ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

segunda-feira, 30 de março de 2015

SALVANDO UMA VIDA

 

Acho que fui o único menino de meu tempo a nunca matar um passarinho. Muito me incomodava ver alguns coleguinhas com estilingue nas mãos, parecia um esporte matar passarinho, não havia lei dura que protege os animais como hoje, tampouco havia consciência, lembro-me que eu, inutilmente os repreendia. Lá em Ipatinga, a Kombi passava pegando a nós funcionários nos pontos. Eu sempre sentava no meio-fio, e um dia vi um passarinho colorido agonizando no cantinho, possivelmente comeu algum resto de chiclete que as pessoas jogam, ou comeu algum inseto venenoso. Enquanto o carro não chegava, peguei, fui até o posto de gasolina, molhei a cabecinha dele, dei água para ele beber também. O carro chegou, fui entrando com ele na mão, e vieram as perguntas: “Que passarinho é esse na mão, Carlos?”. Respondi: “Tava caído no chão, não sei se comeu algo ou bateu em alguma vidraça. Vou levar pro aeroporto, vou tentar salvar a vidinha dele”. O motorista já não gostou: “Vai fazer porcariada dentro do carro”. Falei: “Vai não, vou por enrolado no jornal. Se fizer, eu limpo”. Chegando lá, ajeitei uma caixa para ele, tampada mas com furos, para que não saísse voando tonto, forrei com o jornal, e sempre que podia, nos intervalos ia vê-lo, dava mais água, molhava a cabeça dele, fiz beber inclusive leite. Até um pouco de fubá peguei na cantina para ele. E não é que lá pelo meio da tarde, o danadinho não ficou bom mesmo? Fiquei todo feliz, cheguei com ele na mão, dizendo: “Olha, Fátima. Ele ficou bom”. Ela ficou feliz também: “Puxa, que legal, Carlos! Esse merecia ser seu, foi você que salvou a vida dele. Se ele pudesse falar, ia lhe agradecer”. Respondi: “Ele já está agradecendo, tenho certeza”. Ela perguntou: “E agora, o que vai fazer?”. Respondi afagando o bichinho: “Agora vou curtir ele um pouquinho... mas depois vou soltar. Bem que eu gostaria que ele ficasse comigo, mas ele tem asas é para voar. Seria um egoísmo meu prender. Salvar a vida dele não me dá o direito de prendê-lo”. E ela: “Show! Assim que se fala!”. Fui até a porta, minutos depois, falei no ‘ouvidinho’ dele: “Vai, coleguinha. Você nasceu para voar. Tome mais cuidado da próxima vez. Se der, apareça”. E soltei... e ele sumiu rápido no céu. No dia seguinte eu estava lá de novo no ponto, e tinha um passarinho idêntico a ele no fio do poste. Muita pretensão dizer que era o mesmo, seria uma coincidência divina demais, mas que eu fiquei pensando, fiquei: “Será que é o mesmo? Será que veio me ver, como pedi?”. Nunca vou saber... mas Deus sabe!
=
( imagem ultrad.com.br )

7 comentários:

lua singular disse...

Oi Carlos,
Que coração lindo que você tem, quem sabe é o mesmo?Pra mim não existe animais irracionais; eles também tem sentimentos
Adorei
Beijos

Ivone disse...

Lindo e romântico texto amigo poeta!
Gostei de ler, é muito bom poder salvar a vida dos seres pequeninos e indefesos como esse passarinho!
Deixo abraços apertados!

Cidália Ferreira disse...

Pois isso então é muito raro., Que bom que nunca o fez. Parabéns

Beijos
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Rosemildo Sales Furtado disse...

Quem sabe, foi um teste para saber se mereces ser o grande poeta que és. O homem vale pelas sua ações.

Abraços,

Furtado.

Louraini Christmann - Lola disse...

O que mais gosto de ver
é carinho com animais.
Atenção.
Respeito.

Perfeito!

Élys disse...

Gosto de ver o carinho com os animais. São vidas que têm de ser protegidas.
Feliz páscoa.

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá Carlos! Retornando para dizer que fiquei muito feliz com a tua visita, teu amável comentário e, principalmente, por teres te tornado seguidor do nosso humilde espaço. Isso somente aumenta a minha responsabilidade de melhorar tudo aquilo que crio e escrevo. Espero que voltes mais vezes, pois será sempre um prazer renovado. Eu, particularmente, aqui voltarei mais vezes, pois além de teres um espaço interessante e bastante aconchegante, tomei a liberdade de me fazer teu seguidor, isso até quando permitires, é claro.

Abraços e uma ótima Páscoa para ti e para os teus.

Furtado.