ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

sábado, 23 de abril de 2011

NÃO HÁ VAGAS ( repostagem )


Particularmente não gostei muito da reforma ortográfica. Acho que ela beneficia quem não gosta de estudar. Estudei num tempo em que mesmo nas provas de matemática, se a gente escrevia errado, a professora tirava meio ponto. Isso forçava o aluno a procurar escrever de forma correta. Peguei o hábito de consultar o dicionário e o faço até hoje. Cresci sabendo quem eram Castro Alves, Olavo Bilac, Drummond, Monteiro Lobato, Cecília Meireles, Casimiro de Abreu, Guimarães Rosa, Lúcia Casassanta, Eça de Queiroz, Stanislaw Pontepreta, José de Alencar, porque éramos induzidos à pesquisa e à leitura. Hoje não vejo essa preocupação nas escolas. Até vemos professores abnegados, mas o sistema não. Algumas mudanças até acho que não alteram muito, como o fim do trema, por exemplo. Mas outras, como o acento de “pára”, do verbo parar , é simplesmente ajudar os acomodados. Que profissionais estaremos formando? Não se trata apenas de escrever correto dentro do novo padrão, mas de induzir, de forçar à pesquisa, ao raciocínio. A língua de um país é um patrimônio a ser respeitado ao nível da própria bandeira. Por outro lado sei também que quem fez as mudanças tem intelecto e competência para isso.
Acabei me lembrando de uma pequena peraltice do bem que fiz na sexta série. Por coincidência, a professora naquela semana havia batido muito na tecla, sobre a letra H, no verbo haver. Ainda frisava brincando, “não confundam com expressão ‘a ver’, porque não tem nada a ver ”. Assim acabou ficando fixo na minha cuquinha. Eu e mais dois amiguinhos voltando da escola, avistamos na porta do escritório de uma grande empresa, multinacional mesmo, o seguinte aviso bem grande: NÃO Á VAGAS. Meu colega perguntou se estava errado. Falei. “Claro que está. Me empresta canetinha vermelha”. Escrevi bem grande debaixo do aviso. “NEM PARA UM “H”? O guarda da empresa viu e correu atrás de nós. Minhas pernas que eram magras correram demais. Ficamos à meia distância, provocando-o na certeza de que não nos pegaria. Jamais conseguiria, era gordo demais. Só restou a ele ficar esbravejando: “Seus pestes. E não voltem aqui para atrapalhar”. Eu respondi: “Atrapalhar? Estamos é ajudando essa empresa que não sabe nem escrever”. E gritei. “Ôôôô vergonhaaaaa!”. E saímos correndo porque ele vinha de novo. Daí uns dias passamos lá em frente, de olho no guarda, claro, e o aviso estava lá, mas modificado como deve ser no bom português: NÃO HÁ VAGAS.
Contamos para professora Dona Janice, ela riu muito e nos parabenizou. “Vocês prestaram um grande serviço à língua portuguesa. Estou orgulhosa de vocês. Continuem vigiando”. Com certeza, algum grandalhão da empresa leu, deve ter achado engraçado também e mandou consertar. No fundo me senti um pouco orgulhoso, sabendo que “colaborei com a língua do meu país”.
Vez em quando, quando vejo em grandes jornais impressos ou mesmo na internet algum erro grave, vou no “fale conosco” e mando email informando do erro. O bacana é que eles reconhecem e agradecem. Não fico fixado nisso, mas alguns são gritantes e o próprio computador tem correção ortográfica. Então escreve errado quem quer.
Alô, Dona Janice: Continuo vigiando, mas infelizmente no Brasil ainda NÃO HÁ VAGAS para a cultura.

11 comentários:

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Ê Dona Janice, aonde anda? Lembro dela dizendo: "Carlos, como você consegue ser ao mesmo tempo tão inteligente, tão bonzinho, mas tão bagunceiro?". Dizia isso apertando minha bochecha., Não sei o porquê mas as professoras gostavam de apertar minhas bochechas. Acho que elas eram fofinhas rs rs. Um abraço a todos!!!

Joéliton dos Santos disse...

Bom dia, Carlos.

Realmente há mudanças que nos deixa decepcionados. Concordo contigo. Dessa forma muita gente perderá o entusiasmo pela busca(coisa que já é bem difícil de ter). Mas fazer o que, não é mesmo?
Espero que apareçam as vagas para a cultura em nosso país.

Grande abraço, amigo.

Carla Fernanda disse...

Bom dia Carlos!!
Ainda mais hoje com essa linguagem do internetês. Conheço uma deputada estadual daqui que fez pós graduação comigo e era do meu grupo de estudos na faculdade. Era impressionante como escrevia errado, nooosssa. Até pouco tempo eu tinha uma folha de caderno escrita por ela com nada menos que 45 palavras escritas erradas: caza com z canpo com n entre outros. Na hora de apresentar seminários era ótima, um papo furado que não terminava, mais escrevendo era um terror e deve ser até hoje, claro.
Beijos!
Carla

Carla Fernanda disse...

Só não posso falar o nome do santo..kkkk ... do jeito que a repressão está voltando na política, posso até sofrer retaliações...kkk

✿ chica disse...

Linda e oportuna crônica,Carlos.Infelizmente meeeeeeeeeeesmo!!!
Feliz Páscoa pra ti! abraços,chica

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Obrigado, amigo Joéliton. Tem vagas para porcarias, infelizmente. Um abraço
///
Não diga mesmo, Carla. Meu pai dizia que quem fala verdade não merece castigo, mas talvez essa seja a única coisa que que discordo um pouco dele. Beijos, 'fessora.
///
Grande Chica. Eu sei que você conroda.Beijos

нєllєи Cαяoliиє disse...

Carlos,
Que interessante seu Post!
Infelizmente essas vagas tem se tornado cada vez mais raro nos dias em que vivemos,jovens de hoje não querem estudos e não se preocupam com isso,devem pensar que para crescer não precisam de estudos para isso,se for analisar ser presidente precisa de faculdade? e deputado?precisou de curso técnico? tudo isso,olham como se não fossem importante para eles,e banalizam o ato do estudo,estou me formando para pedagogia,e professores me contam casos nunca ouvido,no qual hoje já não é mais surpresa para ninguém né?
ótimo post!
Beijos,e Feliz Páscoa.

Marly Bastos in "palavreados ao vento" disse...

Carlos, eu concordo com você sobre a reforma ortográfica.
Vergonhosamente eu ainda não reaprendi a língua e acho que tenho certa resistência. Aprendi uma coisa a vida toda e assim ensinei por muitos anos e agora dizem que não é mais assim... Imagina o rio de dinheiro que foi-se embora com esse acordo ortográfico, e pra que? Isso não traz unificação nenhuma pra língua portuguesa. Que cada povo tivesse a sua peculiaridade e isso não afetava de forma alguma as relações.
E sabe até no trema acho que perdemos, pois eu sei pronunciar enxague, eloquente, mas e daqui a uns anos?... Era na verdade um diferencial importante.
Sei lá, ando velha demais pra desaprender as coisas que eu penso que são boas.
Parabéns pelo texto Menino.

Majoli disse...

Oi Carlos, excelente repostagem.
Eu não sou um ás no português, mas procuro sempre escrever corretamente.
Essa mudança toda que houve, me deixa meio tonta.
Por exemplo, quando vou escrever IDÉIA, ah, sem acento agudo???
Fica id(e)ia...leu como eu?
rsrsrs...insisto no idéia.

Bem lembrado por você o pára do verbo parar.

Eu também passei por essa fase de ao ter erro de português na prova de matemática, tirava-se meio ponto.

A gente sim, aprendeu...coitados dos jovens do dia de hoje.

Beijos meu amigo.

Mel Braga disse...

Menino vc é tuuuuuuuuuuuuuudo!!!
To até agora dando risada do aviso!!!(nem para um "H" ...rsss).

Infelizmente nosso sistema de educação anda meio sucateado... mas, você continua genial!!!

Feliz Páscoa Menino Beija Flor!!! que seja um dia lindo e abençoado...
que esse amor e essa paz estejam sempre presentes em sua vida!!!
beijo grande***

JGCosta disse...

De fato a gente se depara diariamente com erros enormes de português. Eu mesmo se não presto atenção cometo uns improprérios de dar medo. Ainda bem que muitos dos meus amigos são mais letrados do que eu e me pegam pela orelha!

O segredo, ainda entendo assim, para uma pessoa que escreve corretamente (ou o mais próximo disso) é a leitura constante e de bons materiais, para manter a mente atualizada. E, claro, como o bom amigo informou, um dicionário tem que ficar sempre ao alcance das mãos.

Quanto à atual reforma ortográfica, por mim, que sou da casa dos "enta" deveria ter ficado da maneira que estava! :)

Abraços renovados!