ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

segunda-feira, 22 de julho de 2013

NOITES DE FLORBELA ESPANCA


A flor pode ser bela,
mas se o espinho fura o peito
não tem jeito
fica a a sequela
e a dor não estanca.
Tenho vivido noites de Florbela Espanca.

Noites sem fim,  dias sem razão
e eu procuro para mim
qualquer outra ilusão,
um novo sentido de ser.
Tem sido assim...
Esperando que eu v á preencher,
a vida parece uma folha branca,
mas,  perdi a inspiração.
Tenho vivido noites de Florbela Espanca.

Vida louca, vida pouca!
E assim vou vivendo entre ervas daninhas
que o tempo não arranca,
sei que as dores não são só minhas,
tenho chorado junto com Florbela Espanca.

13 comentários:

Nádia Santos disse...

Arrasou poeta! Adoro Florbela Espanca e tu também.... um bj Carlos

Maria Cristina Gama disse...

Lindo poema...

Brincar com o nome da "poeta", e ao mesmo tempo falar do que vai no peito...

Mas o tempo cura tudo, até que chega um novo amor e arranca as erva naninhas e reergue você outra vez...

Beijos, poeta
Chris Amag

B

Claudete disse...

comungo com você esta metáfora...Entretanto me pergunto por que? Vejo que parece uma síndrome generalizada algo está a trafegar pelo "ar" , inspiramos e não sabemos identificar? Acontece que estou muitos anos adiante de vocês... pelo visto não é seletiva , mas como diz o poeta Branchur ( um dia conto sobre ele, rs,) : é o tempo, inexorável e cobrador. Abração poeta você é dez!

Vera Lúcia disse...


Lindíssima a poesia.
Florbela foi uma bela fonte de inspiração para você.
Li e reli.

Abração e ótima tarde.

✿ chica disse...

Lindíssima poesia e inspiração! abraços praianos,chica

LUCONI disse...

Carlos ficou lindo o poema, apesar de bastante triste, Florbela Espanca era tão triste, uma vida pelo que sei bem infeliz, e não quero crer que a do poeta assim seja, oxala seja só um poema, uma inspiração, beijos Luconi

© Piedade Araújo Sol disse...

chorar por vezes (quase sempre) acalma e lava as ferias.

seu poema é sentido, embora um pouco nostálgico.

um beijo

:)

Ritinha disse...

Bom dia!!!
Vim visitar, xeretar e resolvi ficar.
Aos poucos ficar descobrindo os encantos deste seu cantinho de "poetizar"...
Vamos nos falando atráves das palavras.
bjs
Ritinha

Filha do Rei disse...

Carlos, confesso que fazia um tempinho que não vinha até o teu blog, mas fico feliz ao ler lindos textos, lindas emoções.
Bjs

MARILENE disse...

Ficou muito belo. Você abraçou alguém que me fascina e construiu mágicos versos. A melancolia que existe neles foi "plantada" de forma especial. Bjs.

luna luna disse...

lindo poema inspirado em tão bela poetisa
beijos

Anne Lieri disse...

Muito linda sua poesia e,se sem inspiração faz uma coisa bonita dessas,imagino inspirado!bjs,

Maria da Graça Reis disse...

Olá,amigo poeta!
Linda reflexão...
Quem nunca teve noites de Florbela Espanca?
Viu como eu tenho uma bola de cristal...
Lembra do meu comentário sobre os seus pensamentos...Deve ser isso...
Olhe bem para os jardins e quem sabe você não descobre alguma rosa entre as ervas daninhas.
Isso passa,até as suas noites de Florbela.
Beijo no coração