ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

O AMIGO DO PATETA


( imagem google )
Já que é natal, vamos falar de amizade. Estou repetindo este texto de 2008.

Conheci Marquinhos em 1988, quando foi trabalhar no aeroporto, mas não ficou muito tempo lá, talvez um ano. Fez cursos de radiologia e foi trabalhar num hospital onde está até hoje. Era amigo de todas as horas. Das gandaias, do futebol, dos problemas. Moleque que só ele, ria até de velório, mas quando precisava, puxava a orelha também. Apesar de eu ter muitos amigos, era o único pra quem eu deixava minha mãe me acordar. Se bem que não adiantava muito. Alguns outros invadiam meu quarto, desobecendo minha mãe e me acordavam. Éramos tão inseparáveis que alguns nos chamavam de Mickey e Pateta. Eu, mais alto, era o Pateta. Desligado, despretensioso, atrapalhado, mas bonzinho. Além disso, ele vivia dizendo que eu só o colocava em enrascadas, lembrando o Pateta das estorinhas, que se mete em confusões e não está nem aí, segue a vida. Só que eu não era tão sonso como o personagem. Lembro de um dia em que sentados no meio-fio de minha casa, me disse: “Estou bêbado demais, não sei como vou montar nessa moto. Eu disse tomando a chave dele. "Você não vai sair daqui de moto. Pode ficar com raiva, até me bater que não deixo". Ele custou a responder, mas tropeçando nas palavras, pediu: "Então você guarda aí pra mim. Mas você podia ir até em casa comigo que estou muito mal". Eu disse. "Claro". Depois de guardar a moto nos fundos fui acompanhá-lo. Passavam das 3 horas da manhã. Demoramos a chegar, morava num morro terrível, asfaltado, mas bem a pique. Cheguei em casa umas quatro horas, nem podia deitar, pois teria que levantar às cinco para pegar a kombi às seis.Se deitasse, não acordaria. No outro dia, no trabalho, me agradeceu, não só por tê-lo levado, mas principalmente porque lhe tomei a chave. Respondi. "Não precisa agradecer. PRA QUÊ SERVEM OS AMIGOS. TENHO CERTEZA DE QUE VOCÊ FARIA O MESMO".
Desde que mudei de cidade, eu só o tinha visto por duas vezes. A terceira foi em 2.004, quando fui passear na casa de uma de minhas irmãs. Acordei com uma leve dor de cabeça, tomei um remédio, mas eu não imaginava que era alérgico. Comecei a sentir meu olho meio inchado, mas seria normal, já que acordei tarde. Senti um formigamento nos lábios também. Deu vontade de deitar de novo, dormi mais de uma hora. Quando acordei, percebi meu olho esquerdo totalmente tampado. Meus lábios também incharam muito. Vendo no espelho uma imagem grotesca, gritei minha irmã. Ela se desesperou, correu comigo para o hospital.
Chegando lá, o caos fazia minha cabeça doer mais. Gente esbravejando contra o atendimento, criança chorando, gente chegando na maca. Comentei com minha irmã. “Está piorando”. Aí ela foi mais uma a brigar no balcão, mas não adiantou muito. Tinha que esperar, não teve jeito. Encostei a cabeça no colo dela de olhos fechados. Quando de repente ela disse. “Cal, aquele ali não é o Marquinhos? Com dificuldade abri o olho que me sobrava e disse: “É ele mesmo”. Minha irmã não pensou. Correu até ele, “Marquinhos, Marquinhos. Você lembra de mim?”. “Hummm... deixa ver. Você é Adélia, irmã do Cal?”. “Sim, graças a Deus encontrei você aqui”. Respondeu pronto. “Se eu puder ajudar. E ele? Está tudo bem com ele?”. Ela. “Que nada, por isso que estou aqui. Ele está ali encostado na parede”. Chegando perto ironizou como sempre: “Cara, onde você tomou desta? Aguenta a mão aí”. Foi lá dentro, trouxe uma cadeira de rodas e me levou.
Deram-me duas injeções e um comprimido na boca, e me deixaram duas horas em observação. Quando a doutora veio me checar, tirar pressão, olhar fundo de olho e tudo mais, Marquinhos já estava lá. Como se fosse um enfermeiro, ajeitando meu travesseiro, me oferecendo água e perguntando como estava minha vida. Ela encostou. Talvez vendo o carinho e atenção com ele me tratava e o empenho para que eu fosse atendido rápido, emendou ao meu amigo. “Ele é seu irmão, Marcos?” Marquinhos me olhou fixo uns 5 segundos e respondeu olhando pra ela, de forma bem frisada: "Sim ele... é meu irmão". A doutora deu um sorrisinho de ternura, de canto de boca, achando bonito ele chamar de irmão o velho amigo. “Pronto, irmão do Marcos. Você está liberado. Só não pode dirigir”. E saiu.
Depois que me vesti, apertei a mão dele com minhas duas mãos e agradeci. “Obrigado por tudo, cara”. E ele. “PRA QUÊ SERVEM OS AMIGOS? TENHO CERTEZA QUE VOCÊ FARIA O MESMO. E vê se não me dá mais trabalho, seu Pateta”.
No final do corredor dei uma última olhada para trás, lá estava ele me olhando. Fiz um aceno de mão, dando tiau para meu irmão.Desses irmãos que o destino nos arruma.

21 comentários:

Everson Russo disse...

Olha, ler seu post, atentamenta, com o coraçao, e não se arrepiar e segurar inutilmente uma lagrima é impossivel. Realmente uma amizade assim hoje em dia é dificil, dois trechos importantes, o jeito dele, "ria até em velorio", pessoas assim que o mundo precisa, alegres, pra cima e definitivamente do bem, agora o que mais me emocionou, foram dois acontecimentos em epocas distintas, o da moto e do hospital, e um mesmo sentimento, "pra que servem os amigos? tenho certeza que voce faria o mesmo", isso é puro, de coração, não tem data de validade, não tem preço, não tem forma definida, vem de dentro, vem na hora, no impulso....pra uma semana de Natal esse seu post é perfeito, eu diria até que deveria ficar definitivamente fixo no seu blog pra que todos vejam que Mickey e Pateta não são ficticios....abraços meu querido amigo, otima semana pra ti, e agradeço de coração por mais essa emoção...

Elaine Barnes disse...

Tô aqui com os olhos cheinhos de lágrimas, daquelas de alegria, de emoção. As amizades sempre mexem comigo, principalmente as verdadeiras que a vida não separa do coração e as vz coloca no nosso caminho de novo só pra matar a saudades e reafirmar o pacto de "amigos para sempre" Irmãos cuidadores que sempre tem a oportunidade de exercitar o amor.Os anjos existem. Um dia você foi o anjo dele e naquele dia ele foi o seu. Amizade é troca é algo angelical! Adorei amigo, como sempre,uma mensagem de fé. bjão

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Obrigado,Elaine e Everson. Estamos assim,digamos meio moles nesses dias.Melhor.Somos moles o ano todo,corações de manteiga,mas nesses dias, aflora mais Até pra mim que já conhecia o teto,dá vontade de chorar quando releio. Everson,quando ele respondeu à medica,eu mesmo fiquei surpreso com a forma como ele frisou. E aproveitou para usar a minha mesma frase, que com certeza guardou consigo desde que a usei.E assim não perdeu a oportunidade de devolvê-la, não só ela, mas também a mesma atenção que eu tivera com ele no passado. Oportunidades que a vida dá. Um grande abraço, mais tarde passo lá.

♥ Ariadne ♥ disse...

Cheguei aqui pelo blog do Everson e adorei...

Q história linda... Falar de amor, amizade, sentir isso é mto bom sempre... Em qq época, em qq situação!

Se quiser, apareça, será bem vindo!

Um abraço, Ari!

Mariana disse...

Que história mais "linda" e emocionante.
Felizes são os que tem amigos especiais e inesquecíveis.
Eles fazem a vida valer a pena.
Tenhas uma ótima semama

SONHADORA disse...

PARABENS BEIJA FLOR.... COMO EU SEMPRE DIGO....SO COLHEMOS O QUE SEMEAMOS...E VOCÊ DEITOU A TERRA UMA BOA SEMENTE...DAI TER UMA BOA COLHEITA...
AMIGOS SÃO AQUELES QUE NOS VÊEM NAS HORAS DE APERTO...E NÃO AQUELES QUE SÓ NOS VÊEM QUANDO ESTAMOS POR CIMA....

QUE TODOS DEITEM SEMPRE UMA SEMENTE SADIA A TERRA ...

BEIJO

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Carlos seus textos narrando sua vida realmente nos emociona. Sou de pouco amigos mas os que tenho, os guardo com carinho e são de longa data e tenho certeza que eles estarão ao meu lado em qualquer situação.
Abração

~❤ ~º♥º ~Graciete ~º♥º~❤ ~ disse...

Poi é meu amigo, irmão a gente não escolhe e por vezes nos aparece cada um que dá que fazer, mas amigo Deus põe em nosso caminho e a gente conquista.
E é como sua amiga de além mar que te desejo um Santo e feliz Natal, com milhões de amigos ao seu redor.
Recebe meu beijinho de luz para que seja mais uma estrelinha a brilhar por você.

Sandra Mara disse...

Amigo é aquela pessoa q o tempo não se apaga, q a distância não esquece, q a maldade não destrói.
Ser amigo não é coisa de um dia, são atos, palavras e atitudes que se solidificam no tempo e não se apagam mais.
Linda sua história. O real sempre mexe conosco, né?
Obrigada pelas lindas palavras em meu blog e pode ter certeza q à partir de agora vc tbm ganhou uma seguidora...
Uma terça feira iluminada e abençoada..
Beijos e até já já!

BANDEIRAS disse...

É de fazer chorar essa história Carlos.

Olha, já passei em Anita, para desejar feliz natal e agora passo aqui prá te desejar UM FELIZ NATAL QUERIDO AMIGO,

BEIJOS !

Everson Russo disse...

Meu amigo, como voce disse, somos moles o ano inteiro, o Natal talvez aflore mais isso, mas enfim, somos lagrima eterna....eu fico feliz de poder fazer essa ponte entre nossos blogs, trazer amigos pra cá, muito bom....forte abraço e um belo dia pra ti.

Tatiana disse...

Você fez parte da minha caminhada durante esse ano.

Eu agradeço de coração por você ter marcado a minha vida com a sua presença.

Desejo para você e todos os seus familiares um Natal repleto de AMOR e MUITA PAZ!

Um beijo carinhoso

Laurita disse...

Olá Carlos, lindo texto meu amigo. Esses são os verdadeiros amigos. Passei para desejar um feliz Natal com muita saúde, paz e muito amor. Beijos

Denise disse...

Ei, você, aonde vai com tanta pressa?


Eu sei que você tem pouco tempo...Mas será que poderia me dar uns minutos da sua atenção?Percebo que há muita gente nas ruas, correndo como você.


Para onde vão todos?


Os shoppings estão lotados...Crianças são arrastadas por pais apressados, em meio ao torvelinho...


Há uma correria generalizada...


Alimentos e bebidas são armazenados...E os presentes, então?


São tantos a providenciar...


Entendo que você tenha pouco tempo.


Mas qual é o motivo dessa correria?


Percebo, também, luzes enfeitando vitrines, ruas, casas, árvores...


Mas confesso que vejo pouco brilho nos olhares...


Poucos sorrisos afáveis, pouca paciência para uma conversa fraternal...


É bonito ver luzes, cores, fartura...


Mas seria tão belo ver sorrisos francos...


Apertos de mãos demorados...


Abraços de ternura...


Mais gratidão...


Mais carinho...


Mais compaixão...


Talvez você nunca tenha notado que há pessoas que oferecem presentes por mero interesse...


Que há abraços frios e calculistas...


Que familiares se odeiam, sem a mínima disposição para a reconciliação.


Mas já que você me emprestou uns minutos do seu precioso tempo, gostaria de lhe perguntar novamente: para que tanta correria?


Em meio à agitação, sentado no meio-fio, um mendigo, ébrio, grita bem alto: "viva Jesus, feliz Natal"!


E os sóbrios comentam: "é louco!”.


E a cidade se prepara...


Será Natal.


Mas, para você que ainda tem tempo de meditar sobre o verdadeiro significado do Natal, ouso dizer:


O Natal não é apenas uma data festiva, é um modo de viver.


O Natal é a expressão da caridade...


E quem vive sem caridade desconhece o encanto do mar que incessantemente acaricia a praia, num vai-e-vem constante...


Natal é fraternidade...


E a vida sem fraternidade é como um rio sem leito, uma noite sem luar, uma criança sem sorriso, uma estrela sem luz.


Mas o Natal também é união...


E a vida sem união é como um barco rachado, um pássaro de asas quebradas, um navegante perdido no oceano sem fim.


E, finalmente, o Natal é pura expressão do amor...


E a vida sem amor é desabilitada para a paz, porque em sua intimidade não sopra a brisa suave do amanhecer, nem se percebe o cenário multicolorido do crepúsculo.


Viver sem a paz é como navegar sem bússola em noite escura...


É desconhecer os caminhos que enaltecem a alma e dão sentido à vida.


Enfim, a vida sem amor...


Bem, a vida sem amor é mera ilusão.


Que este Natal seja, para você, mais que festas e troca de presentes...


Que possa ser um marco definitivo no seu modo de viver, conforme o modelo trazido pelo notável Mestre, cuja passagem pela Terra deu origem ao Natal...




Texto da Equipe de Redação do Momento Espírita.

Felina Mulher disse...

Olá Beija Flor,

Ontem conversando com o Everson ele me falou do teu blog e a curiosidade me trouxe aki...gostei muito do que vi por cá...textos muito bem escritos e de muito bom gosto.Voltarei mais vezes pra me deliciar com teu modo de sentir.Desde já torno-me uma seguidora fiel.

Beijos embrulhados em abraços.

Pena disse...

Oh, Fabuloso Amigo:
Deliciei-me, com o seu conto. De maravilhar.
Os amigos, os verdadeiros amigos, são mesmo assim.
Fantástico. Parabéns sinceros. Adorei. Um conto, verídico?, fascinante.
Feliz Natal junto da sua família de sonho.
Tem talento. Imenso.
Abraço forte de uma amizade sincera que quero preservar.
Sempre a lê-lo a respeitá-lo pela imensa significação genial.

pena


Extraordinário!

HSLO disse...

Ah! Maravilha essa história.

Feliz Natal, de muita paz e alegria.


Abraços


Hugo

Geisa Machado disse...

A amizade é algo que não dá pra explicar, só dá pra sentir, não é?
Carlos, que vc tenha uma noite de Natal regada de muito amor e paz!
E que 2010 venha cheio de realizações!
Bjussss

Sonhadora disse...

Carlos
Bela hitória de amor...bem para esta época.
desejo que tenha um Natanl Feliz e um Novo Ano repleto de felicidade, paz e amor.

Beijinhos

Sonhadora

EDUARDO POISL disse...

Ele veio para iluminar o mundo.
Mistério de luz,
inunda nosso espírito em ternuras
e modifica nosso modo de agir.
Transforma nosso egoísmo
em ações concretas.
Jesus é esperança
e nos traz paz e felicidade.
Ensina o caminho
e anuncia a salvação.

Linney Jeanne Palma

Desejo a você e sua Família,
um feliz Natal, e muita paz, imbuído do verdadeiro sentimento de
solidariedade e amor.
Abraços com todo meu carinho

Marilac disse...

Carlos,
Há amigos que são tão queridos como irmãos ou até mais.
E amigos assim são bençãos em nossas vidas, e para termos amigos temos que ser amigos.
O destino nos apronta surpresas e é bom saber que poderemos sempre contar com nossos amigos.
Adorei ler sobre Mickey e Pateta!

bjs
Marilac