ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

segunda-feira, 2 de março de 2015

EU: INDIVISÍVEL E INFINITO...




Diziam os cientistas, astrônomos, físicos, químicos, pesquisadores da área enfim, que o átomo é indivisível. Tempos depois abriu-se uma discussão até hoje não resolvida, de que o átomo é sim, divisível, pois há partículas menores dentro dele, construindo o seu ser. De qualquer maneira a ideia única e final, é que a partir do átomo a vida é gerada, mas não quero falar de química ou física... de física quântica talvez sim, dentro do pouco que entendo. Nós também somos átomos e geramos coisas para o universo, a diferença é: que tipo de átomos queremos ser? O que vamos gerar? Também não quero falar desses clichês. O quero dizer é...
Somos átomos indivisíveis! O ponto de partida é... Somos feitos de escolhas! Até a decisão de não fazer escolhas, é uma escolha de vida. Não dá para separar, não existe “isso é passado” ou “futuro”, não dá para dissociá-los do presente, pois é tudo um conjunto de coisas dentro de um “EU”; o presente, que é o mais importante, é o fiel da balança. Tudo passa... e nada passa. Tudo o que você viveu e até o que não viveu por opção, continua dentro de você, o que se vive não se descarta, somos seres em construção. E assim, tudo permanece aí dentro, sua alegria, sua dor, seus sonhos frustrados e os realizados, as certezas e arrependimentos, as raivas que passou, as raivas que fez passar, a sua paz, a sua guerra, as decisões e omissões, as palavras que disse e que não disse, o seu grito, o seu silêncio, o choro que engoliu, sua gargalhada mais gostosa, os amores que viveu e os que não viveu, aquele beijo, aquela música, aquele filme, os livros que leu, a sua ignorância, sua simpatia, seu pecado, seu perdão e sua condenação, as partidas e chegadas, as vitórias e derrotas... sua oração... sua solidão... sua euforia... sua saudade... os abraços... sua infância... sua adolescência... e sua maturidade, ou não.
Ah, quantas palavras para definir momentos eu teria ainda para dizer, mas não caberiam nesse texto, porque além de indivisíveis, somos infinitos, dentro de nós cabe uma gama imensa de sentimentos. Preciso resumir o texto, gostaria de poder resumir o que somos, o que ‘sou’ especificamente falando, mas não sou capaz. Só há uma certeza nisso tudo: as coisas ficam para sempre dentro da gente. Isso é uma tristeza? Não... só uma constatação.

12 comentários:

Isa Martins disse...

Uma constatação que me remeteu a muitas reflexões, tipo uma nostalgia ou algo que não sei definir, enfim...coisas que só entendemos mas não conseguimos exprimir rs
Muito bom teu texto,abraços e ótima semana!

Cidália Ferreira disse...

Belo texto!

Uma excelente semana.
Beijo

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Élys disse...

Um texto muito inteligente...Com a interiorização de tudo que vivenciamos, adquirimos a cada momento que passa, mais experiência e com ela vamos, paulatinamente, crescendo.
Um abnraço.

Dorli disse...

Oi Carlos

Ainda bem que somos indivisíveis, pois seria muito pior do que hoje
Beijos
Lua Singular

Arione Torres disse...

Oi querido amigo, ótimo post!!
Vim lhe desejar uma excelente semana, abraços!!

Rô... disse...

oi Carlos,

muito bom seu texto,
aprendemos com aquilo que vivemos,sempre,
mesmo quando nos negamos à aprender...

beijinhos

✿ chica disse...

Somos mesmo assim e tu fizeste umas belas constatações.Lindo te ler! abraços,chica

MARILENE disse...

É bom que fiquem, Carlos, pois fazem parte de nosso mundo individual. Quantos pedacinhos vamos colando, durante toda a vida, nesse mosaico precioso e único! Bjs.

Reflexos Espelhando Espalhando Amig disse...

Carlos!!!!
Como é bom ler aqui
e mais uma vez constatar
que somos Uno.
Somos
In
di
vi

veis .
Como são nosso poemas
sobre todos so assuntos,
mas cada um
poema é um.
Adorei te ler
especialmente hoje, nessa
tarde
bucólica e chuvosa em Pasargada.
Espero voce la no Espelhando
todo dia tem postagem nova.
Bjins
CatiahoAlc.

Néia Lambert disse...

De fato as coisas ficam para sempre e que sejam então, em maior número, as positivas.

Um abraço.

Arione Torres disse...

Oi amigo, vim lhe desejar uma excelente semana, abraços!!

Smareis disse...

Isso é fato, são tantas coisas que ficam dentro da gente. Muitas delas a gente nem consegue traduzir. Um beijo e ótima semana!