ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

PÉROLAS AOS PORCOS


“ Olha, meu filho! Tenho oitenta e oito anos, escrevo desde uns oito. Eu sou simplesmente apaixonada com poesia. Nunca pare de escrever. Isso é a coisa mais linda do mundo. Respeite-a, porque foi Deus quem colocou dentro de você. Deixe que lhe façam qualquer coisa, que lhe batam, xinguem, riam de você, mas não deixe jamais que lhe tirem a poesia. Ela é a sua essência”.
Palavras de uma senhora que assistia uma premiação literária em que eu estava. Eu chamo esse dia de  “o dia em que a poesia falou comigo”. Eu já levava a poesia muito a sério, não me canso de dizer, é a coisa que eu sei fazer mais bem feito, não dou muita bola para outras coisas, a poesia é meu melhor instante, quando escrevo sou outra pessoa, mas a partir desse dia passei a valorizar ainda mais meu dom. Outro dia vi um psicólogo dizer na tevê que  "dizer que é apenas um dom de Deus, é subestimar-se, pois é um dom de Deus sim, mas a gente precisa trabalhar o dom que recebeu", e eu creio que trabalhei sim, evoluí muito, não vou usar falsa modéstia, aliás, detesto falsas modéstias, cada um sabe o valor de si. E assim, valorizando ainda mais, associei tanto minha escrita à minha vida que passei a filtrar, a peneirar quem gosta de mim, quem merece estar comigo, pois quem não me lê, não me conhece, não me compreende, não sabe o melhor de mim, não é meu amigo, quem boicota meus escritos nunca devia ter entrado na minha vida, quanto mais longe melhor. Eu perdoo tudo nas pessoas, exceto boicotar, menosprezar o que escrevo; já saí batendo a porta da sala de um chefe de jornal porque ele quis cortar no meu poema para caber na página. No outro dia ele ligou e publicou meu poema todo, e ainda me parabenizou pela minha atitude. Já arranquei das mãos de uma garota um poema por  ela debochar dele, sinal de que não entendeu. Detesto gente debochada, é a pior espécie. Quando uma pessoa não  dá valor ao que a gente escreve a impressão é de ter jogado pérolas aos porcos. É, eu andei jogando pérolas aos porcos, mas fiz na boa intenção, eu pensei que eles entenderiam. Mas que tolo eu sou, os porcos, os debochados, os boicotadores,  não entendem de poesia. Ah, não vamos culpar os porcos, nem as galinhas, nem as vacas, eles não merecem essas comparações. “ A César o que é de César, a Deus o que é de Deus”, não é assim que fala? Então, ao poeta o que é do poeta: a presença de quem o ama.
=

O poema abaixo escrevi no dia seguinte após a fala daquela senhora.

ESSÊNCIA...
Deixa que te batam.
Que te vaiem,
que te xinguem.
Deixa que te isolem, que te amolem.
Não liga que teus sonhos eles esqueçam, que te aborreçam.
Que amanheçam à tua porta cobrando verdades e até mentiras.
Deixa que zombem, ironizem, na vida tudo passa.
Sê como a caravana que ouve os cães e segue em graça.
Deixa que não se encantem contigo, que plantem toda maledicência
Só não deixes jamais que mexam na tua essência.
==

(imagem google )

7 comentários:

Ivone disse...

Boa tarde amigo Carlos, essa frase "não jogue pérolas aos porcos" é bíblica, portanto nem todos entenderão e/ou valorizarão suas pérolas(no caso a poesia).
A Vida é mesmo assim, cada qual valoriza o que entende, o que sente, as idades espirituais são diferentes tanto quanto há a diferença em tudo!
Abraços amigo poeta, seja você e o resto deixe para lá, pois viver é mesmo isso, seguir em paz!

Cidália Ferreira disse...

Como sempre, adorei ler-te!

Continuação de um bom Ano
Beijos

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Filha do Rei disse...

Oi!!!Tenha um surpreendente e abençoado 2016!!Que possamos dar valor ao que realmente é "precioso". Bjs

Andre Mansim disse...

Carlos, meu amigo poeta...
Vou te falar uma coisa: A gente que escreve vai passar por todos os tipos de reação, desde a mais extrema valorização, até o desprezo total. Não adianta ficar chateado ou revoltado.
Porque quando a gente escreve pra gente e não mostra pra ninguém é uma coisa, mas quando a gente publica algo... Aí tem que aguentar as críticas.
Uai... Jesus não agradou todo mundo... Quem somos nós?
Um abraço, gosto de seus escritos, me desculpe se fui duro no comentário.

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Amigo, Andre Mansim. Antes fossem as críticas, até aí tudo bem, mas eu falo de boicote. Quando criticam é sinal de que estão lendo, mas o boicote dói sim. E esteja à vontade para fazer qualquer comentário. Abração.

Patrícia Pinna disse...

Boa noite, Carlos. Concordo plenamente com as palavras da senhora.
Existem inúmeras pessoas que não entendem de piesia julgando com imenso desdém.
Claro que as pessoas não vão obrigadas a gostar,mas devem respeitar.
Creio que é dom de Deus e que,aos poucos, é como se ela formasse um corpo só,uma alma única.
Vamos nos tornando mais exigentes, isso é natural, a poesia pede isso , transpiração!
Adorei!
Beijos na alma e tudo de bom!

© Piedade Araújo Sol disse...

Carlos

gostei do seu artigo e concordo com tudo que você escreveu.

o poema está simples mas bonito.

um beijo

:)