ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

quarta-feira, 11 de março de 2009

A ORIGEM DA POESIA ( leiam por favor)




"Falar da origem da poesia é o mesmo que falar da origem do homem: visto que sem poesia não poderia haver o homem. Claro que essa afirmação vai contra tudo o que estamos acostumados a ouvir e entender por poesia e por origem, e só poderia ser minimamente aceita se questionarmos antes duas posturas que estão no cerne da nossa maneira de pensar:
1) a compreensão evolutiva do espaço, do tempo e da história, e 2) a noção, tão insistentemente fundamentada pela funcionalidade do sistema de produção e consumo, de que a arte é uma forma de entretenimento, um meio de expressão, uma válvula de escape, enfim, uma fantasia sem importância feita para embelezar o mundo.
Essa visão, da instrumentalidade da poesia, da linguagem e da história nos faz entrever o mundo como uma série de processos separados, onde arte nada tem a ver com a realidade, distante da história, da física, da biologia, da economia e da política. Na verdade, todas as coisas do homem surgem a partir de um mesmo princípio, que é o agir do homem enquanto agir-se. Na Grécia antiga, havia um termo para isso: Poiesis. Princípio pelo qual se dava a criação. Acontece que a instrumentalidade da linguagem acarreta uma instrumentalidade do homem, e este perde o que existe de essencial no fazer, que é o criar, tornando-se, assim, mero repetidor em função do sistema.
E dentre todas as coisas que o homem age, a poesia é a mais importante. Pois a poesia não é uma coisa entre outras coisas. A poesia não é um mero jogo que utiliza a linguagem como matéria prima a ser trabalhada; muito pelo contrário, é a poesia que tornou e torna a linguagem possível, sempre. A poesia é a linguagem primogênita de um povo, disse Heidegger. A poesia é o primeiro e o mais fundamental testemunho do homem, atestação de sua presença e de seu pertencimento à Terra. É assim que ele se manifesta enquanto linguagem e, então, enquanto homem.
Basta lembrar que os primeiros físicos do ocidente eram sobretudos poetas. Na verdade nem havia diferença entre ser poeta, físico, filósofo, matemático, pois em todas essas coisas havia a dimensão do sagrado. Estes eram homens espantados diante da complexidade da physis que se erguia com seus grandes milagres e tempestades. O mesmo espanto que, milhares de anos depois, acompanha o cientista de hoje diante da imprevisibilidade das partículas e da grandiosidade do cosmos. “O sol é do tamanho de um pé humano” disse Heráclito, numa afirmação que, antes de ser científica é poética e antes de ser poética é sagrada. Não é uma afirmação ingênua, como poderiam pensar alguns. Heráclito sabia da distância do sol, mas sabia também que o sol era sim, como ainda hoje é, a medida do homem. Esse sol adquiria uma dimensão poeticamente moldável como o horizonte de Manuel de Barros, onde se enfiam pregos, ou a florflamejante de Sousândrade. É a dimensão onde as coisas são e deixam de ser.
A nós, homens modernos, depois do cogito cartesiano, depois da metafísica kantiana, depois que o homem expulsou os deuses de seu convívio e se tornou seu próprio deus através da ciência em detrimento da poesia, isso tudo parece distante e absurdo. Não entendemos que o conhecimento científico é uma interpretação do mundo tão “fantástica” e falha quanto qualquer outra. A ciência explica que a lua é um satélite. Mas esta não é a lua, é uma das facetas da lua. A lua é isso e muito mais. A lua é a lua de Lin Sao, que pende madura na ponta de um galho, é a lua de São Jorge, é Selene, é a lua dos mitos, todas diferentes e a mesma. Os próprios cientistas hoje se dão conta do absurdo que é a realidade. Ilya Prigogine, prêmio Nobel de física, afirmou ser a realidade somente uma das realizações do possível.
O absurdo da poesia não é nada mais que o absurdo do real. A poesia e a arte não surgiram num momento específico, mas surgem a cada instante e com ela o homem, pois nisso consiste a cultura, a constante atualização do homem como homem. Pois o homem só pode ser sendo, homem, num constante processo de realização poética. Nos percebemos humanos e mortais a cada ato, e é disso que vem a poesia. Por isso, ao contrário da visão linear do senso comum, a arte não é um jogo subjetivo de gênios excêntricos. Sua essência sagrada está na física moderna e clássica, está nas habitações, na matemática, em todos nós. A poesia é a linguagem primordial de todo espanto e está na essência de tudo que produzimos, enquanto ato criador não alienado. A poesia é o que permite o real, ainda que hoje o real a oculte, entulhado na rotina dos sistemas".

MÁRCIO-ANDRÉ é poeta, contista e músico, autor dos livros Movimento Perpétuo e Chialteras e membro do grupo Arranjos para Assobio, de texturas poéticas realidades experimentais (http://arranjos.confrariadovento.com). Trabalha na tradução de poesia de Arnold Flemming, Serge Pey, Ghérasim Luca e Bernard Heidsieck e edita as revistas literárias Confraria e Improvável (www.improvavel.com). Suas páginas são www.marcioandre.com e http://marcioandre.confrariadovento.com
//////////
Como dia 14 de março é o DIA NACIONAL DA POESIA, resolvi mais uma vez procurar na internet a origem dessa arte fantástica.Digo mais uma vez, porque já tentei tantas e nunca encontrei nada de muito concreto, embora já pensasse como o autor do texto acima, MÁRCIO ANDRÉ. Não há uma data ou era específica para se definir a origem dela. O universo surgiu e ela surgiu simultaneamente. Ela É e pronto. Está no ar desde que o ar existe. Eu já imaginava também que ela se confunde, aliás, se mistura à mitologia greco-romana. Sim, as lendas de Ícaro, Medusa, Odin, Narciso, Fênix e outras tantas são verdadeiras narrativas poéticas. A própria origem do universo, disputada pela Bíblia e pela ciência. Gênesis tem um texto poético. "No princípio era o VERBO... o espírito de Deus pairava sobre as águas... e Deus disse: Faça-se a luz. E a luz se fez...". Não é lindo tudo isso? Até mesmo a teoria da explosão do BIG BANG é altamente poética. Eu até tenho uma terceira possível teoria. E se o BIG BANG, foi detonado pelo próprio Deus? Mas isso é assunto para cientistas e líderes religiosos. Voltando... pensem numa grande explosão definindo a origem de tudo e de todos os seres. Imaginem o esplendor, o brilho dessa explosão. Quantos megatons! Poesia pura! Sim, pois teve vezes em que escrevi poemas e textos que senti um BIG BANG dentro de mim. Fiquei em êxtase.
Pedi lá em cima que lessem tudo, porque as pessoas não têm muita disposição de ler algo muito longo, até entendo, eu também não muito. Mas não pedi pelo meu texto, mas sim pelo autor acima, pois foi o que até hoje se aproximou sobre o que penso da poesia. "Aproximou" apenas, pois eu teria exagerado mais que ele. Porque em poesia gosto mesmo de ser exagerado. É o que Deus me deu de melhor e me sinto muito orgulhoso de escrever coisas e tocar no coração das pessoas. Todos os dias eu digo a mim mesmo: "Que bacana! Sou poeta! Sou feliz!". Dia 14 de março é o DIA NACIONAL DA POESIA e estou deveras emocionado. O dia 14 de março foi escolhido para homenagear a Castro Alves, um dos grandes entre tantos ícones da rica literatura brasileira. O dia 15 de março, foi escolhido por Deus para eu nascer. Conspiração poética com certeza. Que bom... eu estava em Gênesis, eu estava no Big Bang. Eu estava naquela corrida de milhões de espermatozóides e fui contemplado a vir ao mundo para deixar a minha impressão digital. Sábado, estaremos, eu e alguns poetas da cidade, fazendo uma blitz literária, distribuindo poemas às pessoas nos semáforos, padarias e restaurantes. Uma semana pra lá de poética. Não é motivo para estar feliz?
(imagens pela ordem... pequenaspoesias.com.br e globo.com )

7 comentários:

Salamandra disse...

Falar de poesia, escrever poesia, ouvir poesia, ler poesia, é a melhor maneira ou uma das maneiras de entrar em contacto com o Divino que habita em cada um de nós.
Gostei deste post, muita informação, parabéns
Um bom dia para si.
Salamandra

Sonia Schmorantz disse...

Eu não sabia que havia um dia para o poeta, mas sua matéria sobre a poesia é muito esclarecedora e bem feita. A poesia está na vida, que se desdobra em encontros e desencontros, por isso o homem a canta desde que existe.
um abraço

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Assim como o oceano só é belo com o luar
Assim como a canção só tem razão se cantar
Assim como uma nuvem só acontece se chover
Assim como o poeta só é grande se sofrer
Assim como viver sem ter amor não é viver

(Vinícius De Moraes/tom Jobim)

Desejo a voce um resto de semana maravilhoso
Abraços. Eduardo Poisl

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

"O absurdo da poesia não é nada mais que o absurdo do real."

Você além de escrever lindamente, passa uma energia absurdamente encantadora.

Maravilhoso!

Maravilhosa quinta.

=]

Rebeca

-

DOCETERE disse...

Queria ser beija-flor
com asas pequeninas,
parada no voar...
e suave bicadas
em cada flor dar
como que a beijar,
ao sugar seu néctar.


Passando para outra flor
de beleza mais infinda...
Num ritual permanente.


E doce... docemente,
espalhar a felicidade.
em cada novo lugar!
.

DOCETERE

Grandes Talentos de Coroatá-MA - Antonielson Sousa disse...

Olá Carlos, sou o Antonielson Sousa, você outro dia publicou anexado em seu comentário um lindo texto...
Olha muito obrigado...e parabens pelo seu tambem...
add meu msn para trocarmos idéias...: anttonyy_10@hotmail.com

Estou tambem com um otimo blog que se intitula como TALENTOS DE COROATÁ... além de boas reportagens tambem levo atraves dele, os grandes talentos esquecidos na minha amada cidade...

abraços...ah... o endereço do blog é este: talentosdecoroata.blogspot.com

abraços e sucesso...

O mar me encanta completamente... disse...

Escrever é como respirar, Carlos.
E é a melhor forma de escancarar sentimentos.
Bem, vim te ler e dizer “Boa noite”.
E quero dizer q não sei como foi seu dia.
Quais as decisões q vc precisou tomar, e quais foram adiadas.
Mas olha, todo dia é uma chance de mudar sua vida pro resto da vida...
p melhor ou não.
Pensa nisso ta ?
Dorme bem, q Papai do céu lhe abençoe!!
Meu carinho.