ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

domingo, 17 de novembro de 2013

POEMINHA DO ADEUS


Não mereceu...
Esmoreceu
Perdeu
Pereceu
Morreu
Fedeu
Escafedeu.
Não entendeu
meus “ais”, “meus ois”, meus eus...
Adeus!

11 comentários:

Orvalho do Céu disse...

Olá, Carlos
Quando não somos entendidos, o jeito é dizer tchauzinho e partir pra algo melhor!!!
Abraços fraternos de paz e bem

✿ chica disse...

Decidida e bem bolada despedida! Gostei! abração,chica

Anne Lieri disse...

Triste demais quando um amor acaba! Linda sua poesia e semana passada postei uma sua no meu Recanto tb! Bjs e boa semana,

Dorli disse...

Oi Carlos,
Uma palavra só bastava para dizer: procure seu rumo.kkk
Adorei sua despedida
Obg
Beijos
Lua Singular

Vera Lúcia disse...


Bacana demais, Carlos!
Gostei de sua composição para este 'Adeus'. Mais claro, impossível-rsrs.

Ótimos dias.

Abraço.

© Piedade Araújo Sol disse...

pois é, por vezes é melhor mesmo, um adeus...

:)

Arione Torres disse...

Oi amigo, Às vezes nós devemos nos despedir.
Tenha uma ótima semana, abraços!

Claudete disse...

Olha este adeus foi definitivo, rs, depois de tanta rima o "eu" morreu mesmo! É por aí Carlos quando não dá mais até a poesia cansa e o adeus não vai... Se esvai . Abração poeta.

Carla Fernanda disse...

Doeu!!!!!!!!

Por isso, eu não quero adeus amigo!

Beijos

O tempo das maçãs disse...

Um adeus bem ritmado, Carlos.Gostei!

Beijinho, querido.

Patrícia Pinna disse...

Boa tarde, Carlos.
Amei! É isso aí, não fez por onde merecer, perdeu, deixou de viver uma bela história de amor, ou oportunidades na vida de qualquer espécie.
Aqui, creio que falou de alguém que não valorizou o amor recebido.
Temos de valorizar a nós mesmos, se doamos amor e desvalorizam a nossa doação, cansamos de perdoar, chega a esse ponto certa hora!
Parabéns!
Beijos na alma e paz!