ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

segunda-feira, 29 de março de 2010

POESILÂNDIA


imagem colunas.globoesporte.com )
Já disse que gosto do Pateta, mas gosto muito também do Mickey. O Mickey é um investigador, um detetive famoso, desvenda grandes mistérios, um intelectual, e seu amigo é nada mais que o Pateta: simples, bobão, trapalhão. E mais, ele compreende o Pateta. Isso é que é conviver com as diferenças. Quando se fala de diferença, a gente só pensa em sexo e cor, que também são importantes, mas existem outras tantas pra gente poder assimilar. Por isso eu gosto do Mickey; ele é exatamente o inverso do Pateta e está sempre com ele. Só que esse não é exatamente o assunto de hoje, só quis registrar minha admiração pelo rato famoso. Um dia li uma estorinha dele assim. Mickey trabalhava em casa, datilografando, quando de repente as teclas da máquina começaram a se mexer sozinhas. Depois do susto inicial, corajoso que é, ficou observando que as teclas que se mexiam era sempre as mesmas e sempre na mesma sequência. Resolveu copiar o que elas diziam e era um pedido de socorro em código Morse. “SOS. Sou viajante espacial, minha nave caiu em seu planeta. Preciso de sua ajuda. Estou nas seguintes coordenadas geográficas......”. O sempre pronto Mickey correu ao local e lá avistou uma nave destroçada e um simpático et’zinho do lado de fora. “Olá, amigo. Vim de um planeta distante 300 milhões de anos-luz, minha nave deu pane. Preciso de sua ajuda para localizar o ‘ Portal da Universo’, pois só de lá consigo enviar mensagem ao meu planeta para que meus amigos me resgatem. Eis as coordenadas geográficas e o nome do lugar é Tihuanacan”. Esse nome é fictício, mas é claro que o autor se referiu a Tenochtitlán, que fica centro da capital do México e que os astecas consideravam ser o centro do universo. Consideravam também ser o quinto ponto cardeal, daí a explicação da forma das pirâmides. E assim a história da civilização é muito associada a esses povos antigos. Mickey pegou um helicóptero e levou o amiguinho do espaço ao local indicado pelas coordenadas. Lá, ele apontando seu aparelhinho para o Portal ,enviou sua mensagem. “Pronto. Em minutos meus amigos estarão aqui”. Não demorou e a nave resgate chegou. Juntou os destroços para não deixar vestígios de sua queda. Mickey não se conteve e começou a fazer perguntas sobre a existência humana, o porquê de tantas guerras, tantas doenças, inveja, egoísmo, crises existenciais, a origem de tudo e muitos outros porquês e ‘pra quês’. O amigo espacial interrompeu. “Não, amigo. Não me faça essas perguntas. Infelizmente seu povo ainda não está preparado para algumas respostas. Ou talvez ainda não as mereça”. Agradeceu, entrou na nave e foi embora. Dias depois, estava de novo Mickey trabalhando, só que agora em alta madrugada. As teclas começaram a se mexer de novo. Nem se assustou mais, sabia que era de novo seu amiguinho do espaço, talvez para dar um “olá”. A mensagem era assim. “Olá, amigo. Tudo bem na viagem de volta ao meu planeta. Obrigado por tudo. Quem sabe, eu volto aí um dia pra lhe dar as suas respostas?”. Um facho de luz entrou pela janela. Mickey correu até lá e viu uma estrela mais intensa que as demais, se afastando. O facho vinha dela. Respondeu mentalmente com olhos sonhadores. “Quem sabe um dia amigo, quem sabe”. Li essa estorinha há uns trinta anos e jamais esqueci o que fiz na época. Toda semana comprava o gibi do Mickey para ver se a estorinha tinha segunda parte, a parte das respostas. Como criança, não imaginava que o autor jamais terminaria a estorinha. Ele, inteligentemente apenas deixou a reflexão para cada um. A estorinha terminou com gostinho de quero mais. Quase frustrante para mim. Só não foi, porque era um gostinho bom de quero mais. O gostinho da possibilidade de um dia se ter a resposta para tudo. Desde então, cada vez que vejo uma estrela brilhando mais forte que as outras, fico pensando. ‘Será que é o amiguinho do Mickey chegando para trazer as respostas?’. Ou. ‘Quem sabe eu também tenho um amigo no espaço?’. O problema é que o Mickey mora na Disneylândia e eu moro na Poesilândia, duas ilhas da fantasia. E talvez por isso a resposta nunca venha. Enquanto isso vou vivendo com gostinho de quero mais.

19 comentários:

Fatima disse...

Quanta criatividade meu amigo!
bjs.

sandra Freitas disse...

O amigo, também adoro o Mickei e o Pateta. NUnca tinha prestado atenção na diferença entre o dois, bem pontuado. E quanto as respostas, acho que sabemos né. A culpa é nossa mesmo, tá dentro da gente, chama-se ego. E as vezes ele toma tamanha proporção e atropela nossos semelhantes.
Bjokas amigo...

Silvana Nunes .'. disse...

Interessante o post.
Então, já preparou a sua pegadinha? O dia 1º de abril está chegando.
FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... deseja uma boa semana para você.
Beijo grande.
Saudações Educacionais !
http://www.silnunesprof.blogspot.com

Lou a esquizoffrenica disse...

Carlos eu também adoro histórias aos quadradinhos, como se chamam por aqui. que história gira a tua, eu também ia morrer de medo se as minhas teclas começassem a teclar sozinhas, lol ;). Mas nós vivemos mesmo no mundo das letras não é? adoramos uma boa história. beijo!!!

Maria Bonfá disse...

lindo Carlos.. senti uma saudade de minha infancia.. sempre fui muito fã desses gibis... e sempre amei olhar as estrelas.. moravamos em uma usina de açucar, então era possivel ver muito bem o ceu e todo seu explendor.. minhas filhas desde pequeninas ensinei-as a admirar a natureza.. amava deitar-me no chão a noite para olhar para o céu e ver as estrelas e cada susto com as estrelas cadentes rsrsrrs..hoje morando na capital mal consigo ver uma ou outra estrela.. sinto saudade.. saudade da natureza... linda tarde para ti..beijão

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Carlos
Como sempre muito criativo. Amigo vamos morrer sem respostas a muitas de nossas dúvidas, mas também , pra que saber as respostas de tudo? A dúvida dá um gostinho a mais à vida.
Grande abraço

Felina Mulher disse...

Sabe Carlos, eu sei que vc vai me chamar de exagerada, mas do mesmo modo que vc curtia e curte as aventuras do famoso ratinho, eu curto ler-te. E ao final de cada texto, de cada conto, de cada "causo" eu sempre fico com aquele gostinho de quero mais.E quer mais é bom, é sinal que foi maravilhoso....

Beijos pra ti menino sonhador.

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Obrigado, gente. Voltei hoje ainda meio desengrenado, mas com saudades dos amigos.
///
Oi,Fá. Obrigado.Beijos
///
Sandra Freitas, hoje eu também acho assim. O mundo só melhora com o domínio do ego. Mas algumas respostas eu queria saber sim. beijos
///
Oi,Silvana. Vou lá sim.Beijos
///
Lou, acho que como o Mickey eu teria o susto inicial, mas ficaria sim doidinho pra ler a mensagem.Beijos
///
Oi, Maria Bonfá.Sonhadora desde criança. Isso é bom. Beijos
///
Sim,caro Wanderley. Sem uma duvidazinha a gente se acomoda. Mas algumas especiais eu queria sim saber. Um abraço
///
Minha amiga exagerada,Felina. Obrigado mesmo. Beijão

Chica disse...

E nós ficamos aqui também com esse gostinho de quero mais, esperando novas maravilhas como essas por aqui!Lindo e tri criativo! abração,chica

Everson Russo disse...

Sabe de uma coisa amigo? eu nunca fui ligado a apelidos, tanto que nunca tive por isso, as pessoas tentavam me colocar e eu nem ligava, então não pegava,,,,mas um que quase pegou, imagina,,,escola,,,,estava eu sem muito o que fazer, numa determinada aula, nem lembro bem qual era, faz tempo isso...rs..rs...lá pelos idos de oitenta e pouco,,,,,rabiscando um papel em sala....e desses rabiscos saiu o rosto do Pateta....rs...rs...rs.....meu pequeno desenho rodou a sala de aula toda....e alguns idiotas da epoca, tentamram em apelidar de Pateta...rs..rs...não pegou por eu nem ligar....mas deu saudades.....abraços e uma bela semana pra ti.

Edna Lima disse...

Admiro sua inteligencia Poeta.
Abraços sua conterranea . Edna

Pelos caminhos da vida. disse...

Vc me surpreende com seus textos.

Adoro esses personagens.

beijooo.

Sonhadora disse...

meu querido Carlos
Sempre belos textos...adorei ler.
Criatividade sempre.
Beijinhos
Sonhadora

Layara disse...

...rssss...que Lindo! voce e o que escreveu, lógico...é gosto dessas metáforas, elas dizem muito...

A Estrela a Luz a Esperança e as respostas, bem essas nunca teremos para tudo...lembrei-me da propaganda do Futura..."o que move o mundo são as perguntas e não as respostas"

Beijo Grande!

Paz e Luz!

Majoli disse...

Que doçura essa Poesilãndia...também fiquei curiosa em saber as respostas...
Mas morar em Poesilândia deve ser gostoso por demais da conta sô..e admirar uma estrela brilhante sentindo ser um amigo seu lá no cèu..completou a magia.

Você tem um coração de criança, terno que só.

Beijos com carinho meu querido amigo Carlos.

Impulsiva disse...

Olá poeta. Fiz uma pequena homenagem a vc no meu blog, passa lá.

http://falaimpulsiva.blogspot.com/2010/03/selo-comentarista-excelente.html

Beijos,
Kenia.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Carlos, adorei a sua histórias, e como!!!
Obrigada pela partilha. Partilho com o amigo um post meu que você perdeu, que casa bem com a nossa Poesialândia! É o meu Hino de autoestima e Paz!
**********

SÓ VOU GOSTAR DE QUEM GOSTA DE MIM********************

De hoje em diante
Eu vou modificar
O meu modo de vida
Naquele instante
Em que você partiu
Destruiu nosso amor
Agora não vou mais chorar
Cansei de esperar
De esperar enfim
E prá começar
Eu só vou gostar
De quem gosta de mim...

Não quero com isso
Dizer que o amor
Não é bom sentimento
A vida é tão bela
Quando a gente ama
E tem um amor
Por isso é que eu vou mudar
Não quero ficar
Chorando até o fim
E prá não chorar
Eu só vou gostar
De quem gosta de mim...

Não vai ser fácil
Eu bem sei
Eu já procurei
Não encontrei meu bem
A vida é assim
Eu falo por mim
Pois eu vivo sem ninguém...

De hoje em diante
Eu vou modificar
O meu modo de vida
Naquele instante
Em que você partiu
Destruiu nosso amor
Agora não vou mais chorar
Cansei de esperar
De esperar enfim
E prá começar
Eu só vou gostar
De quem gosta de mim...

Composição: Rossini Pinto*
Beijos e até já!

Geisa Machado disse...

Oi meu amigo!
Tem uma teoria que diz: "Quando vc souber todas as respostas, vem a vida e muda todas as perguntas".
Bjussss

Elaine Barnes disse...

Estou num dejavú,parece que já vi tudo isso, até os comentários,nossa que sensação maluca! rs...Então,uma criatividade incrível. Texto fantástico! Tem coisas da infancia que nos marcam para sempre.Creio que a inteligencia do Mickey e a bondade do pateta está dentro da gente e enquanto negarmos um desses lados a resposta não vem.Essa busca com o divino tão bem representada pelo ET é eterna. Amei amigo! Parabéns!Se puder votar em mim lá na Lidia te agradeço ok!
http://simplythebest01.blogspot.com/2010/03/nas-asas-da-coruja.html
Feliz Páscoa e renascimento