ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

quarta-feira, 1 de abril de 2009

PAVÃO MISTERIOSO (EDNARDO)



Essa música é de um tempo quando havia novelas que prestavam. Como Saramandaia, de 1976 na TV GLOBO, da qual ela foi tema de abertura. Ednardo, cantor e compositor cearense, tem uma carreira muito rica culturalmente.Essa música tem tudo a ver comigo. Escrevi minha ÍCARO MODERNO, a partir dela.
/////
Pavão Misterioso
Ednardo
Composição: Ednardo

Pavão misterioso
Pássaro formoso
Tudo é mistério
Nesse teu voar
Ai se eu corresse assim
Tantos céus assim
Muita história
Eu tinha prá contar...

Pavão misterioso
Nessa cauda
Aberta em leque
Me guarda moleque
De eterno brincar
Me poupa do vexame
De morrer tão moço
Muita coisa ainda
Quero olhar...

Pavão misterioso
Pássaro formoso
Tudo é mistério
Nesse seu voar
Ai se eu corresse assim
Tantos céus assim
Muita história
Eu tinha prá contar...

Pavão misterioso
Pássaro formoso
No escuro dessa noite
Me ajuda, cantar
Derrama essas faíscas
Despeja esse trovão
Desmancha isso tudo, oh!
Que não é certo não...

Pavão misterioso
Pássaro formoso
Um conde raivoso
Não tarda a chegar
Não temas minha donzela
Nossa sorte nessa guerra
Eles são muitos
Mas não podem voar...

3 comentários:

Ariadne disse...

Amigo Carlos, nos meus tempos de ginásio, essa música foi tema de uma dança que apresentamos, dia desses lembrava dela, e vem você remexer no baú! Amei a lembrança, parece até que estamos em sintonia... Acredito que quando a gente semeia no coração o amor, as borboletas não se cansam de espalhar o polêm!
Beijos no seu coração de "Melão"(Bem docinho!)

Solange Maia disse...

Carlos,

Você me fez viajar no tempo....
Delícia...

Beijo especial,

Solange

http://eucaliptosnajanela.blogspot.com

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Amigo pode ser de onde for
Mas se existir amizade
Sempre se lembrará de nós
Amigo pode estar do outro lado do oceano
Mas se o é de verdade
Sempre nos manda um abraço
Amigo pode estar em dificuldade
Mas sempre tem uma palavra amiga para nós
Amigo é aquele que te limpa a lágrima
Não o que faz com que ela caía
Sempre que precises de mim meu amigo ou amiga
Estarei por perto lembra-te
E eu terei junto de teu coração

Um abraço do amigo Eduardo Poisl