ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

QUANDO O POETA SE CALA


( imagem google )
Quando o poeta se cala
por dentro gritam queixumes.
É como a flor que não mais exala
o melhor dos perfumes.
Quando o poeta se cala não há vida,
felicidade faz despedida.
Não há sol nem lua que embeleze o dia.
Quando o poeta se cala, cala até a poesia
Cabisbaixos ficam os rouxinóis, os girassóis,
murcham orquídeas e jasmins.
Choram até os anjos e querubins.
Mas é culpa do próprio poeta que imagina tudo em flor
e ele se cala vendo que o deserto de hoje já foi um jardim de amor.
A boca que lhe dava mel
foi voar em outro céu
deixando das flores,só o espinho e a dor.
Quando o poeta se cala tudo chora nessa hora;
Choram o homem, o menino...
e o beija-flor.

14 comentários:

Joéliton dos Santos disse...

Olá....Tudo bem?
Estou passando pra fazer uma visitnha. COmo sempre, tudo muito lindo hein, Carlos. Parabéns.

Tenha uma ótima semana.
Abração.

Jorge disse...

Chorar faz bem a alma do poeta pois ajuda a equilibrar a sensibilidade.
Voltarás sempre mais forte, meu Amigo!

Um forte abraço!

Edna Lima disse...

..." Choram as rosas ", já dizia o poeta...
Um grande bj conterrrâneo. Edna

HSLO disse...

Absolutamente maravilhoso.

abraços
de luz e paz

Hugo

Carlos Albuquerque disse...

Boa noite, Xará!
Primeiro, dar-lhe um abraço. Quando os amigos estão um tempo sem se encontrarem, e se reencontram, selam o momento com um abraço. É o que estou fazendo.
Depois dizer-lhe que triste é a vida quando o poeta se cala. Que ele se não cale, para que o choro não venha.
Abração

rosa-branca disse...

Quando a poeta se cala
Ou não tem nada a dizer
Tem algo a atormentá-la
Ou então está a morrer.

Adorei o seu poema. Lindo. Beijos com carinho

Fatima disse...

Tão triste, mas tão bonito!
Bjs

Elzenir Apolinário disse...

Nunca mais vou falar de amor??? Que poema lindo, Carlos,o amor está no ar e pulsa em seu peito. Acho q é um dos mais belos que já li aqui.Parabéns, com louvor. Bjs

José María Souza Costa disse...

Lindissimo.Avassalador. Entendo que quando o poeta cala.Cala uma alma "cantadeira"
Estou aqui lhe convidando a visitar o meu blog, e se possivel seguirmos juntos por eles. Estarei grato, esperando por vc, lá.
Abraços

Eduardo Medeiros disse...

pobres poetas...ricos poetas...

gostei demais, carlos, um grande abraço.

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

As vezes o silencio pode ser um santo remédio.

Beijo, Carlos

:)

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

As vezes o silencio pode ser um santo remédio.

Beijo, Carlos

:)

BANDEIRAS disse...

Até breve amigo,
Bjs !

Juliana Carla disse...

Carlos,

Acredito que quando o poeta se cala, ele está fugindo justamente do que perdeu.

Bjuxxx e xeroooo