ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

sábado, 19 de outubro de 2013

VINÍCIUS, DRUMMOND E EU


“ Poucos brasileiros encarnam tão bem a imagem padrão que se tem de um poeta quanto Vinicius de Moraes.
Nove casamentos, outras tantas paixões arrebatadoras, boêmia irrefreável e fome sem limite pela vida --contrabalançada por uma melancolia que só os mais próximos sabiam reconhecer-- compuseram os 66 anos de vida intensa do escritor, compositor, diplomata, dramaturgo e jornalista.
"Foi o único de nós que teve a vida de poeta", sintetizou Carlos Drummond de Andrade. O mineiro tímido falava com admiração (e um tantinho de inveja) da "independência de espírito" do colega. E parece ser este, curiosamente, o nó central da recepção acadêmica da obra literária de Vinicius: teria ele gastado muito de sua poesia na própria vida e pouco nos livros? ”. ( texto  retirado do JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO- UOL )
====
Bem, diante disso, não preciso mais tentar explicar ( na minha visão) o que é ser poeta na essência da palavra,  ou por quê sou poeta. Drummond já disse por mim. Há bastante tempo li essa frase do grande, singular e  único, Carlos Drummond de Andrade ( uma de minhas referências literárias)  sobre Vinícius de Moraes, e modestamente, guardadas as devidas proporções, me vi dentro dela... afinal, eu também vivo a vida de poeta na acepção mais profunda da palavra.

====
OPINIÃO DO BLOGGER: Dois grandes nomes de nossa literatura citados nessa reportagem. Tanto Vinícius quanto Drummond  não se importavam muito com a ideia de ingressarem na  ABL, simplesmente viveram  a sua poesia. Drummond chegou até a recusar a cadeira, nem por isso deixaram de ser muito admirados, porque as obras são maiores do que qualquer posição, pleiteada ou não. As obras falam por si. E eu não consigo ver a poesia numa disputa, vejo a poesia livre, admirada, acolhida, solta no ar, se instaurando nas pessoas  de forma espontânea... porque é para isso que a poesia nasceu.

4 comentários:

✿ chica disse...

Lindo texto,gostei de tuas colocações e foi uma bela homenagem nesse dia! abração,chica

Nádia Santos disse...

Estás certo poeta Carlos Soares, a vida é pra ser vivida mesmo em sua plenitude cada um da maneira que lhes for mais agradável. E Vinícius soube vivê-la (acho), e o Drummond é outro grande poeta. Bjinho

Marli Soares Borges disse...

Adorei o texto, e, com certeza a obra é maior do que o autor, aliás como sempre, pois a obra é perfeita, e as pessoas não. Tanto Vinícius quanto Drummond têm em seus escritos, coisas que nos encantam. Beijos, Marli

Arione Torres disse...

Oi amigo, gostei muito da homenagem, que linda!
Abraços e bom domingo para ti!