ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

sábado, 11 de maio de 2013

ENQUANTO ISSO EM BRASÍLIA... UMA MARAVILHA!


Ultimamente ver jornal na tevê dá a impressão de que estamos assistindo algum filme, tudo que se vê são crimes praticados sob olhos de câmeras. Crimes cada vez mais horríveis, estarrecedores. Pois é, nem as câmeras inibem a criminalidade, seja do bandido contumaz, seja do cidadão comum, este pratica o crime da ignorância, da intolerância. Não sou a favor da pena de morte, não temos uma sociedade justa para tal, e até mesmo em países em que a sociedade é mais justa acontecem enganos, mas sou a favor sim de leis mais duras, a favor de prisão perpétua, sou contra a progressão de pena, sou contra favorecimento a réu primário, pois vejo que isso dá brecha a cada cidadão de matar pelo menos uma vez. Sou a favor de que o preso trabalhe, para esse caso sim, até poderia aplicar algum benefício, acho que os presos poderiam ser utilizados por exemplo em operações tapa-buracos em nossas estradas, capinar as margens das rodovias etc. Sobre estupradores, sabemos que são mentes no mínimo doentias, não estou defendendo, pelo contrário, se são doentias não podem ficar na sociedade, pois fatalmente repetirão seus atos horrendos, sou a favor da castração química, ele nem vai sentir dor, apenas vai deixar de ter esse desejo macabro. E claro, que ele pague pelo que fez. Não sei ainda se sou a favor da redução da maioridade penal. Será que reduzir a maioridade para dezesseis anos, o crime não vai passar a visar os jovens de 15, ou 14? Daqui a pouco chegaremos à maternidade. Por quê? Porque o crime é “organizado” e sempre dará um jeito, enquanto no Brasil, os governos, as instituições, não são organizados, parecem não se preocupar muito, ou não são competentes para tal. Porém sou a favor de que o juiz tenha autonomia de discernir entre um caso e outro. Por exemplo. Na Inglaterra, um juiz condenou um menino de doze anos à prisão perpétua, por ter matado, esquartejado e colocado na geladeira, os pedaços de uma menina da mesma idade, pois entendeu que sua mente já estava contaminada, voltada totalmente para o crime e jamais teria uma vida comum. A sua mente já era uma mente criminosa adulta apesar da tenra idade. Paralelo à todas essas medidas que citei e que seriam soluções para curto prazo, sou a favor de que se invista na educação, na cultura, em habitação, pois a criança é a base da sociedade, é o futuro sendo semeado. Construir escolas em vez de prisões. Formar bons professores e valorizá-los. Promover a integração escola-aluno-família, como era antigamente. E sou a favor do controle da natalidade também, não pode uma mulher que more lá nas grotas de uma favela ter oito filhos.
Finalizando, em linhas gerais, a vida não anda valendo muito não, vale menos a cada dia, estão matando por aí por banalidades. Enquanto isso em Brasília não se faz outra coisa a não ser... política. Não se vê um deputado apresentando um projeto social, só se faz e fala em política. Legislativo e Judiciário disputando quem manda mais, uma guerra de poder e de egos, desde o famoso julgamento do mensalão quando houve troca de farpas e ironias entre juízes. O juiz que virou herói nacional, três meses depois, mandou um repórter chafurdar na lama com os porcos, só porque ele fez uma pergunta que não o agradou. Ah, esse ego! Governo e oposição já se lançaram à campanha eleitoral. E nós vamos vivendo, tentando sobreviver a esse bang bang nacional.

6 comentários:

Maria da Graça Reis disse...

Você falou tudo.
E que venham tempos melhores...

Um abraço

Patrícia Pinna disse...

Boa noite, Carlos. Seu texto é bem interessante, discordo de uma coisinha só, que nem você ainda tem certeza se quer.
Sou a favor que se reduza a maioridade penal, acho um absurdo IMENSO, jovens, adolescentes que sabem o que estão fazendo serem tratados como VÍTIMAS quando ceifam vidas!
Sou contra esse fato de redução de pena, absolutamente CONTRA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!, ou de qualquer benefício para o preso por "bom comportamento."
Acho isso ridículo!
Sou a favor da prisão em regime FECHADO!
Seja o crime que tiver cometido, que pague INTEGRALMENTE!
Muitos fogem quando recebem o direito de saírem no natal, dia das mães, etc.
Errou? Pague então pelos seus crimes mórbidos!
Há tanta maldade no mundo e tanta permissividade, que se não houver um freio, leis mais rígidas, tudo continuará como está!
Quanto à valorização dos professores, infelizmente, é uma UTOPIA, não é de interesse governamental que isso ocorra!
Políticas sociais têm de acontecer, é claro, mas o crime é tão esperto que burla tudo.
De qualquer modo, o governo tem de ser mais ofensivo e essas leis arcaicas deixarem de existir!
Beijos e fique com Deus!

✿ chica disse...

Temos que ter estômago pra sobreviver a isso tudo!CREDO! Obrigado pelo carinho por lá! abração,chica

Anne Lieri disse...

Um super texto,Carlos!Falou e disse tudinho que está engasgado em nossa garganta.A vida não está valendo nada e tenho medo por nossos filhos,tenho uma moça de 18 anos estudando em Campinas e tenho medo.Os noticiarios nos revoltam e muitas vezes meu marido e eu mudamos de canal pois nos sentimos impotentes diante de tanta violencia, tanta sujeira.E vc disse bem:EGO.Essa é a palavra chave para nossos politicos.Muito triste.Bjs e um domingo das mães bem legal pra vcs aí!

Maria Cristina Gama disse...

Carlos

O bom escritor escreve qualquer gênero textual, às vezes, é necessário sair da poesia e falar sobre a realidade, sem figuras de linguagem.

Um desabafo em tanto!

Um abraço
Cris

Vera Lúcia disse...


Olá Carlos,

Se eu não precisasse me manter atualizada sobre as notícias do mundo abriria mão, com certeza, de jornais e telejornais.
Endosso tudo o que você disse, apenas acredito que a redução da maioridade penal é imperiosa, pois poderá contribuir para a redução da criminalidade na medida em que os jovens são usados pelos bandidos como escudos para a prática de seus crimes. Além do mais, hoje em dia, um jovem de 16 anos sabe muito bem o que está fazendo. Obviamente, seria necessário que houvesse presídios diferenciados para estes jovens, com escolas, prática de esportes, trabalho e religiosidade. Somente assim eles teriam condições de serem reintegrados à sociedade, com possibilidade de levarem uma vida honesta e digna.

Abraço.