ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

sábado, 20 de março de 2010

NEM SEMPRE É BOM SER DON JUAN


( imagem google )
Eu tinha um amigo taxista, mais velho que eu uns doze anos. Tinha fama de garanhão, pegador e tirava onda disso. Mas reconheço, ele era mesmo. Não entendia como, era feio de doer. Lábia é lábia. Ficava me ensinando as coisas sobre mulheres. “Sei tudo de mulher, pode perguntar que eu sei”. Um dia,sexualmente falando, disse. “ Se você provocar uma mulher, tem que dar conta dela. Nunca provoque uma mulher se não vai dar conta. Você não sabe o que é uma mulher no auge do seu tesão. A mulher tem mais tesão que o homem, só que ela se inibe. Por quê você acha que elas gritam tanto? Portanto, cuidado”. Respondi. “Assim você está me fazendo ter medo de mulher”. “Calma”, respondeu. “Eu sei como desmontá-las. Vou te ensinar”. Não vou dizer o que me falou porque é meio impublicável. Não concordava com estilo Don Juan cafajeste dele. Se eu fosse um Don Juan, acho que seria da linha branca. Mesmo assim saíamos juntos às vezes. Certo dia, o vi sentado e cheguei apoiando meu braço sobre seu ombro, no que gritou logo, tirando meu braço. “Ai, não ponha a mão aí”. Assustei perguntando o que houve, ele levantou a camisa mostrando as costas e peito. Estava todo arranhado na carne viva. “Caramba. Estava lutando com onça?”. Pegou minha mão, mais especificamente no meu dedo indicador e colocou no couro cabeludo. Estava cheio de galos e caroços. Vendo também seu olho inchado, perguntei. "Que é isso? Brigou com alguém? E pelo jeito levou a pior”. E ele. “Antes fosse briga, porque briga a gente apanha e bate. Nessa eu só apanhei. Senta aí,vamos tomar uma cerveja. Vou te contar”. Nunca ri tanto. Começou . “Você lembra de uma loira, cabelo crespo, na seresta que ficava sempre no canto, isolada, não falava nem dançava com ninguém? Me arrisquei. Perguntei se podia pagar algo pra ela. Mesmo não dando muita bola, ela aceitou e me deixou sentar. Na verdade há tempos eu já a estava paquerando de longe. Tomamos uns drinks, chamei pra dançar. Ela relutou muito, mas acabou topando. Dançando senti seu corpo trêmulo. Pensei ‘essa mulher deve estar com algum problema emocional, uma depressão’. Tentei apertá-la, ela não deixava. Sentados de novo, minha investida era levar pro motel. Ela disse. ‘Não posso ter homem, não quero homem’. Perguntei se era sapatão, ela disse que não e emendou. ‘Homem que fica comigo, nunca mais volta. Sou histérica’. Ora, dizer que era histérica, me deu mais vontade ainda. Vou correr de mulher? E insisti por mais de hora, ela dizendo ‘não’, até que aceitou, dizendo. ‘Depois não diga que não avisei’. No motel, enquanto trancava a porta, a mulher já me puxou pelo cabelo, me jogou na cama, rasgou minha camisa, já pulou na minha barriga, meu coração quase saiu na boca, num esfrega esfrega danado, urrando como louca, falando coisas estranhas, me dando até soco na cabeça. Pensei. ‘Essa mulher está drogada” Com muito custo saí debaixo dela, tentei andar, ela agarrou minhas pernas, caí no chão de bruços, ela mergulhou de cima da cama sobre mim, quase quebra minha coluna, me arranhando e urrando como louca, esfregando de todo jeito, como uma minhoca no asfalto quente, como uma cobra morrendo. Eu desesperado, não conseguia me livrar. Levantava, mas ela muito forte me jogava de novo. Uma hora fiquei no canto da parede. Ela veio tão forte que bati minha cabeça e fiquei zonzo. Eu a empurrava e ela vinha pior. Parecia o bicho ruim. O quarto virou campo de guerra. Coisas caindo, roupas e lençóis pra todo lado, travesseiro estourado. O porteiro do motel pensando que eu estava batendo nela, veio gritando. ‘Para com isso, seu covarde. Vou chamar a polícia’. E eu gritando lá dentro. ‘Chama, pelo amor de Deus, que a mulher está me matando’. Tentei abrir a porta pra fugir do caos, mas eu sempre tiro a chave por segurança e agora na confusão não sabia onde estava mais. Quando encontrei, enquanto tentava abrir, a mulher pulou nas minhas costas como uma macaca e não parava de relar, sempre urrando Quando consegui sair, de cueca e calça na mão, o porteiro de olhos arregalados, vendo-a trepada nas minhas costas, fez o Nome do Pai. ‘Cruz credo. Essa mulher está possuída’. Com dificuldade, me livrei dela, ela caiu no chão e puxei a porta, trancando-a dentro. Atordoado, costas cheias de sangue, vesti roupa, paguei e fui embora”. Eu ria de chorar. Falei. “Você me disse uma vez. ‘Nunca provoque uma mulher...’. Sua lição foi furada, você não deu conta”. Retrucou. Eu não provoquei, aquela é provocada de natureza.”. falei. De todo jeito aprendi mais uma lição com você. Se uma mulher disser que é histérica, estou fora”. Balançou a cabeça. “Não queira pagar pra ver, meu amigo”. Não conseguia olhar pra cara dele sem rir e dizia. “O garanhão se deu mal. O Don Juan se estrepou”. Reclamou. "Pôxa,eu todo dolorido e você rindo". Eu perco o amigo, mas não perco a piada e fiz a última pergunta. “Me diz uma coisa? Nesse bafafá todo, não teve nada? Nem um pouquinho?”. "Que nada.Ela dizia.'Me come, me come' e eu respondia. "De que jeito? Você não deixa'. Sinceridade...? Meu 'negócio' nem subiu". Eu estava com a boca cheia de cerveja e cuspi cerveja pra todo lado, rindo e engasgado. "O Don Juan brochou". Por isso eu digo, nem sempre é bom ser Don Juan. Teve que provar que era o bom e deu nisso.

24 comentários:

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Vou abrir os comentários. O caso é engraçado, mas claro que a coitada da mulher precisava de tratamento. Um abraço a todos

Joéliton dos Santos disse...

Olá.. Tudo bem???
Estou passando rapidinho para desejar um lindo final de semana cheio de paz e muito amor em seu coração!

Grande abraço!!!

Maria Bonfá disse...

oi querido.. ontem estive ausente por falta de net. o dia inteirinho.. foi um tedio mortal.. adorei sua historia..mas que horror.acho que ela era louca mesmo..lindo dia para vc ..beijão

Lou a esquizoffrenica disse...

Pois é se vai provocar , tem que dar conta . Mas ela precisava de ajuda coitada. Só você Carlos, essa historia quase me matou de rir LOL beijo

Everson Russo disse...

Uau,uau,uau....rs..rs...o Don Juan se deu mal nessa....rs...rs....se achando muito encontrou alguem com um fogo insaciavel...rs..rs..rs...olha,,esass mulheres assim são loucas mesmo, mas ele levou literalmente na pele as marcas de uma noite louca de amor....amor??? rs..rs..rs..rs...abraços amigo,,,sem essa de Don Juan..é perigoso....otimo sabado pra ti.

Sonhadora disse...

Meu querido Carlos
Sempre me divirto muito quando passo no seu cantinho, sempre belas histórias.
Adorei esta.

Beijinhos
Sonhadora

Glória Müller disse...

rsrsrs... Ai Meu Deussss!rsrsrs
Carlos, e ela não tinha chegado ainda ao clímax! Ainda bem que ele não...!!!
Simplesmente, brochante e apavorante! Ai Deus!
Bjos
Glória

Felina Mulher disse...

kkkkkkkkkkkkkk...hj eu não consigo nem comentar, estou chorando de tanto rir.Oh louco!!!Esse nunca mais levanta....kkkkkkkkkkkk.



beijos pra ti menino....bom final de semana.

"Cantinho Poético" disse...

Bela postagem!!!!!!

Agradecendo o carinho da sua visiat
Bom FDS e beijos meus!

Wanderley Elian Lima disse...

kkkkkkkkkkkkkkkk, está mulher não é histérica, é louca.
Um abraço

Pelos caminhos da vida. disse...

KKKKKKKKKKKK... nunca ri tanto, fui lendo e imaginando a cena KKKK...

Que mulherzinha doida essa hem!!!

beijooo.

Paulo Tamburro disse...

CARLOS,OBRIGADO PELA SUA PARTICIPAÇÃO NO BLOG PELE SEM FLOR DA NILZA.

VOCÊS REALMENTE, ME EMOCIONARAM !

OBRIGADO MESMO!!!

UM ABRAÇÃO CARIOCA.

VASCODAGAMA disse...

AHAHAHAHAHAHAHAH
ESSA FOI DEMAIS
CARACA NÃO PARO DE RIR
REALMENTE ANTES DE....TEM QUEM SABER SE DA CONTA.....
AHAHAHAHAHA
BEIJO

♥*♥(franciete)♥*♥ disse...

Essa eu não sei comentar, só deixo o meu beijinho de luz e paz mas mais para o seu amigo que ainda deve de estar traumatizado.

Coisa Frágil disse...

olá menino apaixonado,

feliz dia dos blogueiros.

bjos

Sonia Schmorantz disse...

Quando a ternura
parece já do seu ofício fatigada,
e o sono, a mais incerta barca,
inda demora,
quando azuis irrompem
os teus olhos
e procuram
nos meus navegação segura,
é que eu te falo das palavras
desamparadas e desertas,
pelo silêncio fascinadas.

Eugénio de Andrade

Um lindo domingo e uma semana de paz e sucesso em tudo que fizer.
Um abraço

Sônia

Mahria disse...

Primeiro tinha que ter amarrado a moça, assim ele teria conseguido dar conta do recado rsrs

Bjs
Mah

Jacque disse...

Bom Domingo Carlos...Anita.

Beijo

Impulsiva disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Desculpa, mas não tive como não rir...que coisa mais maluca!!!
Acho qu o Don Juan que vai precisar se tratar depois dessa, isso é um trauma meu amigo, rrsrsrs.

Beijos poeta, adorei!!!

Maria Bonfá disse...

passando para desejar uma tarde de domingo pra lá de especial cheinha do amor de Deus e muita paz...beijão

Pena disse...

Estimado Amigo:
É o mal dos Senhores que desejam tudo e ficam sem ter nada.
Uma bela lição. Creio que não se repetirá por aquele adorador e convencido galã.
Excelente. Uma lição de vida imperdível e de fazer pensar por todos que pensam que as mulheres estão prontas para tudo.
Abraço amigo pelo seu valor imenso.
Sempre a admirar o que faz.
Com simpatia e amizade.

pena

Bem-Haja, precioso amigo.
Bela lição de vida.

Louise Oliveira disse...

kk Gente, nunca ri tanto. Mas bem feito pro seu amigo, poxa, falar das mulheres de tal forma rude e se achar tanto. Eu acho que essa mulher tava é observando ele a tempos e planejando isso, dar um susto nele. rsss
Bjs! Lu

Majoli disse...

Vixe Maria, Credo em Cruz


kkkkkkkkkkkkkkk
Rindo tanto que não estou nem me aguentando.
Eita Don Juan, levou a dele, bem feito.

Boa demais essa história.

Beijos Carlos.

Aclim disse...

Se vc dixx

rsrsr...acredito

Abraço