ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

sábado, 31 de outubro de 2015

FAZER AMOR É ISSO...



Fazer amor é como andar de montanha russa. É uma subida, uma evolução, começa devagar, vai evoluindo, evoluindo, e quando a gente chega ao topo, começa a descida... e tome sensações, tome vibrações, tome emoções. É uma evolução ao contrário, acelera, acelera, dispara, para depois relaxar. E no final, quando termina a gente sorri.
=
Isso a poesia não explica. Nem a nossa vã filosofia. Freud menos ainda rs rs. Pensando bem, a poesia se aproxima da explicação... mas eu não vou perder tempo explicando isso he he.
=

( imagem donanilda.zip.net - google )

10 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Concordo plenamente! Adorei :-)

Beijinhos e um óptimo sábado

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Ivone disse...

Concordo plenamente em não saber explicar isso, é energia pura, portanto...
Amei ler e o que importa é que se ama, amar é tudo de bom!!!
Abraços meu amigo e obrigada pelo carinho lá no meu espaço, não pude deixar de sorrir, amo sorrir e sentir o mesmo carinho a mim dispensado!

Janita disse...

Pois, se tu o dizes e pareces entendido na matéria, amigo Carlos, quem sou eu para contrariar.

Sempre ouvi e li que o amor não se explica, agora "fazer amor" deve ser como cozinhar bacalhau...Não sei se conheces esta expressão popular portuguesa. Significa que há mil e uma maneiras de fazer...Será? rsrsrs

Beijos e muita felicidade para todos os teus projectos literários e pessoais.

Janita

Zilani Célia disse...

OI CARLOS!
MUITO BOM TEU TEXTO,
ABRÇS
-http://zilanicelia.blogspot.com.br/

ॐ Shirley ॐ disse...

Mas, como?... Você explicou tudo, Carlos, do início ao fim rs...
Então, sorria!!!
Beijos!

Marisa Giglio disse...

Fazendo amor com poesia . Parabéns , meu amigo . Beijos

Arte & Emoçoes disse...

O amor ainda é um dos maiores fomentos da nossa existência. Além de lindo, é gostoso.Rsrs.

Abraços,

Furtado.

© Piedade Araújo Sol disse...

uma definição muito interessante...
beijos
:)

Helena disse...

Fazer amor, caro Poeta, é a poesia no seu mais puro grau de exaltação. O sorriso vem no acréscimo do êxtase... Que bela esta tua analogia! Explicaste sem querer explicar (risos). Mas na verdade, meu querido, nem o amor nem a poesia necessita de explicação... Ah, não ser aquela que nos faz sorrir (rs).
Beijos nos sorrisos e nas estrelas que te deixo,
Helena

Nanda Olliveh disse...

... até porque o que importa é...

Fazer amor de madrugada, amor com jeito de virada ♪ rs

O amor foge de explicações!

Amei ler-te!

Beijossssss