ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

MENINO CRESCIDO... OU ADULTO TEIMOSO?


( imagem anittabaroc.sapo.pt- google)
Essa é das músicas que mais ouvi na infância/adolescência e me identificava com ela. Você vão ler e entender porque eu disse isso. Meu irmão, desempregado na época, tocava ( e toca) violão muito bem) e essa era uma das preferidas dele. Ele gostava muito do Erasmo Carlos, até parecia um pouco com ele, que além da parceria com Roberto Carlos, sempre lançou uns discos solos bem interessantes. Quando meu irmão não tocava, eu mesmo cobrava. “Toca aquela do Erasmo” . Por quê? Porque eu era um pré adolescente e já tinha um sem fim de responsabilidades em casa, já me sentia um adulto quando precisava, embora jamais tenha deixado de ser feliz como criança. Nunca deixei de brincar só porque tinha obrigações. Sinceramente, eu era muito inteligente, pois conduzia as duas situações com muita tranquilidade. Era um Carlos conduzindo o outro Carlos. Vocês vão ler a letra e vão entender porque eu ficava pensando ouvindo a música: “Hoje sou criança e pareço um adulto. Será que quando eu crescer, vou parecer criança?”.

SOU UM CRIANÇA,NÃO ENTENDO NADA ( ERASMO CARLOS )

Antigamente quando eu me excedia Ou fazia alguma
coisa errada
Naturalmente minha mãe dizia: "Ele é uma criança, não
entende nada".
Por dentro eu ria satisfeito e mudo — Eu era um
homem e entendia tudo
Hoje só, com meus problemas Rezo muito, mas eu não me
iludo
Sempre me dizem quando fico sério: "Ele é um homem e
entende tudo"
Por dentro com a alma atarantada — Sou uma criança,
não entendo nada.

7 comentários:

Sonhadora disse...

Meu querido amigo

Eu adoro erasmo Carlos e essa é linda...e a criança em nós temos que a guardar sempre.

Deixo um beijinho
Sonhadora

Wanderley Elian Lima disse...

Olá amigo
Tudo haver o texto, música e você. Acredito que quando entendemos , ou achamos que entendemos o mundo viramos criança novamente.
Abração

Rosa dos Ventos disse...

Há sempre uma criança dentro de nós!

Abraço

Eduardo Medeiros disse...

Carlos, também gosto muito dessa música do Tremendão. Acho importante entender tudo como adulto e ao mesmo tempo não levar o mundo tão a sério como uma criança.

abraços

Esplendor da criação. disse...

Era um Carlos conduzindo o outro Carlos, lindo amigo. Obrigada por me acompanhar. Um abraço.

IT disse...

...uma eterna criança!

bejim bjim nas bochechas deste menino crescido.

Parapeito disse...

:)teimar é preciso
Gosto de ouvir Erasmo
brisas doces *