ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

À SOMBRA DAS ARAUCÁRIAS- MANUEL BANDEIRA


Não aprofundes o teu tédio.
Não te entregues à mágoa vã.
O próprio tempo é o bom remédio:
bebe a delícia da manhã.

A névoa errante se enovela
na folhagem das araucárias.
Há um suave encanto nela
que enleia as almas solitárias...

As cousas têm aspectos mansos.
Um após outro, a bambolear,
passam, caminho d'água, os gansos.
Vão atentos, como a cismar...

No verde, à beira das estradas,
maliciosas em tentação,
riem amoras orvalhadas.
Colhe-as: basta estender a mão.

Ah! Fosse tudo assim na vida!
Sus, não cedas à vã fraqueza.
Que adianta a queixa repetida?
Goza o painel da natureza.

Cria, e terás com que exaltar-te
no mais nobre e maior prazer.
A afeiçoar teu sonho de arte,
sentir-te-ás convalescer.

A arte é uma fada que transmuta
e transfigura o mau destino.
Prova. Olha. Toca. Cheira. Escuta.
Cada sentido é um dom divino.

11 comentários:

Sil disse...

Poesia a flor da pele!
Sensibilidade ímpar.Parabéns!

Nathália (Ná) disse...

Lindo demais, meu amigo escrever assim é um dom divino.


Beijos!

Marliborges disse...

Manuel Bandeira é mesmo único, incomparável. Que bom reler esse poema, que li há muito tempo atrás.
Bjssssss

Luciano Braz disse...

Ehhh deliciaaaa de poesia!
AS araucarias estão sumindo e tbem as prosas vividas por debaixo delas !

Abraços meu caro!

Luciano

José disse...

Olá Carlos!

Belo poema,escolhi esta quadra, é a que eu gosto mais, embora sejam todas bonitas.

"A névoa errante se enovela
na folhagem das araucárias.
Há um suave encanto nela
que enleia as almas solitárias..."

abraço.

Wanderley Elian Lima disse...

Olá moço
Um belo poema. Temos que acreditar que amanhã tudo pode ser diferente.
Se cuide
Abração

Pelos caminhos da vida. disse...

Bravo amigo.

beijooo.

romantic disse...

cada sentido um dom divino.
bjs menino !

claudete disse...

Por tudo isto o poeta Manuel Bandeira é amado...Sua singela e objetiva forma de descrever o cotidiano como via e como sentia ...Sabia que na Rua da Aurora , aqui em Recife, o Poeta está "imortalizado" em forma de escultura, sentado em um banco de praça , observando o Rio Capibaribe, onde se diz, costumava buscar a sua inspiração? Todas as noites de volta para casa
passo em frente e parece que o vemos "vivo"...É incrível! Abraços.

Elaine Barnes disse...

Nossa amigo que escolha linda e a parte da arte que é uma fada que transmuta,nossa achei linda!Esse poema do Manuel Bandeira é uma lição de vida. Queixar não leva a nada... Amigo obrigada pela presença no meu niver,fiquei feliz demais! Montão de bjs e abraços e um maravilhoso final de semana

Everson Russo disse...

Poesia que vai envolvendo a gente com os versos...vamos desenhando cada cenario na mente,,,e nos encaixando nele...meu amigo,,,bom ter voce de volta...abraços fraternos de bom final de semana....