ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

sábado, 27 de novembro de 2010

ESSES BÊBADOS (PARTE I )


(imagem google- Muito boa essa imagem do bêbado falando com Drummond. E o Drummond parece que está prestando uma atenção danada)
Dividi esse texto em duas partes por dois motivos. Um, para não ficar grande demais. Outro, porque são partes distintas de um mesmo tema. Na primeira tem um pouco de humor, já na segunda, não. Já questionei com amigos de onde vêm as piadas já que nunca têm autoria declarada. Eu mesmo respondo. As coisas engraçadas vão acontecendo, correndo de boca em boca, cada um aumenta um pouco e assim se formam as piadas. Vou contar algumas piadas reais de bêbados acontecidas no meu antigo bairro, onde cresci. Adianto que nunca mais contei piadas de bêbados, mas isso vocês só vão saber lendo a segunda parte.
Caratinga (apelido referente à sua cidade de origem) era meio chato, falador e ainda por cima falava muito rápido e ninguém entendia nada. Nequinha, era o bebedor calado, sentava-se à mesa com seus companheiros por horas, sem dar uma palavra. Seu Jaime era o gozador. Desse eu gostava mais, pois era pai de um amigo meu, além de ser divertido. Certa vez, lá vinha ele da esquina com garrafa de cachaça na mão, sugando através de dois canudinhos ligados um no outro. Tomei um susto. Que é isso, seu Jaime? Pinga já faz mal e ainda por cima no canudinho? Com cara mais safada, respondeu. “Ordens médicas. O doutor mandou eu me afastar um pouco da bebida”. E nos velórios? Ele era o rei do velório. Eu também gostava de ir, só não gostava de ver defuntos, me sentia mal. Gostava comer salgadinhos com café e ouvir piadas a noite toda. No velório do seu Geraldo, seu Jaime tentava a todo custo acertar a cabeça dele que teimava em pender prum lado. E ele dizendo. “Ô véio safado. Para quieto com essa cabeça. Já me encheu o saco a vida toda, vai me encher agora também?”. E nada da cabeça parar. “Já sei por que está olhando de lado. Procurando mulher, né? Bem que você falava que ia por chifre na mulher até depois de morto”. Até a viúva que chorava, riu na hora. E o Balança? Tinha esse nome porque balançava, balançava e nunca caía, nem mesmo de bicicleta. Catava os quatro cantos da rua e a gurizada torcendo. “Vai cair, vai cair”. Ele descia gritando. “Vai cair é o chifre do seu pai de tão grande que é”. Uma vez entrou no Bar do Salomão, pediu água e um sonrisal. Em vez de jogar no copo, jogou na boca e o comprimido enorme entalou em sua garganta, começou a queimar, ferver, tirando-lhe o ar. Ele rodopiou pelo bar todo pedindo socorro fazendo gestos com a mão mostrando a garganta. Até que veio alguém, deu-lhe um soco nas costas e um copo d’água. Sentado, ainda se refazendo, soltou essa. “Depois dizem que bebida faz mal. Bebo há mais de trinta anos e nunca me aconteceu isso. Hoje fui tomar remédio e engasguei. Põe uma pinga pra mim aí, Salomão”. A rapaziada ficava apostando qual deles morreria primeiro. Nequinha foi o primeiro. Nunca me esqueço da cena. Caratinga e Duquinha, abraçados frente ao caixão, mais para se escorarem do que propriamente por solidariedade, diziam. “É. Cachaça levou nosso amigo Nequinha”. O outro. “Pois é, cumpádi. Acho bom a gente parar de beber”. Ficaram ali uns minutos e um deles disse. “Vamos ali tomar uma no Salomão?”. Eu interrompi. “Mas vocês não falaram agora que vão parar de beber?”. Duquinha respondeu. “Vamos sim, mas não hoje. Hoje vamos celebrar nosso amigo, se a gente não tomar uma por ele, ele vai ficar chateado”.

Termina aqui essa parte. Na segunda, vou falar de Duquinha, um bêbado intelectual, e aí vocês vão entender porque nunca mais contei piadas de bêbados.

17 comentários:

TERE disse...

Estava com saudades de suas visitas e seus escritos.

Votos de de que continue cheio de colorido do arco íris.

Abraço.

Sonhadora disse...

Carlos

Um texto lindo como já nos habituaste, vamos ver como acaba...está muito bem contado.

deixo um beijinho
Sonhadora

Eduardo Medeiros disse...

carlos, os bêbados são hilários, mas também são trágicos. a bebida é uma droga que mata como outras ilegais.

a fato...a foto é engraçada demais!!! rssssssss

abraços

Majoli disse...

Adoro teu jeito de narrar os fatos, nos pende a atenção.
Agora é aguardar a parte II.
Beijos de um delicioso domingo meu querido amigo.

Ah, brigadinha de coração por estar junto a mim neste momento difícil pelo qual estou passando junto ao meu filho, mas Deus está agindo e ele está melhorando cada dia mais, Amém!

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Pois, olhe, Carlos, eu gostei muito do seu texto. Adorei as piadas porque também aprecio muito. Quem é que não dá risada nessas situações? Espero na perder a segunda parte.
Beijo e Bom Domingo!
Renata

Everson Russo disse...

Os bebados em algumas horas nos matam de rir,,,em outras de raiva,,,mas acho que são de outro planeta...rs..rs..rs..vivem num mundo totalmente a parte...abraços de otima semana pra ti..

Solange disse...

Carlos,

você e sua arte em escrever... a gente voa de palavra em palavra... és mesmo um beija flor !!!

beijo

evanirgarcia disse...

Sonhe, busque, espere ame e reame!
Deixe sua alma voar alto pegar
carona com os fogos coloridos.
Mentalize seus desejos
mais íntimos e acredite:
eles também chegarão ao céu.
Irão se misturar às estrelas,
irão penetrar no Universo e
voltarão cheios de energia
para tornarem-se reais.
Basta você querer de verdade,
ter fé e nunca, NUNCA desistir deles
UM LINDO domingo ..Te AMO .te AMO,EVANIR..
www.fonte-amor.zip.net

Hana disse...

Amigo adorei as Histórias bem contada do bebado, vou esperar a segunda parte mesmo qe seja triste quero ler,mas olha esta do bebado não cair da bicicleta eu acho incrível que os bebados tem anjos da gurade disponívels as vezes mais de 2 pq eles passam por cada uma e estão ali no outro dia para começar de novo, rsss, obrigada por momentos que passei aqui.
com carinho
Hana.

haha me conta ainda vai comer mais bode? rsss aquele video ficou muito legal, rss

José disse...

Eu também gosto das piadas dos bêbados, tinha um vizinho meu, que já faleceu,quando estava bêbado respondia a tudo sempre com inteligência, um dia chegou à venda e levava uma botas novas,os outros colegas dele olha o ti Manel com umas botas novas, ele respondeu, eu já me estava a admirar,isto e cabedal novo os cães não lhe estarem a pegar.
Já muito velhote diz que mijava na cama,o feitor que era pessoa importante, mas mulher punha-lhe os cornos, disse ti Manel ouvi dizer que o senhor mijava na cama, e o ti Manel respondeu ó senhor João, isto nem tudo o que se conta é dinheiro, eu também ouvi dizer que o senhor É NOVE COM MAIS DOIS, QUE É O NUMERO 11.

Abraço,
José.

Chica disse...

Que legal essaq amostra do que eles aprontam...Tem muito mais,certamente...LEGAL! abraços,tudo de bom,chica

**♥✿-franciete-✿♥** disse...

Olá meu querido amigo, é sempre uma alegria ter seu carinho de quando em vez.Desejo para você tudo de bom, belo, e bonito em sua vida, beijinhos de luz e muita paz

Juliana Carla disse...

Boa noite Carlos!

Puxa amigo! Quanto tempo sem vir aqui. Mas, hoje vou tirar o atraso. Vou comentar em todas as postagens desta página.

Nas minhas pesquisas por aí, também, vi essa imagem. O que a embriagues e a solidão não faz...

Esse Jaime é uma figura! Nunca presenciei um velório do tipo... O lance da água com o remédio também foi singular. (rs)

Bjuxxx e xeroooo

AFRICA EM POESIA disse...

CARLOS

O Raul Fez Anos...
o Raul é o meu neto mais velho...
é o meu menino pois foi e é criado por mim.

A Francisca a mais nova
Faz dentro de 15 dias 10 anos
e vive no Porto.
Uma princesinha.

Eles a alegria do nosso viver...

Agora em nome do Raul O meu obrigada por tanto mimo...


Beijos

Pérola disse...

Olá meu querido.
Muito obrigado pela visita,demorei um pouco pq estava viajando.
Estava com saudades de ti e de ler seus textos.
Eu amo piadas de bebados.Isso ñ quer dizer que me agrada essa situação.
Parabéns.
Abraços carinhosos.

Chris Amag disse...

Carlos

Gosto muito de piadas, e essas então, parecem memórias de um tempo onde se ria muiiiito.

Seus textos sempre nos surpreendem, sempre trazem ideias novas e um jeito novo de registrar o que foi, o que é, e o que faz parte da sua imaginação.

Bjs
Chris

IT disse...

O poeta e seus causos hilários!

Ai, ai, ai que venha o Duquinha, o Intelectual bebum!rsss

E agora o que será que irá aprontar este poeta?! rssssssssss

beijão ao contador de anedotas!