ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

sábado, 9 de junho de 2012

EU QUERO É BOTAR MEU BLOCO NA RUA


Eu Quero é Botar Meu Bloco na Rua
(Sérgio Sampaio)

Há quem diga que eu dormi de touca
Que eu perdi a boca, que eu fugi da briga
Que eu caí do galho e que não vi saída
Que eu morri de medo quando o pau quebrou

Há quem diga que eu não sei de nada
Que eu não sou de nada e não peço desculpas
Que eu não tenho culpa, mas que eu dei bobeira
E que Durango Kid quase me pegou

Eu quero é botar meu bloco na rua
Brincar, botar pra gemer
Eu quero é botar meu bloco na rua
Gingar pra dar e vender

Eu quero é botar meu bloco na rua
Brincar, botar pra gemer
Eu quero é botar meu bloco na rua
Gingar pra dar e vender

Eu, por mim, queria isso e aquilo
Um quilo mais daquilo, um grilo menos nisso
É disso que eu preciso ou não é nada disso
Eu quero todo mundo nesse carnaval...
Eu quero é botar meu bloco na rua

Brincar, botar pra gemer
Eu quero é botar meu bloco na rua
Gingar pra dar e vender

Eu quero é botar meu bloco na rua
Brincar, botar pra gemer
Eu quero é botar meu bloco na rua
Gingar pra dar e vender

Há quem diga que eu dormi de touca
Que eu perdi a boca, que eu fugi da briga
Que eu caí do galho e que não vi saída
Que eu morri de medo quando o pau quebrou

Há quem diga que eu não sei de nada
Que eu não sou de nada e não peço desculpas
Que eu não tenho culpa, mas que eu dei bobeira
E que Durango Kid quase me pegou

Eu quero é botar meu bloco na rua
Brincar, botar pra gemer
Eu quero é botar meu bloco na rua
Gingar pra dar e vender

Eu quero é botar meu bloco na rua
Brincar, botar pra gemer
Eu quero é botar meu bloco na rua
Gingar pra dar e vender


http://www.vagalume.com.br/sergio-sampaio/eu-quero-e-botar-meu-bloco-na-rua.html#ixzz1xKBKQe1a

9 comentários:

claudete disse...

Valeu Carlos, rs, o negócio é botar o bloco na rua , é deixar que o que somos e queremos de verdade venha à tona sem medo de ser feliz. Bom domingo.

✿ chica disse...

Legal essa música..Temos que colocar o bloco na rua...abração,chica

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Essa música embora pareça só uma marcha de carnaval ,tem uma letra incrível. "Há quem diga que eu não sou de nada, que eu não sei de nada...". Há quem diga mesmo... um monte de bobagens.

MARIA DA GRAÇA REIS disse...

O povo não põe mais o bloco na rua,não dá mais a cara pra bater.
Pena!
A música me recorda um fato triste que presenciei na minha infãncia.
O pai de uma coleguinha minha estava com uma doença terminal e levava isso na esportiva.
Ele cantava essa música e dizia que em breve poria o bloco na rua...
Eu tinha uma peninha dele...
Sofreu muito,tadinho.
Mss,nós,brasileiros,estamos precisando botar pra valer o bloco na rua e acabar com essa bagunça desses políticos, lá em Brasília.

Estrela disse...

Ah, Carlos!
Esta música (e letra,claro!) me dá um aperto no coração...
Talvez porque me transporte para uma época de repressão,muito embora a repressão seja uma conhecida muito frequente e antiga.
Bjus! Bom fim de semana!

Sonhadora disse...

Meu querido Carlos

Linda música e um poema maravilhoso...adorei.


Um beijinho com carinho
Sonhadora

Maria Cristina Gama disse...

Uma musica que me deixou nostalgica, lembro que ha muito tempo cantava essa musica, mas ainda nao tinha sabedoria para interpreta-la, mas me lembro bem que nao gostava da melodia, para mim parecia triste, como se o autor quisesse se esconder da sua tristeza... Bjs poeta, sou fa dos seus textos, adoro seu blogue.
Chris Amag

Maria Cristina Gama disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ValeriaC disse...

Legal Carlos!!! Essa música é incrível mesmo.
As pessoas gostam de falar e julgar demais, Carlos... o bom é ser a gente mesmo e nos fazer felizes e como se diz popularmente não dar bola pra torcida rsrsr, num esquentar com o que os outros possam pensar sobre cada um de nós.
Beijos, boa semana amigo,
Valéria