ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

sábado, 24 de agosto de 2013

ASSEVERO - O JUDEU ERRANTE




  ( imagem psiquecienciaevida.uol.com.br )

A Bíblia tem muitas histórias paralelas à  história de Jesus Cristo, e decorrentes da própria história Dele. Dia desses, eu estava numa festa, onde conheci um senhor bem velhinho, mas muito lúcido, esperto ainda fisicamente, e muito, muito inteligente, mas muito mesmo. Não consegui identificar o sotaque, mas tinha sim, um sotaque diferenciado. Falamos de tudo que se possa imaginar. Em certo momento, por causa da idade dele, convidei-o a se sentar, e ele disse:  “Não eu não gosto de sentar”. Solidário, fiquei em pé também,  e a conversa fluía pelos mais variados temas. Eu não conhecia a história ( ou lenda?) de Assevero, o judeu errante. Assevero morava numa rua por onde Jesus passaria rumo ao calvário. Cansado pela cruz, ensanguentado e sedento, Jesus pediu água, ao que o judeu respondeu, além de lhe desferir um pontapé:  “ Vá para frente,  condenado! Você não pode parar!”.   Jesus respondeu:  “ Judeu... o  meu peregrinar está para terminar. O teu, porém, se prolongará até a minha volta, no fim dos tempos´.  Andarás errante, sem destino, sem pousada e sem ninho. Tua sede não se saciará”. E assim, Assevero se tornou o judeu errante, perambulando sem parar por povoados, cidades, países, e onde passava assumia os semblantes de todas as raças, numa busca inútil da mesma acolhida e piedade  que negara a Jesus. Paralelamente à essa lenda (ou história?), comparo a saga do judeu errante a nós todos, por causa de nossa sede infinita de felicidade, e essa sede nos torna  mesquinhos ou grandes, livres ou escravos. Depende de como vamos conduzí-la.
Já era um pouco tarde quando aquele senhor disse que precisava se retirar, e quando estendi a mão para me despedir, ele não deu a mão, mas me abraçou. Eu perguntei: “De onde o senhor é?”. Ele respondeu: “Sou de longe. Sou judeu”. Distraído porque alguém me chamou, não o vi sair, até me frustou um pouco,  eu queria saber quando o veria de novo. O dono de casa chegou: “Quem era aquele senhor, Carlos?”. Respondi surpreso: “Como assim? Pensei que era  seu parente, ou de sua esposa, um tio, um avô, sei lá”. E ele: “Não. Nunca vi. Eu que pensei que era seu amigo. Não sei de onde veio, simplesmente apareceu aí. Como estava com você, não me importei. Ele também não incomodou em nada... não comeu, nem bebeu”. Foi aí que me lembrei... de fato, o tempo todo ele não pôs nada à boca, os pratinhos e os refrigerantes, passavam, e ele rejeitava. Não estou fantasiando de que aquele senhor poderia ser o judeu errante chamado Assevero, seria absurdo demais  mesmo na cabeça de um poeta, mas muitas coisas me deixaram intrigado: Um senhor daquela idade ( que idade, se perguntei duas vezes e ele não disse? ), ficar por quase quatro horas de pé, falando de Sócrates, Sófocles, Pitágoras, Gandhi, Einstein, Beethoven, Joana D’Arc, Papas antigos, Diabo e Jesus Cristo, e mais um sem fim de assuntos que se sucediam com uma facilidade impressionante. Tudo isso, sem tomar uma água sequer ou comer um salgado, ou um pedaço de bolo. Ninguém o viu entrar, ninguém o viu sair. Não sei se o verei de novo, mas dessas palavras dele, nunca vou esquecer:  “Um livro aberto é um amigo que lhe sorri. Um livro fechado é um amigo em solidão. Um livro rasgado, é um coração despedaçado". E essa...  “O tempo é o melhor professor... ele ensina até quem não quer aprender”.

11 comentários:

Dorli disse...

Oi Carlos,
Então, Será por isso que os judeus foram massacrados por Hitler?
Bom fim de semana
Beijos
Lua Singular

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Querida amiga Dorli. Não, não acho que Hitler teria essa cacife dado por Deus para ser o justiceiro Dele, aliás, foi considerado por muitos como o anticristo, né?. beijos, amiga.

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Oi Carlos,estou aqui para lhe agradecer a visita e comentário no meu espaço.

Estou lhe seguindo.
Adorei o texto,para ser lido e relido.

abraços
Carmen Lúcia-mamymilu.blogspot.com

Maria da Graça Reis disse...

Adorei o texto.Muito bom.
Isso foi verdade mesmo?
Se for verdade é muito estranho.
Bjs

Sandra Botelho disse...

Bonita historia. E muito boa sua descrição. Jesus jamais condenaria alguem a ficar pela terra perambulando. Acho que é mais uma lenda que uma historia biblica. mas vou ver isso Pra falar com certeza. Bjos achocolatados

Arione Torres disse...

Oi Carlos, muito bom o texto!
Tenha uma ótima semana, abraços!!

Dorli disse...

Carlos,
Hoje é meu niver
Beijos
Lua Singular

Wanderley Elian Lima disse...

Até onde é imaginação e realidade? Bela história meu amigo.
Abraço

Ritinha disse...

Interessante o texto e interessante o personagem, real ou não, mas intrigante e bom...
Não seria uma alma iluminada?
Anjo?
Gostei!
Bjs
Ritinha
(um alienígena talvez - olha onde foi a minha imaginação)

Anne Lieri disse...

Gostei dessa frase do tempo!Muito sábia e verdadeira!O tempo sempre ensina,com certeza!Bem instigante sua história,tb fiquei curiosa pra saber quem seria esse senhor!bjs,

* Edméia * disse...


*Carlos, tua história me

impressionouuuuuuu !!! Fiquei

CURIOSA !!! Creio que o velhinho era

o próprio JUDEU ERRANTE !!! :))

*Olha, Carlos, tenho 53 anos

de idade e ... se eu voltásse

hoje nos meus 20 anos de idade

com a experiência que tenho no

momento atual, certamente, alguns

erros eu não iria cometê-los e

eu iria ser MAIS FELIZZZZZ !!!

(*Pena que a gente só aprende a

jogar quando já vai dar o sinal

para acabar o jogo !!! Essa é a

VERDADE !!! ).

*Carlos, menino beija-flor,

poeta e escritor, tenhas um lindo

e perfumado mês de Setembro !!!

*Fiques com Deus.

*Um abraço.