ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

quarta-feira, 24 de março de 2010

NEM TUDO SÃO FLORES, MAS A GENTE PODE PLANTAR


( imagem omeualentejo.blogs.sapo.pt )
Nem tudo são flores. A gente ouve muito por aí. Mas, com boa vontade, a gente pode transformar terrenos áridos em prósperos jardins. Comigo sempre tem um "mas". Alguns textos penso se devo postar por causa do alto grau de exposição, mas como vivo dizendo a todos: “escreva o que sente, seja fiel a si mesmo”, acabo contando por considerar como pontos somados na vida, experiências adquiridas, evolução interna. Eu tinha uma irmã que não combinava comigo... corrijo, a gente não combinava muito. Não vou esconder que tinha alguma culpa, embora a maior resistência de fazer as pazes fosse da parte dela. Provavelmente ela tinha ciúmes ou uma invejinha de mim com minha mãe que parecia me dar privilégios. Mas vejam se de alguma forma minha mãe não estava certa. Eu bancava tudo, não só financeiramente, apesar de ganhar pouco, mas também intelectualmente, era meio guia para minha mãe. Resolvia as coisas para ela, dava instruções, pequenas coisas com vizinhos, algum mal entendido, tudo era eu. Então era natural que se apoiasse em mim, que criasse um vínculo mais forte, eu era o socorro em tudo. Abria mão de coisas, às vezes só ia ao clube porque algum amigo emprestava. Nunca reclamei isso, sabia que a vida me recompensaria e recompensou. Nem ligava de minha irmã mexer nos meus discos, minha radiola. Só brigava muito quando via minhas revistinhas e até poesia no lixo. Clima era sempre tenso. Discussões pesadas, gritadas. Se eu chegava e estavam todos na sala, ela saía dizendo. “Vou sair. Ambiente ficou pesado. Roubaram meu oxigênio”. Eu também não ficava para trás, respondia no mesmo tom, mesmo morrendo por dentro. Sim, eu morria por dentro à cada briga, me incomodava muito. Eu ainda procurava poupá-la perto das amigas, fingia que não ouvia pra não responder. Mas ela não. Aí mesmo que fazia questão. Um dia resolveu se casar. Perto do dia do casamento, mandou um recado para mim através de várias pessoas. Que não queria me ver nem pintado de ouro no seu casamento. Que eu passasse longe do cartório, se possível que fosse para outra cidade. Respondi. “Aquele casamento de m...? Vou não. Vou pra gandaia que é melhor que eu faço. Só eu sei que falei isso da boca pra fora. Fiquei arrasado. “Minha irmã vai casar e eu não posso ir”. Na sexta, véspera, chorei muito, numa mesa no canto de um bar. Como eu bebi naquela noite. A dona do bar, uma baiana com quem eu gostava muito de conversar e ela também gostava de me servir e ficar na mesa, com muito custo arrancou de mim o motivo de tanto choro. Contei para ela, tudo, desde o começo.. Mais experiente e vivida me aconselhou. “Esse é o momento de vocês acabarem com isso. Não haverá outra oportunidade. Sinto que você quer resolver isso, que isso lhe machuca, então essa é a hora. Ignore o recado dela. Ponha uma roupa bonita, se encha de perfume e vá dar um abraço nela. Duvido que ela seja de pedra, que resista a um abraço do irmão. Só vai faltar você lá. Quem sabe ela não deseja o mesmo que você? O orgulho impede as pessoas de se perdoarem, levam mágoas para o túmulo e isso é pura besteira. Algum lado tem que ceder. Seja você esse lado, ser humilde não é fraqueza. É força, é grandiosidade. Não tenha medo da braveza dela. Se ela maltratar você lá na hora, será ela a perdedora. Você sairá engrandecido, e mais ainda com a consciência limpa de alguém que tentou uma reconciliação. Mas se ela aceitar e lhe acolher, os dois estarão engrandecidos. E unidos. Tenho certeza que sua mãe sofre por isso. Se você cuida tanto dela, não a deixe morrer sem ver seus filhos em paz. Não tem coisa pior para uma mãe”. Isso já eram umas 4h da manhã. O bar era no centro, tinha que esperar o dia amanhecer. Vi o sol nascer meditando sobre tudo que ouvi. O casamento era às 10h no centro. Num repente, pensei. “Vou lá sim!”. Me levantei, corri pra pegar o primeiro ônibus pra voltar rápido, pois o cartório também era no centro. Tomei banho rápido, vesti minha melhor roupa, só não deu para melhorar a cara, devido ao choro, à ressaca e a noite passada em claro. Cheguei atrasado, já estavam recebendo os cumprimentos. Fiquei meio de lado, ainda na dúvida se devia ou não. Ela não me viu chegar no meio de tanta gente. Dei passos trêmulos, cheio de medo, mas também de vontade. Ela nem esperava. Aproximei e dei um beijo no rosto dela. Ela tomou um susto. Bem morena, mas ficou branca. Me abraçou demoradamente.. “Que bom que você veio. Olhei para todo os cantos para ver se você estava. Vejam, gente. O Cal chegou”. E tudo terminou ali. Ou melhor... começou ali. A partir desse dia ela virou minha maior puxa-saco. Na primeira oportunidade voltei ao bar e contei à baiana o resultado, ela me parabenizou muito. Eu disse a ela. “Não. Os parabéns são para você que me mostrou o caminho”.

21 comentários:

Chica disse...

Que lindo relato esse...Emocionante.E certamente podemos transformar os terrenos por onde passamos...abração,lindo dia,chica

feiticeira disse...

E é mesmo assim o orgulho e a dureza geram orgulho e dureza de volta. Se você der um bocadinho recebe o seu quinhão em dobro. Porque "quem não se sente não é filho de boa gente". Parabéns Carlos essa é uma óptima história para se pensar nos benefícios do perdão e do dar para receber. Beijo, adorei a sua história.

Lou a esquizoffrenica disse...

OI??!! =) que conquista Carlos, conseguiste tanto só com um simples abraço. São os benefícios do perdão. Linda a tua história, beijos

Barbara disse...

Você sempre terá respostas da terra, mesmo que árida.
Desafiastes desafeto e isto, Carlos, é como vencer guerras.
A lei do maior esforço é compensadora.
Sei que cansa mas é necessário sim.
"herói".

Pelos caminhos da vida. disse...

O orgulho sempre foi e sempre será a causa de muitas imizades, no seu caminho apareceu um anjo(baiana), um conselho e vc com a cara e coragem derrubou essa muralha que separava vc de sua irmã.
Parabéns Carlos não é qualquer pessoa que faria isso.

beijooo.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Adorei! Pois quem ama, perdoa, e Deus o abençoa! Bela, muito bela conquista. Sua postagem é simplesmente Linda e me faz muito bem*******************
Ontem, uma menina me disse que estava perdendo a visão, fui ao seu Blog e contei um pouco de mim. Hoje, ela fez um post diretamente para mim, citando o meu nome, falando de tato. Repliquei dizendo que tato, eu tenho há muito tempo (completamente cega quase estou), tanto é que jamais faria um post que pudesse magoar um amigo.
E para os que ficam sempre em cima do muro, em especial quanto ao meu post de hoje sobre verdade, que não é você, eis a minha resposta:
"Verdade ou meia verdade, cada um escolha a sua. Com a consciência de
que as conseqüências, essas, as que chegam sempre (quando se levanta o véu), nunca são pela metade."
Beijos, querido!
Tenha um lindo dia!
Renata

Everson Russo disse...

Eu penso nessa vida que devemos ser sempre maleaveis,,,devemos sempre parar pra ouvir,,,expor nossos sentimentos é sempre bom,,,mas ouvir as pessoas,,,sentir o que elas sentem, os caminhos da vida são tortuosos,,,mas como disse bem voce,,,podemos ir plantando flores pelo caminho,,,gostei da sua lembrança do Placa Luminosa....fundissimo do bau...rs..rs..rs...agora, tem outro terrivel...rs..rs..rs..vamos por assim dizer,,,,lembra do "...voce é meiga demais, por voce sou capaz de roubar até a lua..." Doutor Silvana....rs...rs...rs....qualquer dia desses, dedica em email o link dessa musica pra Menina Lu....rs...rs...rs...rs...ela vai jogar tomates em voce...rs...abraços de bom dia pra ti....

Maria Bonfá disse...

bom dia querido.. que lindo! fiquei emocionada..o orgulho sempre impede as pessoas de serem felizes.. mas vc conseguiu passar por cima de tudo e teve a reconciliação. isso mostra a grandeza de sua alma..e pra mim foi uma lição que tirei hoje para minha vida..perdoar e pedir perdão.. beijão..lindo dia para ti

sandra Freitas disse...

Voltei amigo..hehhehehe
e já circulei no seu blog...gostei do post das músicas, algumas são minhas também...rsrsr
Mas essa sua experiência reforça que o maior é aquele que se faz menor. Que se humilha, que se esvazia. "Quem a si mesmo se humilhar será exaltado, quem a si mesmo se exaltar será humilhado" (Mateus 23:12)
No final Deus honrou seu coração e deu paz no relacionamento com sua irmã.
Amei o post..
Bjokas

Sandra Botelho disse...

Sempre tem um anjo em nosso caminho e nas mais variadas formas.
Parabens, você abriu seu coração e o ouviu, e teve uma bela atitude.
Deixou de lado o orgulho, arrancou do peito as magoas e simplesmente se doou.
Sempre digo aos meus filhos que graças a Deus são muito unidos.
Que na verdade eles tem um ao outro.
Que se amem e se protejam, porque nem sempre estarei ao lado deles.
Bom como gosto de contar relatos aqui e é voc~e quem me faz me lembrar de muita coisa com suas experiencias, vou lhe contar :
Meu filho tem aproximadamente cinco anos e minha filha por volta de 11. viviam brigando, aquelas briguinhas de criança sabe.
Eu não dava muita importancia sempre deixei que resolvessem.
Um dia porem partiram para a agressão fisica, lhes passei um sabão, e coloquei os dois de pé uem uma cadeira, de frente um para o outro e abraçados. Fiquei atenta e não deixei nque se soltassem.No começo se fuzilavam com olhares de raiva, com o passar do tempo já estavam rindo da situação e se abraçando e beijando com carinho.
A partir daquele dia, nunca mais se agrediram, minha filha se tornou a maior protetora de meu filho e hoje ela com 23 e ele com 16, são apaixonados um pelo outro.
Ela o superprotegeu a vida inteira, se eu ameaçasse dar umas palmadas nele, ela entrava na frente e o protegia.
Graças a Deus, são como unha e carne.
Bjos amigo tenha dias de luz e muito perdão no coração.

Mariana disse...

Um texto emocionante.
Tens razão q nem tudo são flores, e mesmo nelas há os espinhos, cabe a nós, superá-los a dor e aprender com a vida.

Wanderley Elian Lima disse...

Comovente relato, bom que tudo se resolveu, pois a pior coisa que poderia me acontecer é não falar com meu irmão, só tenho um (não tenho irmã), e nunca brigamos, até hoje somos super ligados eu o amo muito.
Grande abraço

Mari disse...

Oi carlos,
Ainda hoje postei algo sobre o perdão...a gente vive melhor quando desculpa o passado e abraça com amor o futuro!
Lindo depoimento.
Beijos
Mari

Secreta disse...

Como sempre dizem, colhemos o que plantamos...

Edna Lima disse...

E tenha certeza de você plantou as mais lindas flores. Abraços Edna

Elaine Barnes disse...

Adorei o desfecho feliz que seguiu-se. Fico feliz que um anjo em forma de baiana te ajudou e mudou uma história de desavença que poderia se arrastar até hoje. Amei! Parabéns aos tres. Montão de bjs e abraços

paula barros disse...

Um relato emocionante, você pode até se expor, mas nos faz refletir.

Muitas vezes aparecem "anjos" usando pessoas feito a baiana que falou ao seu coração, e o melhor, você ouviu e seguiu o seu coração.

abraço

Maria L. Bózoli disse...

Plantemos flores por onde passamos amigo. Só receberemos bons frutos.

Vim te desejar uma Boa Noite!!

Anne Lieri disse...

Linda sua história de vida!Irmãos tem que ser sempre unidos,mesmo que ás vezes surjam algumas intrigas!Abraços,

♥*♥(franciete)♥*♥ disse...

Meu querido amigo, me atrasei um bocadinho e já passaram umas quantas, mas nunca é tarde quando a gente tem carinho pelos amigos vem sempre seja tarde ou cedo.
Carlos fazendo jus há sua postagem quero partilhar com você, tenho dois filhos, um rapaz de 35 e uma rapariga de 29 ambos estão na Hollanda, ele já lá estava e ela foi para lá há 4 anos,ela foi para a casa dele. Ele
é solteiro e tem feito uma vida de Lord, tudo que ganha gasta, ela como tinha saído de uma separação, estava bastante fragilizada enfim.
Desentenderam-se de tal modo,que nem se podiam mais ver um ao outro, nem com as nossas idas lá eles faziam as pazes, eu vivia numa amargura que só Deus sabe. Mas graças a Deus este ano fizeram as pazes e tem se dado como dantes, dois irmãos de corpo e alma, amigo desculpe o meu alongamento.
Beijinhos de luz e paz

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

Poxa, me emocionei.
Linda a sua atitude e fico feliz que voces esteja tão bem!

Beijo

=)