ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

sábado, 3 de novembro de 2012

AS MURALHAS

( imagem clickhandler.ashx )
AS MURALHAS
Já caíram os dentes de Jó
Já caíram as muralhas de Jericó
desmoronou a Torre de Babel,
elevador errado para chegar ao céu.
Foi abaixo o Muro de Berlim.
Estragamos o início, mas temos meios de melhorar o fim.
Tantas barreiras já caíram, já ruíram,
mas ainda há tantos muros a cair:
Da ignorância, da arrogância
Do egoísmo, do racismo
Da violência física e mental, da palavra banal
Da diferença social
Da paz mal resolvida
Da hipocrisia
E qualquer outra barreira que não deixe florir a vida
que não deixe passar a poesia.
Mas isso é tão fácil, pois esses muros estão dentro de cada um
É tão simples fazer desse mundo um lugar comum... uma casa só
Derrubemos dentro de nós a Torre de Babel
que nos impede de tocar o céu
para que tenha valido toda a paciência de Jó.
Que caiam meus dentes, mas eu sou persistente, e estou crente
de que tudo vai cair
tudo vai passar
tudo vai florir
a vida vai jorrar.















20 comentários:

Maria Bonfá disse...

ola Carlos..sempre é uma delicia te ler.. eu tambem acredito que um dia tudo vai passar.. obrigada pela visita..beijo

Everson Russo disse...

Na verdade meu amigo,,,todas essas muralhas e muros derrubados foram simbólicos para que o homem percebesse que ele tem que derrubar as muralhas que existem dentro dele mesmo,,,as de todos os preconceitos,,,desamor,,,e ser feliz construindo ai sim,,,um mundo bem melhor...abraços e uma semana repleta de paz pra ti.

✿ chica disse...

Teus poemas, sejam em qual forma fores, são lindos! E temos sempre muralhas a derrubar!! abração,chica

Anne Lieri disse...

Carlos,saudade de te visitar e me perdoe se nem sempre venho,mas tenho mesmo mal respondido as pessoas que deixam comentario no blog.O Face só passo voando,mas ás vezes te leio por lá e curto seus belos textos!Coloco seus textos no Recanto algumas vezes tb!Esse ficou bem forte,um chamado a todos nós ä união e contra a presunção,a arrogancia!Bravo,poeta!bjs e meu carinho,

luna luna disse...

Sem duvida que tudo esta em nós cada um individualmente tem que quebrar essas barreira e urgentemente para a vida começar ter ter sentido
bjs

Maria Cristina Gama disse...

Querido Menino Beija-flor

Quanto ao formato, tem a ver com o jeito que digita e coloca no seu blogue, e depois coloca a imagem, deve ter paciência e ir tentando, até sair certo...

Como sempre, seus textos são muito inteligentes, o jogo de ideias que fez, a comparação sobre muros dentro de nós, sobre a Torre de Babel e sobre a paciência que temos de ter, eu admiro muito o jeito como escreve poeta, pena que saiu em forma de prosa, quem sabe,consegue editar sem perder os comentários... rs

Sobre os muros, acho que tenho alguns dentro de mim, preciso construir uma janela, depois uma porta para depois derrubar tudo...


Saudade...

Bjs
Chris Amag

MARILENE disse...

Mas a leitura fazemos em versos, pois suas palavras dão a direção correta.
Não adianta esperar que o mundo mude se os indivíduos não começarem essa limpeza por seu interior. Bjs.

Cristina disse...

No deberían existir los muros, ni la intolerancia.
Precioso post, te djeo un fuerte abrazo.
Buen comienzo de semana.

Janita disse...

Amigo Carlitos.
Também me vou habituando aos poucos ao novo formato da interface, mas já me tem acontecido sos versos sairem como texto e não aceitar rectificação.
O pessoal do blogger só nos complica a vida!
Não importa, amigo, tudo o que pretendeste dizer está aí.
Muita coisa se perdeu desde o início dos tempos, esperemos que o Homem tenha agora o bom-senso de não arruinar o que restou.
Beijos com carinho.

Janita

Estrela disse...

Olá, querido poeta!
Como sempre, sua inspiração flui e tornam as linhas maravilhosas para se ler. Não se preocupe com a forma, poeta.Reconhecemos que é um poema quando começamos a ler.
Bjus!

Zilani Célia disse...

OI CARLOS!
DERRUBAR NOSSAS MURALHAS INTERNAS É UM EXERCÍCIO, MUITAS VEZES DOLOROSOS, MAS, QUE APÓS CONSEGUIR, SENTIMO-NOS LIBERTOS.
BELO TEXTO, MESMO SEM A FORMATAÇÃO DESEJADA.
ABRÇS

zilanicelia.blogspot.com.br/
Click AQUI

... "gigi"... disse...

Olá Menino Beija-Flor...

Oxalá vejamos a ruína de todas as muralhas pelo que elas significam...

Interessante teus escritos...

Bacio blu, grazie per la visita...

Obs: Sobre a nova interface, penso que todos estranharam, comecei a usá-la desde quando à apresentaram, no começo tive muita dificuldade, porém agora já domino a fera. rsrs

Com calma tu consegue... Vai treinando...

António Jesus Batalha disse...

Meu nome é António Batalha, estive a ver e ler algumas coisas de seu blog, achei-o muito bom, e espero vir aqui mais vezes. Meu desejo é que continue a fazer o seu melhor, dando-nos boas mensagens.
Tenho um blog Peregrino e servo, se desejar visitar ia deixar-me muito honrado.
Ps. Se desejar seguir meu blog será uma honra ter voce entre meus amigos virtuais, decerto irei retribuir com muito prazer. Siga de forma que possa encontrar o seu blog.
Deixo a minha benção e a paz de Jesus.

Everson Russo disse...

Uma bela noite pra ti meu amigo e ótima terça feira...abraços.

Fernanda Oliveira disse...

Nossa amigo Carlos, que belo texto, amei. Realmente ainda há muitas barreiras em nós, que precisam ser derrubadas. Parabéns, vou compartilhar no face, com o link do seu blog. Beijos! Fernanda Oliveira

Estrela disse...

Poeta, estou aqui para reverenciar
a literatura que se forma entre seus dedos e dizer que perdoo sim,os seus sumiços.
Bjão!

#*Marly Bastos*# disse...

Que caiam as Muralhas de Jericó e tomemos posse da cidade!
Um texto onde a fé e perseverança me encantaram.
Buchechudo que amo!
bjks doces

Anne Lieri disse...

Carlos,hoje só passei pra dizer que tem texto seu lá no Recanto:

http://recantodosautores.blogspot.com.br/2012/11/nao-conto-mais-estrelas.html

bjs e obrigada!

Janaina Cruz disse...

Que caiam as más coisas e elevem-se as coisas que fazem bem a todos os seres.

To na torcida para que mexer no blog, seja coisa fácil viu?

Abraços

Anne Lieri disse...

Carlos,hoje passei mesmo pra agradecer de coração sua presença no Recanto dos autores,permitindo sua poesia e tb como comentarista!Um beijo!