ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

O CRIME QUE COMPENSA


Com jeito, com malícia
ao meu jeito, com carícia
encostar-te no meu peito.
Confessar paixão imensa.
Mesmo que seja proibido,
esse é o crime que compensa.
Apreciar-te, te cantar, te falar poesia
Te fazer amor, te causar alegria.
Beijar-te inteira a noite inteira.
Andar por teus caminhos
Nas suas curvas descobrir mais e mais
Como uma ilha, como mata virgem
Vou como o vento sussurrar te causando vertigem.
É tanto o que eu quero, que não imaginas, nem pensas.
Eis um crime de recompensas.
Sugar o mel, subir ao céu.
Entre lábios, pernas e seios, por todos os meios
Perder-me no teu labirinto de prazeres sem jamais buscar saída.
Só o encontro, sem despedida para essa paz imensa
que apesar de proibida, é um crime que compensa.
No escuro desse quarto guiado pelo cheiro de tua flor
irresponsavelmente perdido em teus braços
amparado no teu amor.
Como menino, encostar no teu peito.
Como homem, com malícia e com jeito, te dar felicidade imensa.
Embora não seja direito...
esse é o crime que compensa.

Nota: O amor não segue leis. Busca seu próprio sentido, é o egoísmo a dois. (Revirando gavetas)

6 comentários:

Salamandra disse...

Olá Carlos

Realmente o unico crime que compensa é o Amor.

Embora eu o considere uma dádiva de Deus, gostei imenso deste seu poema.

Um abraço de alma

Salamandra

Mariana disse...

Se vc fosse mulher eu diria que escreve como útero.
Bomd emais te ler.
Beijo e bom final de semana

Carlos Soares de Oliveira disse...

rs rs... oi Mariana.É, com o útero não mesmo, mas vem das entranhas sim.Obrigado.Beijos

RECORDAÇÕES disse...

Olá Carlos, que bom passar por aqui. "No escuro desse quarto guiado pelo cheiro de tua flor..."
Que coisa bonita, profunda... E com uma grande sensibilidade, parabéns. Gostei muito. Um grande abraço.

Parapeito disse...

...quem disse que não existe o crime perfeito?

:))Adorei *****

Nádia Santos disse...

O amor enfrenta qualquer perigo... loucuras de amor! As vezes é bom... ficou lindo, bjus.