ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

quinta-feira, 27 de junho de 2013

A HISTÓRIA DE TONNY BRAVO, A MULHER E A ÉGUA


Tonny Bravo era um destemido cavaleiro,
em adestrar potrancas era o pioneiro,
mas soube um dia que na montanha
havia uma potranca muito estranha...
e muito perigosa, a danada era nervosa;
já havia matado sete,
mas Tonny com seu topete
não podia se amedrontar,
armou-se com um laço, e a montanha foi escalar.
Lá estava a potranca
com sua temível carranca
bafejando pelas narinas
agitando ao vento sua crina.
Logo que Tonny deu a primeira passada,
tome patada e mais patada,
e relinchos pelo ar.
Foi aí que Tonny pensou: Essa vai ser difícil domar.
Mas o sangue quente do cavaleiro não permitia desanimar.
Preparou o laço, deu mais um passo
certinho como uma régua
e num instante de maestria,
laçou o pescoço da égua.
Missão cumprida, ele pensou.
Mas é aí que se enganou,
passou o resto do dia
esfregando a cara no chão,
quando mais ele tentava, mais ela dizia não.
E tome coice, tome patada
montar que era bom, nada.
Pensou então numa outra solução;
Foi se aproximando de mansinho
e fez nela uma carinho
alisou a sua crina
ela foi sossegando as narinas;
o cavaleiro destemido
disse-lhe coisas ao ouvido
que ela nunca havia sentido,
só assim ela amansou.
E Tonny falou sozinho:
‘ A mulher não é uma égua, mas a égua é uma mulher
e as duas precisam de carinho
as duas têm gênio manhoso
não vão cedendo a um qualquer.
E agora por onde eu for
vou ser muito carinhoso
vou ser sempre jeitoso
pra conquistar um grande amor '.

///////////////////////////////////////

Tentei fazer um cordel, mas meu pai que era bom nisso

8 comentários:

✿ chica disse...

rssssssss...Adorei teu cordel e a lição ao final. Carinho sempre! Muito bom! Obrigadão pelo carinho com o Santiago! chica

Élys disse...

Gostei! Muito bem humorado...
Abraços.

Anne Lieri disse...

Ficou ótimo,Carlos!Bem divertida a história e vc leva jeito tb pro cordel!bjs,

Jessiiiih =) disse...

kkkkkkkk gostei, ja tinha ouvindo falar no pica pau
http://umagarotacitouu.blogspot.com.br

Maria da Graça Reis disse...

Espertinho!!!!!
Muito boa.
Bjs

Marisa Giglio disse...

Você é bom no cordel , também .
Gostei bastante .
Grata pela partilha e pelas visitas ao meu espaço .
Bom final de semana.
Beijos

Lorena Lima disse...

Hehehehe... Muito bom!!!

Mas ainda estou intrigada com a comparação da égua ser uma mulher Humm... rsrsrs...

Abração!

Lorena Lima disse...

Hehehehe... Muito bom!!!

Mas ainda estou intrigada com a comparação da égua ser uma mulher Humm... rsrsrs...

Abração!