ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

O AMOR SEMPRE VENCE


( imagem clubekazam.atrativa.com.br- google )
Tinha tudo para ser uma viagem perfeita, programada meses antes. Alto verão, iam para uma casa de praia. Tudo tranquilo até então, vento no rosto, música, conversando, quando de repente, um estouro. "Ah não. O pneu", ele falou. "Desce, meu bem, preciso trocar". Desceram, ele foi até o porta-malas, virou, revirou. "Meu amor, o macaco não está aqui. Você não pegou na garagem?". Ela respondeu. “Ora, eu não. Estava ocupada preparando bolsas. Carro é com você. Você mesmo não diz 'deixa comigo'?". Ele retrucou. "Mas eu pedi para você pegar. E agora? Nessa estrada, sem conhecer ninguém". Indignada, ela falou. E agora, 'senhor' motorista? Estamos a pé e a viagem acabou". Ele não deixou por menos. "Culpa sua. Que arrumando bolsa nada. Se não ficasse arrumando esse cabelo por mais de uma hora, teria me ouvido". A discussão foi se acirrando sob o sol escaldante. " E daí? Não implica. Arrumo cabelo sim, gosto de andar é bonita mesmo". "Sim, bonita e a pé. Olha o tanto de gente vendo sua beleza", ironizou mostrando mato e árvores "Em vez de fazer piadinhas, podia pensar numa solução, senhor motorista. Eu sou a dama aqui", ironizou também. "Só se for a dama de ferro... rá rá rá. Dama da encrenca". "E você, o gênio dos motoristas. Fica ouvindo futebol e esquece do macaco. Homens! Quando vão usar o cérebro?". "Mulheres! Quando vão parar de se maquiar um pouco e pensar mais? Tomara que o sol derreta essa maquiagem toda, vai virar um 'espanta neném', rs rs". Ela riu com raiva e desdém. ". Meu problema se resolve com uma nova maquiagem. E você está se achando um gatão com essa barriguinha, com esse fisico de jogador... de purrinha. Quer saber? Não fale comigo para eu não ficar mais nervosa". Por fim, ele ponderou, abraçando-a. "Olha, meu amor, calma. Não vai adiantar a gente ficar brigando. Só estamos nós dois aqui, se a gente não se falar, vai ser pior. Vamos tentar uma carona, pedir ajuda a alguém". Deu um beijinho no rosto dela. "Te amo". Palavrinhas mágicas. Ela concordou com a cabeça em seu ombro."Também te amo. Nâo foi culpa de ninguém. Ansiosos pela viagem, um deixou pro outro e esquecemos do 'pequeno' detalhe do macaco". Ele desculpou-se. "Desculpe-me, fui áspero com você". E ela. "E eu fui uma dondoca mimada. Desculpe-me também". Mas a estrada era deserta demais, os poucos carros que passavam, passavam em alta velocidade. Horas e horas na tentativa, fazendo sinais para alguém parar. Ele pediu. "Meu amor, estou com sede, pega água pra gente?". Ela respondeu. "Boa ideia. Também, estou numa sede danada debaixo desse sol". Outra surpresa. "Ah, não acredito. Esqueci a vasilha com água em cima da geladeira. Só faltava essa". Antes que ela terminasse, ele pediu. "Silêncio. Está ouvindo?". "Ouvindo o quê?". "Um barulho de água lá embaixo. Tem um rio ali. Menos mal". Ela fez uma cara de nojo. "Vamos tomar água do rio?". Ele explicou. "Meu bem, não temos escolha. Além do mais, há varias horas não passamos por uma cidade sequer, então deve ser um rio limpo. Vamos? Me dê a mão para não escorregar". E desceram. Enfim uma bela surpresa. Ele foi logo falando. "Ora, que lugar bonito, meu amor. Nâo é só um rio, é uma pequena cachoeira. Água limpinha ". Ela se entusiasmou. "Isso é um pequeno paraíso. Vou tomar até um banho. Vamos". Trocou de posição, puxando a mão dele. Tomaram água e foram para o leito da cachoeira. Água na altura das cinturas. Divertiram-se brincando de jogar água no outro e disseram juntos, frente à frente. "Eu te amo". Alisando suas costas, ele disse. "Sabe por que tudo isso aconteceu? Pra gente parar aqui e fazer amor nesse lugar lindo". Ela sorriu sensualmente, cabelos molhados e boca chamativa. "É mesmo, meu Don Juan esquecido? Quais as suas intenções comigo?". Beijando seus lábios, ele respondeu. "As melhores possíveis. Duvido que você vá reclamar". E ela, mais provocante ainda. "Confesso uma coisa. Sempre quis fazer amor assim no mato". “Então o dia é hoje e a hora é agora’ respondeu beijando-a. E se amaram sobre as pedras. As cenas a seguir são proibidas para menores de dezoito anos e como eu não sei me expressar 'mais ou menos', melhor não começar. Já era noitinha e dormiram dentro do carro. E lá fizeram amor de novo sob o olhar da lua cheia. Logo de manhã, levantaram-se e com mais sorte, conseguiram ajuda. E partiram. Acabou sendo uma viagem perfeita.Porque o amor venceu mais uma vez.

22 comentários:

Edna Lima disse...

O amor sempre vence.
E a natureza como principal testemunha, melhor ainda.
Grande bj Conterrâneo. Edna.

feiticeira disse...

Uma história muito importante para nos lembrar que o amor encontra sempre uma forma de vencer quando ele é forte como um caudal de um grande rio. Seja que amor for, o amor sensual, natural ao ser amado, o amor ao próprio e o amor à vida. Parabéns pela história.

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Calma, gente. Não estou virando novelista mexicano. Estou só brincando com o amor, por isso pus um pouco de humor.

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Beijos,Edna conterrânea. O amor tem vencido
///
Oi,Feiticeira. Vencerá sempre, seja qual for a forma de amor. Beijos

Marilu disse...

Querido amigo, nunca podemos desistir nos primeiros percalços, principalmente quando saímos para viajar, sempre algo é esquecido...mas como aconteceu com o casal do seu texto...o amor acaba superando todos esses "probleminhas" que surgem...Lindo texto..Beijocas

Everson Russo disse...

O amor sepre vencerá,,,observado por sois,,,luas,,,estrelas,,,ele é um guerreiro que jamais desiste da luta.....e lendo seu comentario resposta a uma amiga abaixo,,,,sobre o novelista mexicano,,,,será mera coincidencia se passar a assinar....niño colibrí...rs..rs...abraços fraternos de bom dia....

IT disse...

Sempre vence!
derrame em tudo que fizer esse amor que é só seu poeta.Ele é só seu, e alimente quem tu queres.
A propósito a imagem ficou perfeita!

IT

Rose disse...

Olá vim conhecer o blog do grande amor da minha amiga Anita. E com todo respeito à ela, não é a toa que é tão apaixonada. Já estou seguindo porque boa leitura é sempre bem vinda, parabéns pelo belísssimo blog.
Abraços!

Impulsiva disse...

Oi meu querido, estou sumida mesmo, porém jamais para sempre, rsrs.

Então, que história deliciosa, adoraria saber se aconteceu de verdade, confessa vai, rsrs.
Legal foi ler as discussões iniciais, que casal não vive isso né?
O bom foi que nesta história a discussão tomou outro rumo, porque é assim mesmo, o amor sempre vence...

Lindo, lindo, queria eu ser agora a protagonista desta história, rsrs.
Beijossss!!!!

Kenia.

Michelle Crístal disse...

Ominia Vincit Amor, uma vez uma menina me perguntou se eu fizesse uma tatuagem que desenho faria, disse escreveria esta frase. Sabe sempre acreditei no amor, depois parei... talvez por descrença mesmo... Lá no íntimo ele sempre falou alto! Acabou fazendo eu coltar a acreditar nele de novo independente se somos amados ou não. Afinal no final, tudo pode acontecer, quem tem amor na vida. Acredito!

ValeriaC disse...

Muito legal sua estória...foi muito agradável te ler amigo e o principal...o amor realmente venceu...beijinhos
Valéria

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Marilu, qualquer coincidência com o autor não é mera coincidência, pelo menos no esquecimento.beijos
///
Alô, Everson. Gostei do meu pseudônimo em espanhol. "Nino colibri... rsrs. Um abraço
///
Oi,Irlene.Tenho tentado fazer sim tudo com amor. Dei sorte na imagem, casou bem mesmo com o texto. Obrigado.Beijos
///
Obrigado, Rose. Já vi que são boas amigas. Fico feliz de ver que as pessoas gostam dela. Ela merece. Volte sempre, viu? beijão
///
Oi, Kênia. Essa não aconteceu não. Só na mente do poeta. E quem não gostaria de ser protagonista numa cena dessas? Beijos
///
Oi,Michelle. Acreditar sim, sempre, claro. Senão tudo fica sem graça. Beijão
///
Oi,Valéria. Sempre vencerá se acreditarmos. Beijão

Eduardo Medeiros disse...

Carlos, uma estória perfeita. Se o mundo de der um limão, faça uma limonada rssssss

Por causa do macaco esquecido, eles tiveram um dia inesquecível.

abraços

Felina Mulher disse...

Acredito que o amor sempre vence, e que nada neste teu conto aconteceu por acaso.

Um beijo.

Wanderley Elian Lima disse...

Nem sempre o amor vence. Nesse caso ele venceu, sua imaginação romântica assim o fez. Já falei: Adoro finais felizes.
Abração

Majoli disse...

Eita, bem que você disse que a postagem de hoje estava do jeitinho que a romântica aqui gosta.
Vislumbrei cada cena, mas principalmente da água da cachoeira, aquele joga joga de um no outro...o beijo caliente...amor sobre as pedras...ai ai ai.
Mas que delícia.
Pra falar a verdade, sabe quem era a mocinha do "O amor sempre vence"?
Eu, eu mesminha.
:)
Agora o rapaz, ah imaginei aquele certo alguém que não vejo há 13 anos...rsrs

Agora fazer amor no carro, uia, apertadinho, mas sempre se dá um jeitinho...rsrs

Linda, linda.
Amo histórias com finais felizes.

Beijos meu amigo.
Linda noite.

Priscila Lima disse...

mas acredito que suas historias são melhores que as novelas da tv...rsrsrs
abraço amigo.

legalmente loira... disse...

querido carlos,
adorei tudo que li!
o amor sempre vence..quem não gostaria de fazer esta viagem!
linda noite com bjos.

Pérola disse...

Eu adorei..
Li tudo com muita atenção,verdade,o amor supera tudo e se ajeita na simplicidade.
Gostei muito.
Parabéns.
Obrigado pelos elogios lá na minha concha,fiquei lisongeada rs.
Beijos e uma linda noite.

Pelos caminhos da vida. disse...

O amor sempre vencerá...

beijooo.

Everson Russo disse...

Abraços de otimo fianl de semana pra ti amigo....

Joe B. disse...

Meu otimismo anda meio preguiçoso, mas teu romantismo o revive.