ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

terça-feira, 26 de julho de 2011

DIVÃ DO AMOR - PARTE I


(imagem arquivo pessoal "UM DIA DE NARCISO')

Ela entrou deprimida no consutório, claro, ninguém vai ao analista por estar feliz. Depois da conversa inicial com o médico quando se pergunta os dados básicos, como idade, religião, hobby etc, deitou-se no divã. "Pois bem, o que a aflige? Fale-me de tudo, sem traumas, vergonha, timidez. Está aqui, mais que um analista, um amigo. Fale como se estivesse falando com sua melhor amiga ou amigo", disse o doutor Carlos. Esse doutor Carlos... rs rs... também está em todas, né? A moça suspirou, pensou e começou a se abrir. "Perdi um grande amor há quatro anos e não consigo esquecer. Minha vida desandou, não sei por que ainda tenho emprego, pois ando desinteressada. Nâo saio mais às noites, e se saio, fico entediada, nada me interessa. Choro a qualquer hora do dia e em qualquer lugar. Ando traumatizada com homens, com eles não quero nem amizades. Sei que preciso reagir, mudar de vida, nascer de novo, mas não sei como. Ajude-me doutor". Doutor Carlos . "Sandra... não me esconda nada. Como foi esse rompimento? O que ele exatamente ele lhe fez?". Pausa de segundos. "Ele me fez feliz, me fez mulher,me fez princesa. Eu não andava nas ruas, doutor, eu flutuava. Para mim só existiam ele e eu nesse mundo. Um dia, sem motivo aparente ou justificável, me disse que não me queria mais, que o amor havia acabado e nao o procurasse. Foi áspero comigo como jamais havia sido. Quando tentei interceptá-lo, teve coragem de me empurrar, eu até caí no chão chorando. Caí e não mais me levantei". Mas você fez algo que se lembre para deixá-lo assim? A ponto de não querer nem conversa com uma pessoa que ele dizia amar?". Sandra Botillo respondeu. "Doutor, tudo que fiz foi amá-lo, e ele também parecia amar. Só sei que minha vida não mais andou. Perdi grandes oportunidades na vida depois disso. Pior, não quero mais nada. Só não pensei ainda em suicídio, acho que nem para isso tenho coragem, até porque estou morta de pé". O analista interrompeu. "Jamais repita essa palavra, a esperança tem que estar acima de tudo, nunca é tarde para recomeçar, passe o tempo que passar. O tempo cura tudo, porém mais que isso, o que cura mesmo é o seu amor próprio. O grande erro das pessoas é centralizar numa outra a felicidade, como se a felicidade fosse diretamente condicionada a essa pessoa, se essa pessoa morre ou se vai, a vida acaba. Os amores é como um pássaro. O coração deve ser ninho e não gaiola. Quando é ninho, o passarinho volta, mas quando é gaiola, jamais voltará, pois não estava feliz ali. Passarinho na gaiola, canta é de tristeza. O amor não é uma pessoa, é um sentimento, está dentro de você. Pode-se perder a pessoa, mas não a capacidade de amar. Guarde o amor no seu peito, como uma joia rara, até que alguém o mereça. E você guarde-se para tal momento. Mantenha-se viva, brinque, alimente-se, passeie, trabalhe, brinque, dance, não se permita morrer". A moça só percebeu que segurava a mão do médico quando ele puxou, dizendo. “Volte na quarta-feira no mesmo horário. Tenha bom dia”. “Bom dia”, respondeu, levantou-se e saiu, sentindo-se um pouco aliviada. (CONTINUA)...

39 comentários:

Universo Paralelo disse...

Parece que essa mulher sou eu, quase as mesmas coisas eu passei, e perdi a vontade sair, de me arrumar, de viver, a única coisa que me faz bem é sentar aqui e escrever, e conversar com amigos virtuais,e cuidar da minha casa e dos meus filhos, gostei da parte que fala da gaiola, eu vivia presa em uma gaiola, e mesmo depois de abri-la me sinto ainda presa nela, gostei muito do texto, espero a continuação, beijos

Parole disse...

O amor não é uma pessoa, é um sentimento, está dentro de você.

Concordo.Gostei muito do texto.Fico no aguardo da próxima parte.

Beijo

Estrela disse...

Oi Carlos!
Esse texto tocou-me profundamente.
Está excelente!
Beijos pra ti!

Arione Torres disse...

Oi Carlos, adorei o texto!
Te desejo uma ótima semana. Um abraço.

Maria selma disse...

...O grande erro das pessoas é centralizar numa outra a felicidade, como se a felicidade fosse diretamente condicionada a essa pessoa, se essa pessoa morre ou se vai, a vida acabA....
vIM VISITAR ESTE ESPAÇO E GOSTEI MUITO DE SEU TEXTO...
Convido para visitar meus dois blogs,um abraço.
http://selmaris.blogspot.com/
http://mariaselmadr.blogspot.com/

Sandra Botelho disse...

Amei a cronica...
Nunca devemos depositar nossa felicidade nos ombros de ninguem. Ela depende de nós. Temos que ser felizes por nós mesmos.Cada dia é um passo a mais para o fim, então porque findar antes do tempo a capaciade que temos em ser felizes?Esse é o nosso erro, esperar que nos façam felizes.E não correr em busca de nossa propria felicidade, independente do outro.
Muito bom volto pra ler mais. Bjos achocolatados

AFRICA EM POESIA disse...

CARLOS
Obrigada pelo mimo


Dia das avós é dia de Amor...


Hoje é dias dos avós.
Mas... amanhã...
Depois de amanhã...
E sempre...
É dia dos avós...
... Do mimo...
... Da ternura...
... Do carinho...
... Do estar...
... E de poder transmitir...
... A força...
... E a confiança...

Eu sou avó...
Todos os dias...
E é tão bom...
Poder sentir...
Essa confiança!...

LILI LARANJO

Maria da Graça Reis disse...

Olá,poeta!
Pode me passar o endereço do consultório do Dt.Carlos...
Brincadeirinha!!!
Estou esperando a segunda parte!
Gostei do conto.

Um abraço

Mariz disse...

Oi Carlos, eu acho q o grande erro das pessoas é centralizar a vida no outro, depender profundamente da outra pessoa, isso faz com q não se adapte a realidade qdo acontece um fato assim, o amor é saudável e não deve ser aprisionadao, é leve e deve ser deixado solto.

Adoro teu jeito de escrever, quer seja em poesia ou em conto, agora estou curiosa pela continuação.


beijos de boa noite!

✿ chica disse...

Muito legal,Carlos e adorei te ler e espero a continuação...abração,chica

Carla Fernanda disse...

Amei esta parte doutor Carlos: Os amores é como um pássaro. O coração deve ser ninho e não gaiola. Quando é ninho, o passarinho volta, mas quando é gaiola, jamais voltará, pois não estava feliz ali.
Continua quando?????
Beijos,
Carla

Hana disse...

Oi maravilhoso amigo, estou feliz por participar do divã do amor, de certa forma me empolguei em seu post, show mesmo, quero agradecer por estar sempre por perto e visitando meu cantinho da harmonia.
com carinho Hana

Dja disse...

ahhh parouuuu????
Parou pq?
Parou pq? rsss

Tão linda e verdadeira está história Dr Carlos, opissss meu poeta,rss a gente anda por aí e tantas são as pessoas que não sabem que a felicidade e o amor está dentro de nós, que não devemos depositar no outro esse fardo e compromisso de nos tornar feliz.
doleiiiii querido, esperando a continuação.

beijos meu poeta que doloooo, sucesso e carinho em vc.

Machado de Carlos disse...

O analista e o amor perdido. Uma delícia ler suas belas palavras. Aguardamos a continuação do conto!

Um abraço!

Sandra disse...

Dr Carlos
aguardo ansiosa a continuação (isso é que é deixar o pessoal suspenso, heheeh)
Muito verdadeiro este texto: a nossa felicidade depende antes de qualquer coisa de nós mesmos, da nossa atitude.
Gostei muito.
Beijo

Janaina Cruz disse...

Olá Carlos, acho que a maioria das mulheres já passou por uma história como essa, e parece-me que é preciso sofrer por algum momento para finalmente aprender como se ama.

Coração tem mesmo que ser ninho, e se não for aconchegante para algum passarinho, existem muitas outras aves no céu, que voemos nós...rs

Abraços

Everson Russo disse...

Acho que todos precisamos desse divã do amor...rs..rs...sempre estamos presos a um sentimento louco,,,e quando nos libertamos,,não sabemos o que fazer com a liberdade....abraços de bom dia pra ti meu amigo...


p.s. acredito que o que voce quer pegar lá na Maezinha Evanir, voce tenha que pedir o código pra ela e inserir no seu html, manda um email pra ela...

Vivian disse...

Bom dia,Carlos!!

Que bom!!mais uma história com continuação!!
O fim é sempre difícil, ainda mais quando achamos que tudo vai bem e o rompimento acontece de repente...
E tem muitas mulheres que ficam assim, eu particularmente, não entendo...ficar triste e introspectivo faz parte quando necessitamos rever e mudar muitas coisas(principalmente quando nos vemos obrigados a isso!), mas fazer um drama da vida...não é de mim...
Beijos!!

olhar disse...

puxa...quantas verdades...

beijos!

Bia

Anne Lieri disse...

O amor pode mesmo tirar o chão da gente...lindo seu conto e vou aguardar a sequencia!Estou adorando seu livro,só não terminei ainda pelos afazeres do dia a dia,pois não dá vontade de parar de ler!Depois escreverei sobre ele no Recanto!Bjs,

Anne Lieri disse...

O amor pode mesmo tirar o chão da gente...lindo seu conto e vou aguardar a sequencia!Estou adorando seu livro,só não terminei ainda pelos afazeres do dia a dia,pois não dá vontade de parar de ler!Depois escreverei sobre ele no Recanto!Bjs,

Eliete disse...

Carlos, quantas histórias estão acontencendo desta forma que você contou.Como está difícil amar e ser amado.bjs

Luciane Morais disse...

Opa! Mais uma história do Dr. Carlos...Hum! Qual será o final dessa história, o não tem fim.

Gostei dessas palavras - "O coração deve ser ninho e não gaiola. Quando é ninho, o passarinho volta, mas quando é gaiola, jamais voltará, pois não estava feliz ali".

Amigo! Obrigada pelo teu carinho.
Tenha um lindo dia!
Abraços
Lu

Sandra Botelho disse...

Passando pra desejar-te dias de luz...Bjos achocolatados

Solange Maia disse...

o coração deve ser ninho... e não gaiola !!!

Carlos, descreves exatamente a beleza do amor...a liberdade que ele precisa...

poeta querido...

beijo grande !!!

Marly Bastos in "palavreados ao vento" disse...

Carlos,
Passeei por seu blog e li com carinho os teus textos lindos e francos.
Esse conto realmente é lindo e é uma história de vida realmente.
"amor não é uma pessoa, é um sentimento, está dentro de você. Pode-se perder a pessoa, mas não a capacidade de amar. Guarde o amor no seu peito, como uma joia rara, até que alguém o mereça." Amei essa parte, achei muito centrada na realidade da gente.
Beijokas doces meu amigo querido.
Saudades, fica com Deus.

Júni0r ~ disse...

Escrito bem interessante. Voltarei para ler o próximo, muito grata pela visita.

Malu disse...

Carlos,


Esse seu Divã do Amor nos toca fundo . Maravilhoso texto!
Aguardando ansiosa a continuação ...



Bjos.

Severa Cabral(escritora) disse...

Meu menino beija-flor!
Um Beija-flor, jamais sobrevive
trancado em uma gaiola!..
Suas pequeninas asas,levam-no
a cruzar o céu, em busca de suas flores encantadas...
Texto gratificante pq tem muita gente que se indentifica com ele...
Bjssssssssssssssssss

Secreta disse...

Mas que belo conto este....
para já estou a adorar! O conselho do doutor Carlos foi o acertado...mas será que vai dar certo? Hm... vamos aguardar!
:)

ValeriaC disse...

Hum... estou gostando muito de ler...rssrs... achei super sábias as palavras dele(analista), muito verdadeiras.
Aguardo a continuação...bom dia amigo...beijos
Valéria

Everson Russo disse...

Um dia de paz e poesia pra ti meu amigo...abraços.

Mari disse...

Ola,
Deixo um carinho, um mimo, um cadinho de cor, tem selinho pra ti em: http://tintadotinteiro.blogspot.com/2011/07/amo-esse-blog.html

Abracos da Mari

RECANTO DOS AUTORES disse...

Oi Carlos!Hoje passei rapidinho só pra te dizer que fiz uma cronica sobre teu livro(maravilhoso!) e está no Recanto.
Segue o link:

http://recantodosautores.blogspot.com/2011/07/o-voo-do-beija-flor.html

Em breve,vou pedir uma entrevista,ok?
Muito sucesso!Parabéns pelo lindo voo do beija flor!

Vinicius Carvalho disse...

Olá meu amigo!

Muito bom ler vc, agora esperar é o problema..rs

Um abraço e uma ótima tarde!

Espero por vc no Alma1

Eliana disse...

Oi Carlos!
Amei o texto e Adorei teu jeito de escrever.
Espero a continuação.
Bjs

Paula Moraes disse...

Já tive um amor assim, que quando perdi pensei que nunca mais ia superar...Mas a vida segue seu rumo...Mesmo que a gente não queira.
Bjs

Desnuda disse...

Querido amigo,

Este analista fala! Ilustra maravilhosamente bem e como um amigo mesmo.... Vou ler a sequência agora(curiosa rsrs).

PS* Adorei esta: "UM DIA DE NARCISO' rsrs.


Beijos com carinho, Carlos.

Denise Santos disse...

olá passei pra desejar um lindo fim de semana...

Fique com Deus meu lindo...

Lindas palavras...Sucesso pra ti...

http://de-enise-e.blogspot.com