ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

quarta-feira, 29 de maio de 2013

O DIA EM QUE A FADINHA E O BRUXINHO SALVARAM A POESIA



Que a Fadinha e o Bruxinho se casaram e foram felizes para sempre já sabemos, mas a história não termina aí. Numa bela tarde passeando de mãos dadas  entre os jardins do Vale Encantado, brincando com as borboletas, com os passarinhos e outros bichinhos, avistaram um duende muito triste vindo em sua direção:  “ Finalmente, encontrei-os, Fadinha e Bruxinho. Sou de um reino distante, andei milhas e milhas, mas antes, quero dizer que  estou com muita sede e cansado, gostaria de um pouco de água ”. A Fadinha e o Bruxinho se entreolharam, e o Bruxinho disse ao visitante: “ Calma, amigo, tem uma fonte ali pertinho, vamos lá”. Chegando à fonte, saciou a sede,  e sentou num tronco, o lindo casal sentou-se num outro à frente.  A Fadinha, como sempre muito amorosa, disse:  “ O que houve, amiguinho? Vejo em seu olhar não só tristeza, mas também aflição”.  “Agora consigo falar”, disse o duende, e prosseguiu:  “ Como disse, sou de um reino muito distante, chamado Reino da Poesia”. O Bruxinho interrompeu: “Que nome bonito! Deve ser uma lugar lindo”. O duende abaixou a cabeça: “Era sim, um lugar lindo, cheio mesmo de poesia, o que originou esse nome, até o dia em que um Rei malvado, frio,  de coração de pedra, proibiu a poesia no lugar, expulsou os poetas, prendeu e prende qualquer pessoa que pelo menos cite a palavra poesia. Desde então, tudo foi ficando feio, os campos não são mais verdes, as flores não tem cor, passarinhos não cantam mais”. A Fadinha, tocou no braço do Bruxinho: “Isso é um absurdo. Temos que fazer alguma coisa, meu amor”. Ele respondeu: “Sim. Vamos tentar de tudo, a poesia não pode morrer”. O duende avisou:  “ Mas, tomem cuidado! O Rei é perigoso, pois é um Bruxo muito poderoso ”. O Bruxinho apertou a mão  da Fadinha, respondendo:  “ Nada pode derrotar a força do amor . Minha Fadinha e eu temos forças suficientes para derrotá-lo ”. Depois de pedir ao visitante que orientasse como chegaria ao Reino da Poesia, ele disse a um de seus duendes  auxiliares que o levasse  de volta numa carruagem. Feito isso, disse:  “ Vamos partir bem cedo, minha amada. Vamos descansar ”. Nem bem raiou o dia, o Bruxinho estava montado num imponente cavalo branco, a Fadinha agarrada  à sua cintura de forma apaixonada, e partiram  para a importante missão voando sobre as montanhas naquele cavalo mágico”. Chegando lá, os dois com seus toques de magia foram devolvendo vida às coisas, os campos foram ficando verdes novamente, passarinhos começaram a cantar, mas chegaram os soldados do Rei empunhando espadas para prendê-los. Os dois não se intimidaram, lançaram poderes sobre eles, e eles adormeceram. E assim foi com os dragões e outros guardiões do reino, até que chegaram  ao castelo sombrio. Outra  mágica e mais guardas adormeceram. Chegaram ao trono, o Rei ria sarcástico: “ Já sei quem vocês são, vão se arrepender de ter vindo aqui”. O Bruxinho retrucou:  “ Queremos que permita a poesia nesse reino”. O Rei nem quis saber. “ Lançou um poder terrível no peito do Bruxinho, e ele caiu”. A Fadinha respondeu com outro poder  contra o malvado, até que seu amado se  levantasse. E  foi assim: “ O Rei mandava poderes, o Bruxinho respondia, às vezes era a Fadinha quem mandava para ajudar. Mas o Rei era poderoso demais. Foi então que o Bruxinho teve uma ideia.  “ Eu amo suas ideias”, disse a Fadinha. Ele completou:  “Precisamos jogar nossos poderes no mesmo instante, ele não poderá vencer nossos poderes juntos”. Dito e feito. De forma conjunta, lançaram, e o Rei caiu por terra desmaiado. Olhando-o , o  Bruxinho disse:  “Vamos jogá-lo na prisão”. Ela alisou seu rosto:  “Não, meu amor. Se fizermos isso, estaremos sendo iguais a ele, e é justamente isso que viemos combater ... a ignorância, a frieza, a dureza de coração. Temos poderes bons, vamos aproveitar que está desmaiado, vamos nos concentrar com a nossa pureza , para fazermos  com que a poesia entre no coração dele. Você mesmo me disse uma vez que o amor sempre vence”. Ele a olhou: “  Foi com seu toque de Fadinha, que eu realmente passei a acreditar que o amor sempre vence”. E assim fizeram. Quando o Rei despertou horas depois, eles já tinham partido. O Rei não se lembrava de nada do que aconteceu, nem  mesmo do passado, subitamente virou um homem bom, querido pelos súditos,  e a poesia reinou no lugar. O  Bruxinho e a Fadinha? Ah... esses estão cada vez mais apaixonados!

14 comentários:

Lis Fernandes disse...

Olá poeta!!!
Que historinha linda e gostosa de ler.
Escreves tão bem, meu amigo que entrei nesse conto de fadas te lendo.
A poesia nunca pode morrer, pois com ela morre o brilho, as cores, a magia e tudo mais.
Encantada com o encantador texto que você mais uma vez nos brinda.
Beijos,
Lis

Nádia Santos disse...

Ah Carlos, que linda história, onde o amor sempre vence. Parabéns Um bj querido.

=> Gritos da alma
=> Meus contos
=> Só quadras

Wanderley Elian Lima disse...

Olá amigo
Doce e sensível sua estória. Realmente se um dia a poesia morrer, morre com ela a beleza da vida.
Grande abraço

Cristal de uma mulher disse...

Querido amigo fiquei tão feliz de ler este texto, foi como está dentro dele...me fascina as fadinhas porque lembra a infancia inocente..

Continua amado,tu vai longe.

Beijo e um ótimo feriado

Marisa Giglio disse...

Carlos ,
Seu texto deveria ser obrigatório às crianças que começam a ler, em todas as escolas .
Nada como incentivá-las , desde cedo , através de um belo conto de fadas , a amar a poesia .
Parabéns .
Bom feriado
Beijos

✿ chica disse...

Que coisa mais linda!!Adorei!abração,chica

* Edméia * disse...


*Carlos, taí uma boa história para

contarmos para as crianças !!! :)

*Bom feriado de "Corpus Christi"

para você , meu amiguinho poeta !

Fiques com Deus.

*Um abraço.

P.S. - *Carlos, como o nosso

mundo está carente de poesia, de

amor, de compreensão, ou seja ,

de DEUS !!! O.O

Jessiiiih =) disse...

Oiii, tudo bem? Com esse feriado prolongado resolvi visita seu blog, venha me visitar tbm, te espero
bjoo

Anne Lieri disse...

Ai,que história mais linda!Eu adorei e daria um belo livro infantil!bjs,

Janita disse...

Tão linda a prosa quanto a poesia!

Fadas, reis, bruxinhos e bruxinhas, sempre fizeram o encanto de miúdos e graúdos!
Lindo!

Beijos.

Evanir disse...

Muitas vezes quando perdemos a esperança e pensamos que é o fim,
Deus sorri lá de cima e diz:
Acalme-se confia em mim... é apenas uma curva não é o fim!
Se Deus encheu tua vida de obstáculos,
é porque ele acredita na tua capacidade de passar por cada um!
Se não podemos mover a terra com nossas palavras,
podemos mover o céu com as nossas orações!
Nossa amizade é como um diamante lapidado...
Seja feliz, DEUS estará sempre ao seu lado!
Um carinhoso abraço beijos no coração.
Carinhos na Alma.
Sempre sua amiga..Evanir..

Nyce Pinto. disse...

Olá Carlos, não tem como não comparar com nossa realidade...
Somente o amor e o bem são capazes de vencer toda e qualquer dificuldade... Amei esse casalzinho e fico aqui na torcida pelo amor e pela felicidade... Volto para ler mais estórias recheadas de amor e poesia!
Nem sempre deixo comentário, mas há muito tempo sigo teu Blog, obrigada pela visita e generoso comentário.
Um lindo final de semana! Abraços...

Severa Cabral(escritora) disse...

BOA NOITE MEU MENINO BEIJA-FLOR!
O TEXTO RELATA O AMOR SEMPRE VIVIDO E NUNCA AFASTADO...LINDO SUA EXPRESSÃO ...
BJSSSSSSSSSSSSSSS

Arione Torres disse...

Oi Carlos, linda história! O amor é capaz de transformar tudo!
Tenha uma ótima semana, beijos!