ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

“ EU NÃO TÔ FAZENDO NADA, VOCÊ TAMBÉM. FAZ MAL BATER UM PAPO ASSIM GOSTOSO COM ALGUÉM?”




“ Eu não tô fazendo nada, você também. Faz mal bater um papo assim gostoso com alguém? ” é parte de uma música do Jair Rodrigues, simpático cantor falecido em 2014. Vamos conversar mais, nascemos com boca e ouvidos para nos comunicar. Se as pessoas se falassem mais tenho certeza de que muitos conflitos seriam evitados, e não estou falando de guerras entre países não, também, mas falo das guerrinhas do dia a dia com o vizinho, com o colega de trabalho, até mesmo com o estranho na rua, às vezes, acontecem brigas por causa de um pisão no pé. Eu gosto de passear, sento-me em algum bar ou restaurante, e gosto de conversar, só não sou enxerido (adoro essa palavra, minha mãe usava muito: “Não seja enxerido”), mas se alguém puxa conversa, vou longe, às vezes puxo também se perceber que a pessoa é acessível. Modéstia à parte, tenho dom de me adaptar às situações, melhor dizendo converso com qualquer catedrático ao nível intelectual dele, tenho um bom português, tenho opinião sobre qualquer assunto. Eu não sou Raul Seixas que dizia “não tem nada nesse mundo que eu não saiba demais”, mas posso dizer que ‘não tem nada nesse mundo que eu não saiba pelo menos um pouquinho’ rs rs. Por outro lado, converso com o gari com o mesmo respeito, até mais eu diria, as pessoas mais humildes merecem mais respeito. Quando falo com uma criança, eu pareço uma criança também. Repito sempre, para conversar com uma criança precisamos descer, digo, subir ao nível dela. Isso mesmo, ‘subir’ é a palavra, a gente é que vai crescendo e regredindo humanamente falando, não devia ser assim, mas é, já a criança é perfeita, ainda não foi maculada pelo mundo, pela vida. Na outra ponta da ponte da vida, adoro conversar com idosos também, têm sempre algo a nos passar. Incrível como os idosos gostam de mim. Certa vez, eu estava no bar, uma senhora com sua família sentou-se para lanchar e acabou puxando conversa comigo, falamos por um tempão e os familiares dela olhando curiosos aquele entrosamento. Quando falei que moro sozinho, ela me corrigiu: “Nunca diga que mora sozinho. Dá uma sensação de abandono e você não me parece um rapaz abandonado. Dizer que mora sozinho traz fluídos ruins, provoca fraqueza, abre a guarda. Diga sempre: EU MORO COM DEUS!”. Nunca mais falei que moro sozinho até porque eu não estou mesmo abandonado. Ao sair, ela disse: “Você é um rapaz muito interessante”.
É isso... vamos conversar mais, o mundo está precisando de diálogo.
=
( imagem Disney - google)

12 comentários:

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

É muito bom conversar Carlos,e eu modéstia parte adoro falar com as pessoas,principalmente com aquelas que conheço e as encontro,seja em uma festa ou mesmo em um supermercado.
Realmente não podemos falar que nos sentimos sós,pois a presença de Deus está sempre junto a nós.
Um belo texto.
Obrigada pela visita e comentário.
Bjs e um ótimo final de semana.
Carmen Lúcia.

Cidália Ferreira disse...

Muito bom, o teu texto! Adorei

Beijo, bom fim de semana.

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Lu Nogfer disse...

Olá Carlos.

Muito bacana esse teu papo!É muito bom sermos acessível a todos os assuntos. Faço das suas palavras, minhas.rsrs "Não há nada que eu (também)não saiba pelo menos um pouquinho"! E é tão agradável e saudável uma conversa e aprendermos uns com os outros. Não importa se são assuntos doces ou ácidos. Afinal, é disso que a vida é feita, não é mesmo? E o mais legal é quando acompanhamos o ritmo do outro permitindo-nos a sermos multifacetados. Uns, mais para mestres, outros, mais para aprendizes. Eu estou sempre mais para a segunda opção.rs

Eu também me dou muito bem com crianças e idosos. Aprendo muito com eles! E a sábia senhora tem toda razão: acompanhados ou não, moramos sempre com Deus.

Parabéns pelo Belo texto.
Não sei se já tenho o teu link em minha lista. Levando por via das dúvidas.

Ótimo final de semana pra você!
Abraços!

lua singular disse...

Oi Carlos,
Nunca morei sozinha, tive 2 maridos o primeiro morreu, tinha um nenê de dois anos, quando esse tinha nove anos casei-me novamente. Foi um luxo. Meu vestido brilhava mais que as estrelas do céu e era todo aplicado. Hoje ele é meu anjo pois tem 9 anos menos que eu, cuida de mim, só falta trazer as estrelas pra eu ver de perto. Minha vida daria um livro , onde haveria choro, alegria.etc...
Chega do contrário conto o conto inteiro e tem coisas que não posso escrever.kkk
Beijos no coração
Lua Singular

lua singular disse...

Oi Carlos
As bonecas crescem e muitas delas não sabem a palavra respeito, por isso que gosto de conversar com pessoas mais ou menos da minha idade.
Beijos no coração
Lua Singular

lua singular disse...

Oi Carlos,
A vida é assim, fiz uma comparação com ela.kkk
Beijos
Lua Singular

Ivone disse...

Amei ler aqui como sempre, digo que me identifico, pois é meu amigo, deixei respostas lá em seus comentários pelo fato de me sentir com vontade de "bater um papo" com você,obrigada pelo carinho!
Tens sim essa linda capacidade de inspirar simpatia, ou melhor, somos meio parecidos, adoro conversar, olhar nos olhos das pessoas, seja elas crianças, jovens ou idosas!
Que alegria isso, poder estar entre pessoas, sei que atrai para si somente as melhores,rsrs, nem me pergunte porque sei disso!
Abraços bem apertados!

Lu Nogfer disse...

"...sermos acessíveis", né? A pessoa não relê não!#desatenta!rs

*Grata pela visita, meu querido.
Volte sempre que estiver afim de prosear.
Lendo outras prosas por aqui..

Bjo!

Nyce Pinto. disse...

Olá Carlos!!! Concordo plenamente, precisamos muito conversar e viver o que de real existe... Nada contra ao virtual mas... Necessário, urgente eu diria e dar o devido valor ao real! Feliz domingo! Abraços...

Anne Lieri disse...

Carlos, quanta verdade em seu texto! Hoje em dia a gente se fecha e nem percebe, especialmente na rua por medo. Uma grande dica de vida:estar atento aos outros tb, buscar o diálogo.Gostei muito! Abçs,

Folhetim em Contos disse...

Ei!
Te espero lá.
Bjin
CatiahoAlc.

Helena disse...

Aos amigos queridos: deixei um pequeno mimo no meu blog como agradecimento por toda a solidariedade que recebi nestes tempos tão difíceis.
Quando puderem, por favor, passem por lá!
Meu carinho a todos!
Helena