ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

terça-feira, 28 de julho de 2009

CUIDADO, FRÁGIL!


Sempre achei a vida muito frágil. Caminhamos sempre numa corda bamba invisível, numa linha tênue, indecisa de sentimentos, de preceitos, de receitas, etc. O universo é um grande cara ou coroa. Amor e ódio. Perder e ganhar. Preto e branco. O mundo mesmo, essa imensidão, é frágil, basta um sacolejar, um tremor de terra, um tsunami e pronto... está tudo no chão. Todo dia uma nova doença. Todo dia uma nova guerra. Um sábio já disse que a terceira guerra mundial será nuclear... e a quarta, será a pau e pedra. Já imaginaram como seria ou será uma nova raça humana, após sofrer efeitos de radiação, depois de uma possível guerra nuclear? Genes alterados com certeza, um novo formato físico de gente. Mas não quero falar do planeta, mas sim de quem mora nele. Eu. Você. Nós.
Principalmente porque ainda não me assusta, afinal no meio de gente estranha já vivemos. Somos monstros e não sabemos. Ah, se tivéssemos um espelho que possibilitasse ver nossa alma. Veríamos como somos horríveis. Verdadeiros dragões. Monstros de sete cabeças. Monstros de duas caras. De língua grande. Serpentes venenosas destilando veneno. Somos nós que matamos a vida. Quando pisamos numa flor, é vida que estamos matando. Quando humilhamos alguém, quando mentimos, omitimos, é vida que estamos matando. Quando exaltamos a burrice. Quando gritamos. Quando buzinamos no semáforo enquanto alguém dorme sob a marquise e não estamos nem aí, porque quem está ali não assina nosso sobrenome... é vida que estamos matando. Dizem que o homem nasceu para viver em sociedade. É piada? Conta outra. Não, pode deixar que eu mesmo conto. “TODOS SÃO IGUAIS PERANTE A LEI”. “TODA CRIANÇA TEM DIREITO A BRINCAR, ESTUDAR, SER LIVRE....”. Frases lindas na Declaração Universal de Direitos Humanos.. Utopia é isso. Depois dizem que poesia é utopia.
Quando jogamos fumaça no ar, bolinha de papel no chão, é vida que estamos matando. Quando somos espertos na fila do banco. Quando fazemos fofoca. Ufa! Melhor parar, pois é um sem fim de formas de matar a vida. A vida que se esvai sob nosso nariz ou mais... sob nossa batuta. Somos ao mesmo tempo maestros e palhaços de nós mesmos na grande arena dessa “divina tragédia humana”. Humildemente penso que Darwin não estava errado sobre a correlação entre os homosapiens e os macacos, pois acho que somos iguaizinhos. Claro que o macaco não tem culpa. Apenas mudamos a selva, ou melhor, trouxemos a selva para dentro de nós. Por isso eu escrevi:

CUIDADO, FRÁGIL!

É tudo tão frágil!
O perigo acena para os palhaços
na corda bamba da grande arena.
Pessoas de camarote, aplaudindo a própria morte.
Eles não sabem do tiro pela culatra,
eles não sabem que são frágeis.
A aids fantasiada de amor;
nem se pode mais amar.
Tem vírus até no computador.
A linha que divide o bem e o mal
é tão sensível... invisível, mas existe.
Isso é triste e dá medo.
Tudo que é invisível é perigoso;
a saudade, a solidão, o segredo.
A moeda tem dois lados
e você não pode escolher.
Precisa jogar para o alto para ver.
A cobra engole sapos pra ser feliz
e você engasgado não sabe o que diz.
Aonde vamos com esse “ser ou não ser, eis a questão”, se nem sabemos o que é SER?
É preciso saber ser! Eis a minha questão!
Paraíso total ou inferno astral.
É tudo tão frágil!
Veja a for pisada no jardim.
O luar que some na primeira nuvem.
A própria vida enfim.

23 comentários:

regina disse...

"Aonde vamos com esse “ser ou não ser, eis a questão”, se nem sabemos o que é SER? "
Meu amigo Poeta, você é fantástico. Sabe de uma coisa?
Tenho aprendido muito a "SER"
lendo estas "coisas" lindas que vc escreve...E sei bem que tem as mãos muito próximas ao coração quando escreve. Te admiro muito meu novo e grande amigo...Homem menino,anjo poeta.

Intimo e Pessoal disse...

Colocou no papel com propriedade tudo que nos cerca. Outro dia assisti as mães que fazem biscoito de barro com manteiga para seus filhos, no Haiti. De certa forma você está certo quando diz que somos monstros porque é verdade aquele ditado "Do indigente ninguém é parente". Há dois mil anos, veio para a terra um Cara, chamado Jesus, ele deixou para nós o que deveríamos fazer. Dizem que a Bíblia é difícil. Não é. É muito fácil entender o que Ele disse. As pessoas é que deturpam, modificam a verdadeira lição e então... em nome Dele, matam (exemplo disso - muçulmanos/cristãos).
Por isso, nesse ponto, discordo do amigo poeta. Deus nos criou para que vivêssemos em sociedade, depois mandou seu filho para nos colocar nos trilhos mas há o maligno que nos empurra para fora dos mesmos.
O que fazer? Rezar muito! Ter fé!

Abçs
Adriana

Fatima disse...

Mas a gente sempre pode ser diferente Carlos.
A verdadeira revolução começa em nós mesmos.
Bjs querido.

BANDEIRAS disse...

Olá,

A vida é frágil, o tempo é frágil, nós somos frágeis...

Mas o que nos falta ainda é a conciência coletiva. Acho que o segredo da resolução de muitos problemas tá ai.

Obrigada por me linkar, tbm gostei daqui, vou segui-lo.

Grande abraço.

Sonia Schmorantz disse...

Por isso que se diz que a vida é um milagre que renasce todos os dias...
Abraço

(Carlos Soares) disse...

Obrigado a todas(os)pela presença constante aqui. Percebo o carinho.Liguem não,foi só uma pequena recaída de astral momentânea. Venham sempre, senão eu também fico frágil.Beijos.

Faces de Mulher disse...

Quanto mais sábios mais fragilizados diante da derrota do sempre querer mais, poder mais, ser mais,...
“Sábios!?!”
Diante do seu texto fica a interrogação a exclamação colocada sobre esta palavra...
Temos que aprender a ser justos com nós mesmos...
Temos que aprender tirar as máscaras monstruosas de nossa personalidade...
Somos cruéis e egoístas...
Temos que colocar em pratica o mandamento amar o próximo como a ti mesmo...
Temos que aprender que o próximo é aquele que esta ao nosso lado...
E não apenas as instituições que ajudamos todo mês...
Enfim...
Temos que aprender a amar de verdade...

“Amo seus textos”
Faz-me refletir

Tenha um lindo dia
Chrys

(Carlos Soares) disse...

Feliz de ver comentários aqui de pessoas igualmente sensíveis. Todos os comentários, mesmo discordando de mim em alguns pontos(e eu gosto disso), convergem para um só ponto: o necessidade da conscientização humana.Obrigado a todos. Estou feliz

TERE disse...

Carlos!
Parabéns pelo que escreve...parabéns pela emoção que transmite.

Este poema tomei a ousadia de colocar no meu Blogue mas com os devidos créditos(autor e fonte).
A minha emoção anda nos últimos tempos com pouca inspiração...se calhar bloqueada mesmo.

Abraço.
Tere

Maria Emília disse...

Li com atenção o que escreveu e pensei: E se falássemos das coisas boas que fazemos? São tantas ou mais do que as más. É que falando do que é mau estamos a atrair o mau. Depois o futuro, quem sabe dele? Já dá tanto trabalho a construir o aqui e agora! O que é que já fez de bom hoje?
Um abraço,
Maria Emília

Chris... ჱܓ disse...

Olá!
Retribuindo a visita...
Obrigada pelas palavras em meu blog.
Gostei muito do seu..
Voltarei...
Bj.

Su disse...

Brilhante Carlos!!
É na consciência de ser e saber quem somos que deixamos de matar a vida e a integramos:)))
Bem hajas!
Joquinhas***

(Carlos Soares) disse...

Maria Emília.Concordo com você, sobre o caso da autosugestão, melhor falar do bem para atrair o bem.O mundo ainda tem jeito,porque ainda temos pessoas boas,sei disso.Não está tudo perdido, temos vários bons exemplos de gente. Sí me coloquei aí envolvido no mal no meio do texto para não parecer presunçoso, mas tenho feito algumas coisinhas boas também.No fundo só quis dar um alerta. Mas feliz ainda, de ver que tem gente boa.Obrigado pelo comentário

Majoli disse...

Bem, sabe quando você fica sem palavras ao ler?
Foi assim que fiquei ao ler teu texto, você consegue invadir de forma marcante e dar uma sacolejada na gente, nos fazendo enxergar o quanto somos imperfeitos e deixamos de agir pra que tudo isso que nos rodeia a gente pelo menos tente melhorar.
Bom demais te ler, obrigada.

Beijos e uma boa tarde pra você.

O mar me encanta completamente... disse...

Vida, fragil bem precioso.
Por isso é preciso saber vive-la.
Saber cuidar desse presente que
Papai do céu nos deu.
Sempre um prazer crescente ler o que escreve, Carlos.
Este post me lembrou que ha uma luz la fora.

Beijinho

José Carlos Brandão disse...

A vida é frágil, a beleza é frágil, para nós lhe darmos mais valor.

Aquele abraço.

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Muito bom o que escreveu, é so nós mesmos quem podemos mudar algumas coisas, outras não.
Abraços

Everson Russo disse...

Belissimo seu blog meu amigo, eu penso que a vida é fragil sim, concordo contigo, ela vale o tempo de um segundo, num voce pode estar e no outro não mais, não somos mais que isso...forte abraço, otimo dia pra ti e obrigado pela visita...

Rosa dos Ventos disse...

Somos humanos, daí imperfeitos!
Mas podíamos fazer melhor, tens razão!

Abraço

Faces de Mulher disse...

Bom dia AMIGO Carlos!!!
Tem uma carinho em meu espaço para você...
Desejo que aceite, pois, é simples mais de coração...
Bjs...
Chrys
;)

Val Craveiro disse...

Querido Carlos, você me deu em que pensar... "Quando pisamos numa flor, é vida que estamos matando. Quando humilhamos alguém, quando mentimos, omitimos, é vida que estamos matando"...
Suas palavras tem magia e poder.
Bjs da Fullana

Elaine Barnes disse...

E nesse instante estou envolvida com a fragilidade de tantos bebes nascendo, ainda falta postar o Eros que nasceu dia 14, o meu neto consaguínio em novembro e outro de uma sobrinha a seguir.rs... Somos como eles: Frágeis e ao mesmo tempo lutamos pela sobrevivência. Guerreiros que muitas vezes tem as escolhas na lâmina da espada e outras, não temos escolha diante do inconsciente coletivo. Só podemos mergulhar na tristeza e depois nos reerguermos mais fortes ainda, pra mudar ou melhorar a nossa volta, fazendo e dando o nosso melhor.Remando juntos. Amei sua visita e amei seu texto. Bjs

Deusa Odoyá disse...

Olá meu estimado poeta.
A vida se renova a todo instante.
Devemos sim ter a conciência e vivermos na paz.
Um lindo texto.
Parabéns...
Uma semana de muitas bençãos e paz.
Beijinhos doces, meu amigo.
Regina Coeli.