ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

domingo, 6 de maio de 2012

NEM TUDO É PSEUDO



‘Nessa vida mais abstrata que concreta, fui verdadeiramente poeta’. É assim que encerro meu poema PSEUDO, escrito num momento ruim, alías, ruim não, acho que qualquer momento, ainda que possam ganhar o nome de “ruim”, é útil à nossa autoedificação. Corrijo então dizendo que foi escrito num momento difícil. Nele, eu digo que a vida é um grande faz de conta, um celeiro de ilusões, um banquete de bobagens, uma guerra de egos. Hoje porém, contradigo-me, pois cheguei à conclusão de que nessa grande roda gigante, nem tudo é pseudo, nem tudo é faz de conta. Minha poesia é muito real. Ela que um dia saiu da minha gaveta, do meu quarto, de debaixo do meu travesseiro, foi à rua, foi à escola, foi para a cidade, da minha cidade foi para outras cidades, outros estados... e agora países. Meu Deus! Não é que eu consegui? Através de algumas coletâneas, ela está nas mãos de muitas pessoas de países latinos como Argentina, Chile, Uruguai, esticando um pouquinho mais até Cuba. Ela ousou e agora está na Europa. Sim, Europa: Lisboa, Paris, Berlim. Esse livro que vocês veem na foto é uma coletânea que reuniu 85 poetas premiados de regiões diversas do Brasil, e está nessas cidades lindas e importantes econômica, e principalmente, culturalmente. Não... a felicidade não é PSEUDO. Ela só é simples.

10 comentários:

Mari disse...

Surpresa? Não! Estamos falando de Carlos Soares - Menino Beija-Flor!!!
É claro que alça voo e vai longe meu amigo, você merece!!!!!
Abraços desta amiga de cores
Mari

Solange Maia disse...

Carlos,

eu que venha aqui, desde sempre, colher suas palavras, hoje deixo um PARABÉNS empolgado, porque ver as palavras da gente criarem asas é presente para a alma !!!

Salve, poeta !

Que tu merece, isso, e muito mais !!!

beijo grande

Arione Torres disse...

Oi Carlos, muito bom o post viu?
Passando para te desejar um excelente domindo e uma ótima semana, abraços...

blog. da Tereza Maria disse...

Olá Carlinhos
Que gostoso ler você no blog...Tem um algo a mais de especial
Sua poesia é tudo de bom e não tem fronteiras de tempo ou espaço
Lindo texto no qual você se reflete por inteiro
Beijo no coração
Um abraço poético!

Maria da Graça Reis disse...

Parabéns,poeta!
Fico feliz por você.
Continue com sua alma de poeta.
Você merece isso e muito mais.
Um abraço

Marilu disse...

Querido amigo, parabéns pelo seu voo através das fronteiras. Mas não se surpreenda você é um poeta maravilhoso e faz jus a todas as coisas boas que estão acontecendo em sua vida. Tenha uma linda semana. Beijocas

Mari Rehermann disse...

Parabéns, amigo poeta! Os bons, sempre são reconhecidos! E é maravilhoso poder compartilhar seus textos e poemas...

Beijos!!♥

Desnuda disse...

Querido Carlos,

O seu talento é grande e sua vocação verdadeira.No texto todas as provas ( e pelas provas passamos também por provações). O resultado está ai! Parabéns Menino Beija-Flor!


Beijos com carinho

ValeriaC disse...

Que legal Carlos e suas palavras vão voar pra muitos outros lugares mais.
É verdade... a vida tem suas ilusões, sim, mas tem muitas coisas boas também, pois tudo o que fazemos com o coração e alma, estas, sempre trarão em si muita verdade, serão sempre muito reais.
Beijos,
Valéria

Maria Cristina Gama disse...

Parabéns! Isso é maravilhoso e não tem preço...
Pérolas no fundo do mar não têm valor algum... Mas quando se mergulha fundo para tirá-las de lá, elas são preciosas... Assim são nossos escritos, se guardados na gaveta ou debaixo do travesseiro, ninguém vai ler a preciosidade dos seus textos... Que bom que você despertou, encheu o pulmão de oxigênio e resolveu explorar esse mar de emoções, e depois subiu, subiu, subiu, até chegar a outros continentes. (Palavras de Chris Amag)