ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

sábado, 8 de janeiro de 2011

SEMANA "AVENTURAS DO CARLOS"- CARLOS X ASTOLFO


Namorar filha única é fogo. Um camarada me avisou. "Você está é maluco de namorar a filha do Astolfo". "Maluco por quê?", perguntei. Respondeu com jeito sério. "Filha única, xodó dele e o homem é bravo. Vai tirar sua cueca pelo pescoço". Não dei muita bola. "Conversa. Além do mais, se eu não conquistar o pai, também não mereço a filha". Chegou o dia, haviam se passado quatro meses, ele ficou sabendo do namoro e me intimou a ir lá. Ela e eu, sentados no sofá grande, de mãos dadas como nos anos 30, e ele no sofazinho à frente, torcendo o bigode com os dedos. A primeira referência dele foi ao meu cabelo.Você nao sente calor com esse cabelo?". "Pronto, começou mal", pensei. "Sinto sim, não consegui cortar, o salão estava fechado, cheguei tarde hoje". "E só tem um salão nesse bairro?". Respondi. "O senhor sabe. Cabeleireiro é assim. Quando a gente acerta com um, só quer ir nele. Amanhã passo lá mais cedo". Depois vieram as perguntas de praxe: 'trabalha em quê', 'mora onde', 'filho de quem', 'vai formar pra quê', e eu escorregando como quiabo. Quando pensei que a situação estava dominada, veio a mais tradicional. "Quais são suas intenções com minha filha?". Engoli seco, pedi água, eu precisava de tempo para pensar na resposta. Tomei e falei. "Bem, senhor Astolfo, o senhor pode ficar tranquilo... tranquilíssimo... que minhas intenções com sua filha são as melhores possíveis". A menina vendo que eu ia me enrolar, ajudou. "Pai, agora deixe a gente ir, o filme vai começar e o senhor não quer que a gente pegue a sessão das 9h, né? Acaba tarde". Não muito satisfeito, agora torcendo o outro lado do bigode (deve ser para acertar aquele bigode horroroso), consentiu. “Tudo bem. Às dez e meia em casa, hein?". Quando saíamos no portãozinho, me chamou. "Ei, rapazinho. Acabou enrolando e não respondeu. As suas melhores intenções podem não ser as minhas melhores intenções. Que raios de intenções são essas?". Pensei em pedir água de novo, mas ia pegar mal. A menina inteligentemente, interrompeu de novo. "Oh meu pai que amo. Ele disse melhores intenções de uma forma geral, abrangente. Quer dizer que fará de tudo para eu ser feliz. Quer melhor que isso?". Aliviado, completei com uma pequena besteira puxando o saco. "Viu como a filha do senhor é inteligente? Pelo jeito puxou ao pai". Ela quase saiu me carregando. "Vamos, estamos atrasados". Com o tempo, a pergunta foi ficando esquecida,felizmente, só não deixou de falar do meu cabelo, mas eu não cortava. Como alguém com um bigode daquele pode invocar com cabelo de alguém? Com o tempo vendo que eu era trabalhador, estudioso, Astolfo até ficou meu amigo. Quando o sogro bebe cerveja e torce pelo mesmo time, fica mas fácil.

10 comentários:

łuc¡คหค disse...

Oi Carlos
Tudo bem contigo?
Um ótimo 2011 pra ti amigo
Esse filme é muito bom.
Bjs e bom fim de semana

Chica disse...

rssssssss...de bobo não tens nada...agradar o sogro é preciso,rsrsr abração,chica

Pérola disse...

Muito divertida essa história rs.
Quando li sobre o bigode do sogro me vem a mente o sargento garcia rs.
Enfim...tudo correu bem, mesmo que ele ñ tenha cortado o cabelo rs.
Ele foi esperto,xavecou,legal rsrsrsrsrsr.
Beijos meu amigo.

Elaine disse...

rs... Melhor a política da boa vizinhança né?! Entre ter razão e ser feliz...Melhor ser feliz ! Adorei! MOntão de bjs e abraços meu amigo

Eduardo Medeiros disse...

heeee ótimo!! tem que conquistar o pai mesmo senão a coisa não vai prá frente!! rsss

abração

Jorge disse...

Amigo Carlos, duplo time, é?
pelo menos saiu-se bem, né?

Um grande abraço, amigo!!!

JoeFather disse...

Hehe situação complicadíssima, já passei várias vezes, mas sério como sou, nunca tive problema!

No meu último início de namoro, com 34 anos nas costas, meu atual sogro só precisou dizer isso no final de nosso embate:

"Quatro meses é um bom tempo para se conhecer alguém, não?"

É claro que eu respondi que sim, o suficiente...

No fim namorei por 6 meses e casei, dois meses de lambuja... ;)

Abração meu amigo, maravilhosas essas histórias ao pé do ouvido!

Dom Quixote (Thomaz) disse...

Muito bem contada a história, Carlos. Interessante e prende a atenção.

Majoli disse...

rsrsrsrs
Gostei demais dessa aventura.
Fiquei imaginando você lá no sofá, todo nervoso, ainda bem que por causa do horário do cinema você escapou de tantas outras perguntas que por certo viriam, aí nem 10 litros de água te acalmariam.
rsrsrs
Beijos meu amigo.
Fique com Deus.
Bom final de semana.

Rita Contreiras disse...

Fazer média é uma arte!!Bom te reencontrar!Que 2011 de felicite com grandes e boas aventuras. Abração.