ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

A GRANDE LOCOMOTIVA


( IMAGEM imagensdolucas)
Se faz parte da grande locomotiva
cumprimente, sorria, seja amigável.
Deixe a impressão de um passageiro
que tornou a viagem mais agradável.
Ceda o lugar quando necessário
O destino de todos é o mesmo itinerário.
Diga olá e não adeus,
em cada estação subirão e descerão irmãos seus.
A viagem é longa e tem seus empecilhos,
mas depende de nós que ela esteja nos trilhos,
que seja serena, que valha a pena.
Conte casos e ouça também
Alimente sonhos, fale de liberdade a alguém
Nessa locomotiva estamos só de passagem.
Que em sua bagagem leve simpatia
Que a luz do túnel seja a amizade.
Faça amor,
escreva uma poesia.

18 comentários:

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Bela descrição de como se fazer e curtir uma boa viagem. Poucos sabem desse segredo que está tão na cara!

até mais.

Jota Cê

Fatima disse...

Muito lindo Carlos!
Bjs.

AFRICA EM POESIA disse...

Depois do meu poema cansaço deixo este do meu livro"Salpicos de cá e de lá"...pag 50 e contra capa é para fazer uma pequena reflexão...

MININO"


Minino...Minino preto...
Minino de rua...
Minino roto...
Minino que brinca...
Na água do charco...
Minino que às vezes...
Tem fome...

Mas...
Minino que ri...
porque...
Tem beijo...
Tem amor...
Tem...
Pai e Mãe...Ali...
E fica a pensar...

Eu...
Minino preto...
Tem pouco...
Mas...
Tem muito...
Eu "sabe" rir...
Olho...
Ali...

O branco...
Que corre...
Que não pára...
Para ter muito...
Mas...
Que não ri...
Não sabe rir...
E tem...tudo...
Eu...

Minino preto
não tenho nada...
Mas tenho tudo...
Fecho os olhos...
E espero "ficà" grande...
Mas quero ...
Continuar a rir..
E ter...
O mundo...
Dentro da mão...


LILI LARANJO

Everson Russo disse...

Gostei do diga ola e não adeus, é sempre bem melhor mesmo, a gente tem sempre que acreditar nessa luz do fim do tunel, que ela venha logo e nos traga paz e poesia...forte abraço e uma excelente semana...

Sandra disse...

Vim agradecer avisita.
Quanto ao andar de trem ou Maria Fumaça, é muito legal.
Quando fui para Gramado, fizemos a viagem de trem desde de anita garibalde até Bento Gonçalves(RS).
Foi muito bom.
Pena que quase não existe mais este tipo de transporte.
Por aqui não tem.
Sandra

Intimo e Pessoal disse...

Como é bom ver o amigo poeta e escritor de bem com a vida! Aí está!
É sempre bom ler e reler o que está escrito e na segunda vez que li percebi que "A Grande Locomotiva" se parece com a vida. Pois também nessa vida, estamos só de passagem. Não acha?

Abçs de uma fã
Adriana

(Carlos Soares) disse...

Sim, essa é a ideia.Comparar a vida à uma grande locomotiva. Então tornemos a viagem um pouco mais agradável.abraço a todos

Everson Russo disse...

Um forte abraço pra ti amigo, tenha um otimo dia....

Anônimo disse...

Tenho certza que vocêe é um desses passageiros simpáticos, que dece o lugar, que dá olá ao invés de adeus, que torna a viagem saudável. Boa comparação. Não tem pior que viajar ao lado de alguém incoveninente num trem ou ônibus, assim como na vida.bjs e mais uma linda poesia de reflexão.
Luciane

BANDEIRA disse...

Olá amigo,

Que delícia de viagem.
A nossa vida é uma viagem, alguns ficam pelo caminho , outros teimam em não chegar ao destino, outros se perdem...enfim, mas essa viagem tem começo meio e fim, e ela poderá ser muito prazerosa, só depende de nós.

Amigo, em relação ao meu post, eu já arranjei meu amor, mas eu gostaria que se ele não tivesse todos aquelas características, que pelo menos tivesse algumas delas - rsrsrsrsrsr.
Nós mulheres reclamamos de tudo !!! acho que é a menopausa, já estou com 44 !!!hahahahahah !.

Bjs

Maria Emília disse...

Longa ou curta, é uma viagem que todos temos que fazer. A melhor forma é encará-la como uma viagem maravilhosa e tirar dela o máximo partido. Até Sempre.
Um abraço,
Maria Emília

(Carlos Soares) disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
(Carlos Soares) disse...

Obrigado pelos recados carinhosos de todos, mas um em especial, eu não ppodia deixar de comentar.
BANDEIRAS
Essa eu não podia deixar de
re-responder( existe isso?).E eu não sei que mulheres reclamam de tudo? Haja orelha pra escutar.Estou escolado.Mas nós homens deixamos sim um pouco a desejar

Majoli disse...

Ontem vim e li, pensei ter comentado, mas agora vi que não...rs.
Ao te ler lembrei-me de uma música de Flávio Venturini, "No Trem do Amor" em que ele diz mais ou menos assim: "É no trem do amor que a gente se vê
Tome logo o seu lugar pra rolar no trem
É só consentir
No que o coração mandar"

Nossa vida é mesmo uma viagem emocionante e que todos nós saibamos levar na bagagem o que de melhor pudermos ofertar.

Beijos.

beatriz disse...

Amigo lindo, está também linda a sua locomotiva, olhe eu tenho uma de uma viagem feita pelo meu marido á terra dele, e uma estação antes que se chama Mortágua, em tempos uns fulanos de lá quando lá meteram o tribunal a primeira coisa que eles fizeram foi matarem o juiz.E nimguém chegou a saber quem foi,então eles ficavam fulas quando alguém lá passava e perguntava quem matou o juiz, um dia o meu marido passou lá e ele perguntuo quem matou o juiz, e um companheiro dele disse foi mortágua, veio de lá uma bengalada com o cabo de um guarda-chuva que o desgraçado andou mais que tempos com um galo na cabeça.
E até hoje ninguém sabe quem foi.
Beijinho em seu coração

(Carlos Soares) disse...

Aniga linda Beatriz. Historinha engraçada. Ah, locomotivas. Já "dirigi" algumas. bjssss

AFRICA EM POESIA disse...

Carlos soares

Um beijo e obrigada pelo gosto

O palhaço é sempre

...POESIA.

Sonia Schmorantz disse...

Em cada estação alguém há de desembarcar, alguém há de embarcar, que quem vá leve saudade, que quem chegue encontre carinho...
abraços