ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

GRÁVIDO, EU?


( imagem google )
Lá vem o Carlos de novo.Mas eu gosto de contar essas coisas. Ainda estou pensando se conto outras. Eu não parava, gente. Todo dia tinha um fato.
Havia uma funcionária da cantina de nome Nice, acho que se mudou para São Paulo. Forrozeira até a última raiz do cabelo. Já era quarentona. A maioria das pessoas que iam às festas em sua casa tinham essa faixa de idade. Sendo assim, eu e Marquinhos, novinhos, éramos os galãs. Claro, tinha menininha também. E que festas! Saía barato, todo mundo levava algo. Chegávamos lá sábado de dia e só voltávamos no domingo já bem à noite. Um dia comi e bebi demais. Calorão doido, churrasco, vaca atolada, cerveja e caipirinha, não podiaM dar certo, né? A festa ficava melhor quando a maioria ia embora, aí só restavam umas dez ou doze pessoas. Modéstia à parte eu era o centro, era um bom contador de piadas. Certa hora comecei a sentir febre. Avisei Marquinhos no meio do bate papo, no terreiro, ele não deu bola. “Que nada.Você não é menino pra ter febre. Isso é cachaçada. Passa água no rosto, molha a cabeça”. Peguei a mão dele e pus na minha testa. Ele preocupou um pouco e mandou que Nice arrumasse um colchão pra eu descansar um pouco. Ela atendeu. Adormeci e um tempo depois todos estavam à minha volta, batendo no meu rosto para acordar. Nice falou. “O Cal está ardendo em febre”. Aí começaram as especulações. “Está é de ressaca”. O outro grita. “Vamos levar pro hospital que o cara está mal”. O outro, que com certeza tinha conquistado alguém, não concordou. “Ah, não. Hospital vai acabar com nossa noite. Õ Cal, deixa de ser ‘empata ’. Levanta daí”. ‘Empata’ pra quem não sabe, dependendo da região alguns não conhecem a expressão, é quando alguém está atrapalhando algo, principalmente um namoro. Um outro ainda grita. “Toma mais uma que sara”. Nice disse. “Eu tenho remédio pra febre. Se não melhorar, levamos ele ”. E me deu. O tempo passou, mas a febre não. E começaram a me dar vários remédios. Só diziam: “Abre a boca”. Eu abria e jogavam lá dentro. E nada de melhorar. Dá um banho frio nele. Deram de mangueira lá fora. Nada. “Passa álcool na testa”. Um engraçadinho brincou. “Não. De álcool ele está cheio”. Alguém me defendeu. “Não é nada disso. Comeu demais. Eu falei para ele parar de comer”. Nice resolveu. “Tem jeito não.Vamos levar pro hospital. Até que Carmem que estava calada até então, interferiu. “Deixa comigo.Tenho um remédio aqui que é tiro e queda . É levanta defunto. Bom pra tudo. Dor de cabeça, febre, indisposição, stress, insônia. Não dou quinze minutos e ela vai estar bom. Eu não ando sem esse remédio”. E me deu. Eu já estava agonizando. Mas estava gostando também, não nego. Dengo é comigo mesmo. E foram para fora. Dormi talvez uns trinta minutos. E não é que ela estava certa? Todos lá fora tocando violão, cheguei à porta com braços abertos. “Cadê o churrasco, cambada?”. Todos gritaram de início, mas perguntaram surpresos. “Você está bem mesmo, Carlos? Porque do jeito que você estava. Ô Carmem, esse remédio é milagroso mesmo, hein? Qual nome dele?”. Ela respondeu. “Tem um nome quase inglês, não sei falar, vou pegar aqui na bolsa”. E enfiou a mão procurando. “Uai. Cadê o remédio? Uma cartela cheia. Será que perdi? Perdi não, tenho certeza. Ainda no quarto, eu pus na bolsa”. E vasculhou a bolsa mais umas três vezes, tirou aquele monte de coisinhas que mulher leva na bolsa e tirou a cartela. Ficou contando uns buraquinhos da cartela numerada de 01 a 30. E começou a rir. Riu. Riu ... e riu. Ninguém conseguia fazê-la parar. Não aguentava mais rir. Quando finalmente conseguiu recuperar a respiração me abraçou de ombros. “Cal. Eu não lhe dei o remédio que pensei. Você tomou anticoncepcional, amiguinho”. Claro, gozação geral, piada em cima de piada. Tive que aguentar zoação a noite toda. Mas não sou bobo, levo na esportiva, senão piora, e falei. “Dizem que ‘de bêbado não tem dono”. Pelo menos se aconteceu algo, eu não fiquei grávido”. Na verdade aquilo se espalhou por toda a semana no trabalho e pelo bairro todo, porque Marquinhos deu um jeitinho de espalhar. As pessoas chegavam, punham a mão na minha barriga e diziam. “Deixa eu ver se engravidou. Não. O remédio era bom mesmo”.
Simples coincidência. O coquetel de remédios que foram me dando deve ter me sarado e não o anticoncepcional.
Para os amigos não se preocuparem, hoje só tomo cerveja, pouca e quase sempre nos finais de semana. Vaca atolada também moderada. O pique já não é o mesmo.

28 comentários:

Linda Simões disse...

HIHIHIHI!


kkkkkkkkkkk!


Sim,sr Carlos!


hihihihi


Beijos



Apreciei sem moderação...


hihihihi

Ná! disse...

Carlos, ri muito desa historia, o pessoal aqui em volta até perguntou se eu estava bem, porque estava rindo sozinha.

Já comecei o dia bem, gargalhando muito.

Beijos!

Everson Russo disse...

Meu amigo, depois dessa o mundo não será mais o mesmo....rs..rs..rs...só voce mesmo, vamos por etapas,,,,rs,,rs,,,como voce é de Minas tambem, suponho que o empata ai é o mesmo que aqui em BH...e seria empata f...não vou escrever tudo, mas voce entendeu né? rs..rs..rs..rs..agora, melhorar febre de ressaca ou sei lá o que com anticoncepcional foi otima essa, tá vendo o porque eu não bebo né? acontece cada coisa, alem de danado de bebado nao ter dono....rs..rs..rs..rs....acontece uma dessas, só espero que depois desse fato nada tenha mudado no seu corpo...rs..rs..rs..rs..rs....não tenha desregulado aquelas coisinhas mensais de mulher...rs..rs..rs..rs...to brincando, nao resisti,,,desculpa....r..rs.....abraços meu amigo, so voce mesmo pra me fazer rir uma hora dessas....otimo dia pra ti.

Faces de Mulher disse...

Meu AMIGO...
Só você mesmo para passar por essa...
Carlos você nos deixa alegria no coração com os fatos de sua vida...
É muito bom saber que ainda existem pessoas que abraçam a vida de uma forma feliz...
Por maior que seja a incoerência do momento...
Não se deixa abalar...
Levanta...
Sacode a poeira e já esta pronta para outra...
Você meu AMIGO é uma dessas pessoas...
Pena que mora longe...
Pois seria alguém que não poderia faltar nunca aos encontros familiares e de amigos aqui em casa...
Quem sabe um dia possa vir nos conhecer!?!
Será muito bem vindo...
Pode deixar que não faço vaca atolada...
Rsrsrsrsrs...
Prometo caldos leves e um bom churrasco...
E se passar por uma má digestão...
Prepararei um chazinho de camomila...
Nadinha de anticoncepcional...
Rsrsrsrsrsrs...
Amei vir aqui e soltar boas risadas...
Tenha um excelente dia!!!
BJKS...
Chrys
:)

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Oi,Chrys.Eu não ligava muito com nada e ainda não ligo,só tenho mais juizo, né. E você disse bem, vivia essas coisas nas fases mais ruins,além de ganhar muito pouco, ser arrimo de família,fase brava mesmo, mas eu não deixva problemas me dominarem. Então esse meu jeito(ex jeito) meio louquinho acho que até era vávula de escape.A ponto de me perguntarem:"você nunca tem problemas?".Claro que tinha,demais. Não é um autoelogio, mas sempre tive e tenho sim facilidade de virar o centro de tudo. Quando encontra família nada começa enquanto o Carlos não chega. Meus amigos fazem muita festa quando me veem, me dão longos abraços e isso me faz muito feliz.Sobre ir aí quem sabe um dia, não é tão longe e tenho parentes aí,né. Eu sei que não vai me dar anticoncepcional, mas agora não vou mais abrind oa boca sem olhar rs rs. Tô esperto.Beijos,amiga

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Amigo, Everson.Relutei muito em contar isso.É dose, né.Esse meu amigo Marquinhos,se eu for lá toda semana, ele conta tudo de novo sem parar de rir.Ele dizia na época:"Você já reparou que acontece de tudo com você? Você tem um ímã, um para-raios". Dizia também que vivia metendo-o em situações confusas,mas era tudo muito natural. Estou tentando um jeito sutil de contar o dia em que andamos de camburão por culpa minha, mas felizmente foi só susto também. rs rs mas não mudou nada no corpo não. E a expressão é empata f... mesmo. Eu de empata?... aí não dá

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Que bom que gostou,Linda.Venha mais. Beijos
///
Feliz por você,Ná. Pelo Everson também, que tenha melhorado um pouco o dia.Um abraço
///

Wanderley Elian Lima disse...

kkkkkkkkkkkkk, meu amigo você e suas historias para nos matar de rir.
Abração

Joéliton dos Santos disse...

Olá Carlos...Tudo bem??

Estou passando para lhe sedejar um lindo dia.

Que seu blog seja um blog de muito sucesso e sirva para alegrar cada seguidor e visitante...

Um forte abraço!!!

Faces de Mulher disse...

Que bom que fiz sorrir a quem sempre me faz sorrir...
Quem sempre me deixa feliz com seus comentários...
Bom saber que vim aqui e deixei sorrisos em sua face Carlos...
BJKS...
Chrys
;)

Glória Müller disse...

Ô, Carlos! No primeiro mês é assim mesmo, temos enjôos... Não podemos exagerar!!rs
Adorei!!!
Beijos, amigo.
Glória

"SE ENGRAVIDAR, NÃO BEBA!"

( brincadeirinha!)

Sandra Ribeiro disse...

Tudo que eu queria era rir hoje, e você conseguiu, dei boas gargalhadas!!! Ah meu querido, que delicia de post!

Elaine Barnes disse...

ahahahahahaha!!! Caracas! Muito boa a história, amigo num vale nada né?! Aproveitadores!(no bom sentido é claro) Ficam doidinhos por um "mico" pra alugar o ano todo! rs...Mas,o que seria da gente sem eles pra participar da nossa história né?!Adorei, vc é um excelente contador de "causos" bjão

Fatima disse...

Só vc mesmo Carlos!
Bjs.

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Claro,Glória.Senão prejudica o bebê,né?Beijos
///
Que bom que você riu,Sandra.Fico feliz.beijos
///
E eu era fácil de entrar nesses micos,né Elaine.me expunha demais.Mas no fundo eu gostava.Beijos
///
Obrigado,Fátima.Beijão

BANDEIRAS disse...

Kakaakakakakakak !

Tô rindo até agora,
Carlos, vc se superou !!!!
Muita boa !

Beijoão
Saudades de ti

Majoli disse...

Que delícia de história, ri bastante aqui, que coisa boa ter vindo aqui, cheguei até a esquecer dessa tal de melancolia...rs.
Obrigada por seu carinho Carlos.
Beijos meu amigo.

Sonhadora disse...

Carlos
Que história engraçada...dei boas risadas.
Obrigada.
Beijinhos
Sonhadora

SONHADORA disse...

AH AH AH AH AH AH AH AH AH AH AH

CARACA; BEIJA FLOR NÃO ACREDITO
ANTICONCEPCIONAL ?????????
IH IH IH IH IH IH IH IH

AGORA SEM PIQUE....ESSE PIQUE ERA DA VACA OU O SEU????...MORREU ????? AH AH AHA HA HA
ACONSELHO O VIAGRAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

BEIJOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Oi,SONMHADORA.Não, ainda não precisei.Até o momento ninguém reclamou rs rs. O pique que falei e de passar noites acordado,bebendo,era jovem né? Tinha que tomar júizo um dia.Beijos
///
Oi,Sonhadora.Obrigado,beijinhos também.
///
Que bom fazer Majoli sorrir.Beijos
///
Saudades também,Bandeiras.Beijos

Priscila Lima disse...

muito boa essa!
cuidado com os remedios, numa dessa vão te dar viagra...rsrsrsrsrsrs...
Abraço amigo!
Pri.

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Pode não Priscila.Senão vou ficar muito perigoooooso.obrigado.Beijos

Sandra Botelho disse...

Ainda bem que não engravidou...
Foi alarme falso...rsrsrsrs.
Meu Deus, que coisa...
Bjos querido

Rosa dos Ventos disse...

Deu mesmo para rir, que bem preciso! :-))

Abraço

Sonia Schmorantz disse...

Natal...
É o mês de confraternização Agradecimento pela vida
Bênçãos ao filho de DEUS
União, amor, reflexão!

Que o bom velhinho traga um saco cheinho de paz,
harmonia, fraternidade
Que o gesto de ternura se estenda de várias mãos
Que ao som dos sinos
O amor exploda em toda direção!

FELIZ NATAL!
UM ANO NOVO DE FÉ E SUCESSO!

Paulo Tamburro disse...

CARLOS , SENSACIONAL!!! (RS).

Você consegue o que é necessário em todo bom escritor:Prender o leitor até o final.

Tendo sido, o coquetel de remédios ou a pilula anticoncepcional, por absoluta prevenção de males idênticos futuros eu não dispensaria uma cartelinha de pílulas no bolso(rs).


Muito bom o seu texto, um abração carioca e um feliz Natal.

EDUARDO POISL disse...

Rssssssssssss, muito bom!!

Amar....
Amar é sentir um beija-flor sob as mãos
embora sabendo que ele pode voar
a qualquer instante para outro jardim,
mas deixará o pólen
que faz brotar a certeza
que amar vale a pena...
E mesmo que seja breve
será o suficiente
para ficar gravado
na mais bela das rosas.
A alma.

'Sirlei L. Passolongo'

Passando para te desejar um lindo final de semana com muito amor, paz e felicidade.
Abraços com todo meu carinho.

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Como vocês são "maldosos", não? Rindo de mais uma fria em que entrei.Quase bateu um recorde de leituras.Brincadeira.Valeu, gente.

Obrigado,Paulo Tamburro,seu blog é super humorado.

Sônia e Eduardo, casal simpático, um grande natal para vocês.