ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

AMIGOS FIÉIS


( imagem google )
Gustavo, professor de química era muito gente boa. Meio paizão, dava conselhos, adiava provas para estudarrmos mais, às vezes saía com a rapaziada após a última aula. Na sexta liberava quinze minutos de piada, “para aliviar a semana”. Isso era muito engraçado. Como todo bom paizão, era durão quando precisava, detestava mentiras e chegar atrasado só para quem trabalhava. Durante as explicações nada de conversa. Casalzinho de namorados flertando dentro da sala, ele brigava. "Tem um motelzinho baratinho ali na esquina. Aqui é lugar de estudar". Dizia isso de uma forma dura, mas também engraçada, de maneira que as pessoas não ficavam constrangidas. O que ele detestava mesmo era o tal cordão fedorento, o famoso "pum alemão" ( desculpem, mas tive que citar o nome). Eu tinha raiva daquela coisa nojenta também. Sabíamos quem eram os dois ou três rapazes que acendiam, mas ele nunca pegava. Só avisava. "Já falei para parar com isso. No dia em que eu estiver da pá virada, vocês vão ver comigo. Quem ri agora, chora depois". E esse dia chegou. Deixou cair a enorme régua na mesa. "Pronto. Vocês conseguiram. Quem acendeu o cordão, seja homem, faz favor de sair da sala e vá direto para a diretoria". Nenhum movimento. "Vamos, estou esperando". Ninguém se mexeu. Depois do recreio tinha outra matéria e a última aula seria de novo a dele. Com a careca vermelha de raiva, falou. "Na volta se não aparecer quem acendeu essa droga, vou ajeitar uma punição para a classe toda. Portanto, quem sabe me aponte e evite dos justos pagar pelos errados. Prejuízo é de vocês. Ainda não sei o que vou fazer, estou indo agora falar com o diretor". Passou o recreio, a terceira aula e ele voltou. "Já apareceu o engraçadinho?". Ninguém abriu a boca. Andou entre as cadeiras, parou na frente e disse. "Ok. Se não apareceu, hoje não tem mais aula. Não achem isso bom porque a matéria que ia dar hoje vai cair na prova de sexta-feira e em vez de trinta questões vão ser cinquenta. E dessa vez não vai ter alívio". Alguém reclamou. "Prova? Você nem avisou da prova". Ironizando, respondeu. "Pra reclamar vocês abrem a boca. Mostre onde está escrito que professor precisa avisar que vai dar prova. O aluno tem que estar sempre pronto. E isso não é nada, esperem chumbo grosso aí. Vou perder duas noites de sono pensando num jeito de ferrar todo mundo. A não ser que me apontem o engraçadinho até sexta. . Chegou a sexta-feira, por coincidência, 13. Ele já entrou assim. "Hoje é o dia do azar de todo mundo aqui", já colocando as provas sobre as cadeiras. Ô provinha difícil. Na última aula passou tanto exercício no quadro sem dar uma palavra. Os exercícios deram umas quatro folhas no caderno. Faltando uns minutos para acabar a aula, começou. " Já vi que não vão apontar o infrator. Nesses dois dias, estudei várias punições. Não tolerar atrasos, não sair mais com vocês, dar provas de última hora e até não dar mais aula para vocês. Modéstia à parte e graças a Deus, sou um professor conceituado, tenho várias propostas de colégios. Moro sozinho, não tenho um pinto pra dar água. Pra mim tanto faz estar aqui ou acolá. Não nego que fiquei decepcionado com vocês no início. Nesses dois dias pensando em punição, também cheguei à uma conclusão. Vocês são uns moleques...". Deu uma pausa e completou. "...mas estou muito feliz. Porque nessa turma não existe dedo duro. Eu odeio dedo duro. Dedo duro é uma coisa tão feia que a gente chama de Judas. Amizade fiel é uma coisa que prezo muito. Vocês estão de parabéns. Essa é a melhor turma com a qual já trabalhei. Acabou a aula e hoje a cervejada é por minha conta". Grito geral. Na roda de cerveja, Gérson, levantou-se, pediu a palavra, confessou e pediu desculpas à turma e ao professor. E as aulas continuaram uma festa.

18 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Carlos, eu como professor, também detesto dedo duro, quando um aluno vem entregar o colega, e nem escuto. Tenho método de aula um pouco parecido com o desse professor, sou bravo qdo tenho que ser, mas sou muito amigo de meus alunos.
Abração

Everson Russo disse...

Se tem uma coisa pra se considerar é uma amizade fiel...morre assim,,,sem dedurar...sem entregar....abraços de bom dia pra ti amigo.

Elaine Barnes disse...

Esssas histórias lindas tem que ser contadas mesmo amigo. Diante da atitude do professor ele mesmo se condenou,se entregou e tudo acabou bem. Um elo maior ainda se formou com a lição aprendida por todos. Nada mais foi igual né?! Dedo duro é a pior coisa que tem.
Montão de bjs e abraços

♥.•:****-franciete-****:•.♥ disse...

Meu querido amigo passei para te deixar o meu beijinho de luz e muita paz em teu coração.

Marilu disse...

Querido amigo, esse texto me fez lembrar do filme "Perfume de Mulher" onde um aluno de Harvard com bolsa de estudos passa por um problema semelhante...Dedo duro realmente é uma das piores coisas que podem existir, acho que o culpado deve se entregar, como fez o rapaz da sua classe...Beijocas

Enigma disse...

Achei uma linda história de companheirismo e amizade.

Belíssimo texto, parabéns!
Kiss!! Kiss!!

MEUS PENSAMENTOS disse...

oi menino tem um premio pra vc la,bjs!

Vida*** disse...

Fazer malabarismo diante das adversidades e manter o humor. Faz lembrar as:- Pipócas.Estouram.Transformando-se em flor.Mas,muitos desconhecem a sua origem Verdadeira.Obrigada,Amigo.Vibrações Positivas de Paz,Luz,Proteção.Um abço carinhoso pra ti.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Maravilhoso!
Beijos, Carlos!
O Tempo não pára
e ainda bem que nós sabemos disso!


Disparo contra o sol

Sou forte sou por acaso

Minha metralhadora cheia de mágoas

Eu sou um cara

Cansado de correr

Na direção contrária

Sem pódio de chegada ou beijo de namorada

Eu sou mais um cara

Mas se você achar

Que eu tô derrotado

Saiba que ainda estão rolando os dados

Porque o tempo o tempo não pára

Dias sim dias não

Eu vou sobrevivendo sem um arranhão

Da caridade de quem me detesta

A tua piscina tá cheia de ratos

Tuas idéias não correspondem aos fatos

O tempo não pára

Eu vejo o futuro repetir o passado

Eu vejo um museu de grandes novidades

O tempo não pára

Não pára não não pára

Eu não tenho data pra comemorar

Às vezes os meus dias são de par em par

Procurando uma agulha num palheiro

Nas noites de frio é melhor nem nascer

Nas de calor se escolhe: é matar ou morrer

E assim nos tornamos brasileiros

Te chamam de ladrão de bicha maconheiro

Transformam o país inteiro num puteiro

Pois assim se ganha mais dinheiro

A tua piscina tá cheia de ratos

Tuas idéias não correspondem aos fatos

O tempo não pára

Eu vejo o futuro repetir o passado

Eu vejo um museu de grandes novidades

O tempo não pára

Não pára não não pára

Dias sim dias não

Eu vou sobrevivendo sem um arranhão

Da caridade de quem me detesta

A tua piscina tá cheia de ratos

Tuas idéias não correspondem aos fatos

O tempo não pára

Eu vejo o futuro repetir o passado

Eu vejo um museu de grandes novidades

O tempo não pára

Não pára não não pára

Cazuza.

Muito obrigada!
Até mais+++

Anne Lieri disse...

Carlos,quanta sabedoria nesse mestre!Aconteceu um fato semelhante na sala de minha filha há pouco tempo e no final todos foram punidos e eu fui lá pra reclamar,porque minha filha e toda sala sabia quem era o bagunceiro mas não iriam dedurar.Eu gostei da atitude do seu professor!Inédita e educativa,pois no final o cara se revelou.Parabéns por essa excelente história!Abraços,

ValeriaC disse...

Que bonito o desfecho da história querido amigo, que alias é sempre muito agradável te ler...beijinhos...
Valéria

Fatima disse...

É sempre tão bom passar por aqui.
Bjs.

Marcia disse...

Com certeza este deve ser mais um dos seus maravilhosos textos! Mas para te ser honesta nao tive tempo de ler. Voltarei outro momento com tempo para desfrutar desta leitura. Aqui é tempo de férias, marido, filhos todos em casa, sobra-me pouco tempo. Você é um amigo muito especial e tem um blog que admiro demais, nao dá para sair sem ler suas postagens.
Obrigada pela sua sempre amiga presenca no meu blog.

Desejo que você tenha um super dia, com muito amor, paz e inspiracao.
Grande abraco.

Everson Russo disse...

Abraços fraternos de belo final de semana pra ti amigo...paz e poesia sempre.

Felina Mulher disse...

Cada caso é um caso e neste caso valeu a amizade.Mas já presenciei um amigo furtando, no tempo em que eu trabalhava numa empresa, onde ele prejudicava a tds, pois como não se acusava tds tinham que assinar um vale no valor do furto, fui, falei com ele, dei um aperto e como ele nao fez nada eu tive que dar uma de X-9...fazer o que? Na verdade apenas eu o considerava amigo, ele não estava nem aí, pois se estivesse não faria isso.
Mas neste caso aki, o que contou foi a lealdade das amizades.
Um beijo meu anjo.

Marilu disse...

Meu querido amigo, tenha um lindo final de semana...Beijocas

garoto cientista disse...

Meu deus, estou estarrecido aqui, como diria uma de minhas amigas, estou estatelado, imaginei tudo para o final, menos isso! rsrsrs.

Juliana Sphynx disse...

Fidelidade acima de tudo!
Bom final de semana!
=)