coisa engraçada quando jovem.

Um forte abraço.

HSLO disse...

Adoro seus texto viu amigo Carlos.


Parabéns.



Te desejo um ótimo final de semana de muita paz.


abraços


Hugo

Wanderley Elian Lima disse...

Carlos, como sempre sensacional adorei o texto , fiquei imaginando a cena e dando boas risadas.
Huuuuuuuuu, churrasco, adoro...
Ótimo fim de semana para você.

Princesa disse...

Boa noite
Passei para lhe desejar um bom fim de semana e agradecer todo o carinho deixado nos meus blogs...

A cada dia que vivo, mais me convenço de que
o desperdício da vida está no amor que não damos,
nas forças que não usamos,
na prudência egoísta que nada arrisca
e que, esquivando-nos do sofrimento,
perdemos também a felicidade.
A dor é inevitável.
O sofrimento é opcional.”

(Carlos Drummond de Andrade)

Um beijinho

Elaine Barnes disse...

Muito bom! Me diverti aqui.Delícia de texto! Obrigada pelo comentário no meu blog.Como sempre atencioso, isso é muito legal. Existe uma sintonia com os temas né?!A gente capta. Bom final de semana. Boa viagem e volte com muitas histórias! rs.. bjão

b disse...

Que coisa saudável é voce lembrar e contar.
Pitoresca e engraçada a cena com o porteiro do cinema.
Qto ao filme Debby&Lloyd, eu amo assistir até hoje porque gosto de rir , de rir muito.
Sua postagem tá muito legal!

Kotta1947 disse...

Divertido o seu texto. Gostei de verdade.Nessa idade fazem-se coisas que jamais se farão com o mesmo gosto e sem medo de nada. Bjo.

Vivian disse...

...pude imaginar a cara dos
dois moçoilos na fila do cinema,
com aqueles bigodinhos de "arake"...
kkkkkkkkkk

menino, você não existe.

obrigada por passear lá em casa, e assim eu pude chegar aqui...

beijo grande!

Sonia Schmorantz disse...

Ao menos esta LER é por uma boa causa: um churrasco é sempre bom!
Um abraço, ótimo final de semana

Anne Lieri disse...

Carlos,que história engraçada!rssss....Morri de rir de vc e seu amigo tentando entrar no cinema,fazendo bigodes falsos...rsss...o que será que acontece com a cabeça da gente nessa idade?...rsss...Sensacional cronica!Adorei!Abraços,

Luna Sanchez disse...

Gostei muito dessa história, sabe?

Bons amigos e passagens engraçadas da infância e adolescência, ficam pra sempre na memória e no coração.

Beijo, bom fds.

ℓυηα

beatriz disse...

Olá amigo gostei muito do seu texto, pois é verdade quando somos jovens damos tudo para atingir a maior idade, pois nem nos aprecebemos do quão tão depressa ale se vai. E hoje o que eu daria para voltar a ser jovem, acho que este é o mal de todos os kotas.
Beijo em seu coração

Anita "Menina-Flor-Mulher" disse...

Oi amore, ai que saudades de você, volta logo, parece até que você está em outro planeta, oxe rsrs.

Bjs no cal ok

Paulo Tamburro disse...

Carlos realemte é a melhor fase da nossa vida , concorda?

Eu costumo dizer que a adolescência é igual a carro quando prende o acelerador:Tudo pode acontecer.

Achei muito legal, este su bigodinho derretido e roxo.

Um abração carioca!

Luciano Braz disse...

Me conte vc é o deby o o Loid rsrsrs

É bom termos amigos assim não rsrs


Abraço amigo
passando em minhas visitas domingueiras para deixar um abraço , ler-te e desejar boa semana

luciano braz

Quintal das Rosas Decorações disse...

oLÁ Carlos, kkk adorei o texto quando a gente é jovem faz cada uma, as vezes da certo outras não, mais o melhor de tudo é lembrar lá na frente das coisas que vivemos, e podemos rir muiiiiiiiiiito com tudo isto... muito legal mesmo o post...

otima semana

bjs
Mônica