ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

sábado, 7 de agosto de 2010

AVENTURAS DO CARLOS- QUEM É O MAIS BONITO?


( imagem google )
Marcelo vivia me desafiando. Na birosca, no botão, quem fazia mais embaixadinha, quem era melhor nas charadas do "o que é o que é". No futebol. Nada de rivalidade, era uma disputa sadia. Eu o achava muito inteligente e ele me achava criativo, astuto. E nessa criatividade eu ganhava mais que perdia. Na escola ele era melhor, passava quase sempre já no terceiro bimestre enquanto eu sempre ia às últimas semanas. A gente foi crescendo e as disputas continuavam. Quando rapazotes, íamos ao centro de ônibus só para ter o gosto de descer pela porta de trás, sem pagar. Lévavamos dinheiro, por via das dúvidas. Um dia quase nos demos mal. Teve ideia de irmos sem dinheiro. Eu já havia descido, o motorista percebeu e o prendeu na porta. Sorte que sempre foi forte, conseguiu abrir a porta e pular. Essa nunca mais fizemos. Disputavámos até quem era o mais bonito ( como se fôssemos bonitos). Parávamos as garotas e até pessoas mais velhas, sérias nas ruas para perguntar: "Quem de nós é o mais bonito?". Eu até acho que era ele. Alto, elegante, gostava de andar alinhado, cabelo baixinho, roupa social. Eu fazia o estilo casual, desprendido, jeans, tênis, nunca gostei de nada me prendendo. Em tempos de John Travolta e brilhantina, eu usava cabelo ouriçado. Dois antagônicos que se davam muito bem. Acho que no fundo ele queria ser igual a mim, era de família tradicional e invejava um pouco minha liberdade, mas era uma inveja boa. Nessa disputa do mais bonito, me desafiou a ver quem ganhava mais beijos das meninas na escola, durante uma semana. As regras: 1) Tinha que ser menina desconhecida. 2) Ser honesto na hora de dizer o total de meninas beijadas. Não sei as artimanhas dele para convencê-las, das minhas lembro de algumas. "Olá,sumida". Respondiam. "Sumida? Como assim, se nem te conheço? E eu. "Nâo conhecia,agora
conhece.Prazer, meu nome é Carlos". E já ia dando beijinho. Ou essa que nunca falhava. "Você é da quinta série? A menina. "Não. Sou da sétima. Eu com meus dons poéticos, elogiava. "Mas não parece. Parece menininha de quinta série". As mulheres adoram quando abaixamos a idade delas. Só que essa ele ganhou disparado. Beijou 32 e eu só 15. Tentou me gozar, mas não deixei. Você só ganhou porque enquanto beijava as suas apressadamente, só pela disputa, eu estava conquistando as minhas 15, peguei telefone de quase todas elas e estou quase namorando a Elaine. Ele deu um grito. "O quê? Aquela gostosona?". Eu ri. "Sim, seu bobão". E ele. "Pôxa, você não tem jeito. Considero que ganhou de novo, beijei 32 e não peguei ninguém". O namoro com Elaine não durou muito, ela enjoou, me pôs na marca do pênalti e meteu o pé. Mais uma vez veio o Marcelo me gozar. De novo, não deixei. "Fui eu quem fiz ela terminar. Fiz raiva nela. Além do mais namorar mulher bonita é complicado, fica todo mundo olhando para ela". Meio rindo, meio indignado, falou. "Não tem jeito com você. Nunca aceita que perdeu, hein? A menina mais bonita do colégio e agora vem dizer que forçou pra ela terminar". Eu dava boas gargalhadas. Era por causa de minha facilidade de argumentar é que sempre ganhava dele. Marcelo é meu amigo de coração. Hoje mora na Austrália. Sempre que pode me liga. Há mais ou menos um ano, disse no fone. "Não me acho mais tão bonito, Carlos. Estou gordo, tomando muito chopp". Aproveitei para zoar. "Então você perdeu de novo, porque eu estou lindo e maravilhoso". Riu. "Você não muda, né? Sabia que ia dizer isso. Por isso a gente era tão amigo. Seu otimismo e astral contagiavam". Dentre as recordações, citou o caso do ônibus. " "Pôxa, que maluquice. Eu ia ser preso". Falei. "Ia nada. Eu estava com dinheiro na meia. Eu ia entrar no ônibus e pagar". Ficou surpreso. "Sério?". "Claro", respondi e completei. " Eu não era tão corajoso assim. Malandro é o gato que já nasce de bigode, não toma banho e só anda limpo". No final da ligação, disse. "Um dia vou aí para a gente fazer uns desafios. Topa?". Respondi. "Não, acho que não. Sou um cara comportado agora. Ainda sou um gato, mas não tão astuto".
Essa foi mais uma de minhas aventuras da minha pseudo louca juventude.

19 comentários:

Chica disse...

Queantas histórias e brincadeiras da mocidade,não?Valem como boas recordações.Lindo fim de semana,tudo de bom,abração,chifca

Wanderley Elian Lima disse...

Como são boas essas recordações, por isso temos que aproveitar cada fase de nossa vida, para não final termos a certeza que vivemos plenamente.
Abração

Léo Santos disse...

Ah! Saudosismo... Recordar é tri-bacana! Quem não teve um amigo desses, companheiro de aventuras em uma fase da vida em que achamos que o tempo está parado e que experimentamos por alguns anos a imortalidade? Agora, já não tem mais graça, o tempo passou e nos tornamos simples mortais!

Um abraço!

Guida Rosa disse...

rsrsrsr que lindo CARLOS
me emocionei com a sua história.
gerou um sentimento gostoso dentro do meu coração.
penetrei na sua sua história e consegui enxergar vc e seu amigo nas aventuras da vida e comecei a rir.
beijos doces e um belissimo fim de semana.

ValeriaC disse...

Sempre adorável conecher um pouco mais de você e suas aventuras...
Tenha um lindo sábado...beijos...
Valéria

♥♥NaNnA BeZeRrA♥♥ disse...

Carlos,
nossa! q saudades das minhas peripécias do passado!
Te lendo fui voltando no tempo...
Tive uma amiga assim, mas, ela se perdeu no tempo. (Que saudades de voce, Eliana!!!)
Fiquei emocionada...
Obrigada por me levar de volta pra casa!
beijos ♥

Everson Russo disse...

Sabe,,,aquela das 32 contra 15, eu prefiro assim tambem,,,conquistar,,,conversar,,,saber mais,,,é bem melhor do que a pressa da quantidade,,,acho legal essas disputas que faziamos nos tempos atras,,eu tambem era um eterno perdedor...rs..rs..rs..acho que ainda nao tinha descoberto minha arte e minha missão aqui na terra...alias,,,ainda nao descobri...rs..rs..rs...abraços de bom sabado pra ti.

rosa-branca disse...

Quantas aventuras não? É claro que deixam saudades... nem precisa dizer. Adorei amigo. Beijo meu

HSLO disse...

Texto maravilhoso viu...belas recordações.

te desejo um ótimo final de semana.


abraços

Hugo

Eduardo Medeiros disse...

Carlos, maravilhosas essas experiências juvenis, gosto muito de ler essas casos. E que bom que a amizade persiste até hoje, mesmo você estando "mais comportado" rsss

abração

Jorge disse...

Carlos, excelente texto. Amizade sincera é tão raro hoje em dia, que devemos realmente valorizá-las.
Muito gostoso de se ler, um prazer mersmo. Já pensou em escrever um livro, se ainda não escreveu?

Abraços e um excelente fim de semana!!!

Solange disse...

viajo no tempo quando leio essas suas histórias...

tesouro que a gente carrega ainda hoje... êêê delícia !

beijos

claudete disse...

Eu só quero saber quando este poeta da vida vai reunir todos os seus escritos e gravá-los para posteridade. Você é encantador Carlos, adorei o gato malandro, rs, não conhecia este dito. Olha obrigada pela comentário no Blog, você captou bem minha emoção...
Abração.

Anne Lieri disse...

Carlos,já pensou em escrever um livro contando essas histórias?Eu adorei essa disputa entre vc e seu amigo!Muito divertido!Abraços,

Pelos caminhos da vida. disse...

Recordar é viver.

FELIZ DIA DOS PAIS.

beijooo.

Sonhadora disse...

Meu querido Carlos
essas recordações nos acompanham pela vida fora, um texto lindo e terno, como o gatinho da imagem

Beijinhos
Sonhadora

garoto cientista disse...

Valeu por partilhar um pouco de tuas histórias também. As aventuras da juventude são sempre marcantes, quando as relembramos depois de um tempo, nós mesmos nos espantamos.
Abraços e uma ótima semana.

Amor feito Poesia disse...

Há pensamentos que são verdadeiras orações.
Em alguns momentos, seja qual for a postura
do corpo, a alma está de joelhos.

Victor Hugo

Afagos na alma.....M@ria

A Flor do Sul - Perah Hadarom disse...

Pois é, esse texto eu já tinha lido antes, quando passei aqui esses dias, mas comentar não comentei por estar em local de trabalho (era difícil ter liberdade para escrever lá).

Bem, é uma história bonita. Amigos, pessoas em geral, vão e vem na nossa vida. Nós mesmos vamos e voltamos, para lá e para cá. Já vi que és saudosista, também eu o sou.

Fica com Deus, e força nesse coração!