ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

QUE MALDADE!


O sapo está tranquilo lá no seu habitat. Despreocupado comendo bichinhos, na beira da lagoa. De vez em quando um coaxar desinteressado, só de rotina mesmo. Porém ele não sabe que esse silêncio inquietante guarda um perigo. A serpente sorrateira, espreita entre as folhagens. Maliciosa e delicada ela evolui entre a plantação, até ficar à meia distância dele.
No primeiro instante ele se assusta, mas mantém uma aparente calma porque ela parece estar longe. Ele pensa que dá tempo de correr. E nessa expectativa de vigiar os movimentos dela, eles se fitam diretamente nos olhos. Ele tenta desviar o olhar... e até consegue. Mas uma tentação, uma atração maior faz com que olhe de novo. Essa indecisão, esse vacilo se repete várias vezes. Olha e não olha. Olha de novo... e vai ficando... ficando... ligado... hipnotizado... magnetizado. O olhar da cobra ganha mais força, mais energia, mais poder sobre a vítima. Com os olhos ela fala... veeeem ... veeeem... veeeem. O sapo não percebe que dá um passo para trás e dois para a frente. Ele não quer ir... mas vai... aos poucos... cair na armadilha sedutora. Duas lágrimas caem de seus olhos pois começa a sentir que não tem mais jeito. Que vontade de voltar! Mas como, se agora não é mais dono de si? E continua evoluindo para a tragédia. Um passo para trás e dois para a frente. O olhar da cobra toma traços quase diabólicos, rindo sarcasticamente da tola vítima. Veeem... veeem. De repente... craaau!!! O sapo é engolido. Lutou, mas não conseguiu.
É mais ou menos desse jeito quando a gente não quer amar uma pessoa... e acaba caindo.

7 comentários:

Sonia Schmorantz disse...

Estranha e engraçada comparação, mas acho que tens razão...de certa forma esperneamos para fugir de algo que possa nos fazer sofrer, mas ao mesmo tempo somos hipnotizados por um olhar que seduz e lá se vai nossos cuidados...
Um abraço

O Profeta disse...

A terra dorme em sobressalto
Um grito brota da alma
Danço com esta bruma de Inverno
Rodopia em meu peito uma estranha calma

Águas despertas, Mar bravio
Cai sobre mim um nevoeiro perverso
Uma onda estende seu manto de espuma
Açoita as pedras adiando o regresso


Bom fim de semana


Abraço

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Fazer amor é andar por
Caminhos da alma
Com o toque de um beijo
Sem pressa...
Sentir o roçar da mão no ombro
Daquele que caminha ao lado,
Acordar sempre com um
Eu te amo,
Renovado e sincero...
Ver juntos o por do sol,
Em silencio ler um livro
Numa velha poltrona..
Fazer amor é pisar na eternidade,
Fazer estrelas e sentir
O perfume das manhãs,
Sorrisos de sol,
Olhos de mar...
Fazer amor é realizar sonhos,
Viver na consistência do céu...

Sônia Schmorantz

Só passei para te desejar um lindo final de semana
Abraços

MENSAGENS AO VENTO disse...

_____________________________

Bela analogia você criou aqui!

É verdade, Carlos, muitas vezes, somos hipnotizados pelos fatos e quando percebemos, não tem mais volta...

Beijos no coração e um final de semana feliz!!!

_________________________________

Parapeito disse...

:))sapo á espera do beijo da bela princesa ...
Aiiii a atracção do abismo :)

Mariana disse...

Vc quer ser sapo a vida toda.
Um belo sapo, por sinal...rs....

Vim te desejar um lindo domingo, beijo

Sonia Schmorantz disse...

A palavra mágica
dorme na sombra
de um livro raro.
Como desencantá-la?
É a senha da vida
a senha do mundo.
Vou procurá-la.
Vou procurá-la a vida inteira
no mundo todo.
Se tarda o encontro, se não a encontro,
não desanimo,
procuro sempre.
Procuro sempre, e minha procura
ficará sendo
minha palavra.

Carlos Drummond

Lindo domingo!
abraços