ESCREVER É DIVINO!

ESCREVER É DIVINO!
BONS TEMPOS EM QUE A GENTE PODIA VOAR. ERA MUITO BOM SER PASSARINHO.

CAMINHOS DE UM POETA

CAMINHOS DE UM POETA
Como é bom, rejuvenescedor e incentivador para o poeta, poder olhar para trás e ver toda a sua caminhada literária, lembrar das dificuldades, dos incentivos e da falta deles, da solidão de ser poeta e do diferencial que é ser poeta. Olhar para trás e ver tudo que semeou, ver uma estrada florida de poesias, e dizer: VALEU A PENA! O poeta vai vivendo, ponteando, oscilando, e nem se dá conta da bela estrada que escreveu. Talvez ele não tenha tempo porque o horizonte o chama, e o seu norte é... escrever... escrever... escrever. Olho hoje para trás... não foi fácil, mas também ninguém disse que seria. E eu sabia que não seria, ser poeta não é fácil, embora seja lindo. Contemplo a estrada que eu fiz, e digo com orgulho quase narcisista: Puxa... como é linda minha estrada!

quinta-feira, 23 de maio de 2019

MINHA FLOR MORENA!


Andando numa floresta, avistei uma clareira, parei para beber água, e descansar às margens de um lago bonito. Sede saciada, sentado num torrão, clima ameno, silêncio total à minha volta. É bom estar com o silêncio. Tratei o silêncio nessa expressão “com o silêncio”, como se ele fosse uma pessoa, pois, para mim, às vezes, o silêncio é uma grande companhia, a gente anda no meio de tanto barulho infrutífero, invasivo, desnecessário, destrutivo; de vez em quando a gente precisa frear um pouco. No meio à calmaria ouvi um “Psiuuu”. Tive um breve susto, afinal eu pensava estar sozinho, mas foi um chamado tão suave que nem assustou tanto assim. E repetiu enquanto eu olhava ao redor procurando. Com mais calma, avistei uma linda Flor Morena pendendo de um lado para outro como se fosse balançando ao vento, mas não havia vento, ela estava acenando para mim. Pensei: “Estou maluco ou será que essa flor falou mesmo comigo?”. Cheguei mais perto, sentei-me ao lado dela, admirando-a, afaguei suas pétalas, e ouvi: “Hummmm... que carinho bom, seu moço”. Ainda perplexo com a grata surpresa, perguntei: “Uma flor que fala?”. Ela respondeu: “Só para os sensíveis. Outros já estiveram aqui, mas não me ouviram. Sem contar os medos que passei de ser arrancada”. Respondi acariciando: “Como eu poderia arrancar tamanha beleza da natureza, se é linda assim, plantada, perfumada, com pétalas cheias de vida? Flor que se arranca, morre, prefiro contemplar todos os dias a perder para sempre por causa de um prazer momentâneo e egoísta”. E ela: “Envaidecida com teu carinho. Bem se nota que sabes proteger uma flor”. Dito isso, senti seu perfume ainda mais intenso, não entrou somente pelas minhas narinas, parecia envolver todo o meu corpo. Ela disse: “Sente esse perfume como gratidão e carinho recíproco. Estou te abraçando”. De olhos fechados, inebriado, falei: “Sinto-me enamorado”. Ela correspondeu: “Da mesma forma eu. A partir de hoje, és o meu amor”. Dei beijinhos em suas pétalas, senti os beijinhos dela em meu rosto também. “Estarei aqui todos os dias, minha Flor Morena”. Ao que ela respondeu: “Estarei aqui à espera de ti, com todo o meu perfume, com minhas pétalas ávidas por teu toque”. Desde então, todos os dias vou ao lago, namoro com a Flor, e volto para casa... e durmo com seu cheiro no meu cobertor, na certeza de que deixo com ela um pouco de minha poesia também.
//////////////////////////////////////////////////////

=
( imagem google )
//////

18 comentários:

chica disse...

Romantismo tão lindo em teu texto! Adorei,Carlos! abração,chica

Nádia Santos disse...

Certamente se eu encontrasse essa flor íamos nos tornar muito amigas viu. Que lindo! Me vi nesse lugar. Bjusss poeta

PAULO TAMBURRO. disse...

CARLOS,

SINTO MUIO A SUA SUA FALTA NOS MEUS BLOGUES E SEMPRE ACHO QUE A CULPA SEJA DO FACEBOOK QUE, ALIÁS EU NÃO TENHO.
TALVEZ SEJA SOMENTE UMA DESCULPA DA MINHA PARTE, PARA ESCONDER A BAIXA QUALIDADE DOS MEUS TEXTOS.
UM ABRAÇÃO CARIOCA.

Reflexos Espelhando Espalhando Amig disse...

Carlos,
Saudade de você.
Concordo com o Paulo
e eu tambem não tenho face.
Mas sou eu que ando enrolada
administrando mal
meu tempo.
Bjins
CatiahoAlc.

© Piedade Araújo Sol disse...

um texto muito terno e romântico.
beijinhos
:)

Maria da Graça Reis disse...

Para conservar uma flor é preciso regá-la.Que bom que vc faz isso.bjs

lua singular disse...

Oi Carlos, sumiu por que?
Sempre muito criativo
Adorei seu amor pela rosa!!
Eu estou bem na medida do possível
Beijos
Lua Singular

rosa-branca disse...

Adorei o texto e adorei saber que sabe tratar bem da sua flor. Sempre ouvi dizer, que flor que não é cuidada, acaba por murchar. Bom fim de semana e beijos com carinho

Ana Bailune disse...

Sim, as flores falam. a natureza fala. Tudo sente!
Maravilhoso!

CÉU disse...

Oi, Carlos!

Grata por sua visita e comentário. Há qto tempo a gente não se "falava"!
É bem assim. As flores se podem personificar e no seu texto isso aconteceu.
Que esse amor e admiração durem pra sempre.

Beijos e bom fim de semana.

Janita disse...

Gostei muito deste romance entre o caminhante e a Flor Morena.

Como 'cantou' Junqueiro:

«Moreno era Cristo
Vê lá se depois disto
Ainda tens pena
que as mais raparigas
te chamem Morena!»

Uma delícia vir ler os teus inspirados textos.

Um abraço.

Toninho disse...

Grande Carlinho poeta da sensibilidade acelerada.
Gosto desta prosa em meio às reflexões cabíveis.
Somos todos loucos e nada melhor que este silencio,
este se entregar nesta paz e nele mergulhar profundo.
Bom poder se levar pelas mãos da paz e junto com o silencio
buscar entender nossa travessia onde podemos tudo amigo, conversar
com as flores, voar com os pirilampos, sentar numa lua cheia.
Bom lhe ver com suas belas artes da literatura.
Meu abraço e esteja bem na sua luta amigo.
Um bom e feliz domingo.
Saudações celeste.

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Obrigado pelo carinho de todos. Vocês são 1.000!

Lindalva disse...

Tocou profundamente. Uma história de amor sem fim! Olá meu amigo estou voltando devagarzinho as ondas. Foi necessário este tempo após minha Mãezinha viajar para um lindo jardim no Céu. Mas vida que segue e blogar sempre foi uma terapia para mim, não será como dantes, porque nada é eterno, já é um começo. Assim te convido a passar por minha página e dá um passeio e querendo participar de uma brincadeira que resgatei do meu baú para esta volta. Beijos no coração, luz e bem!

Luconi disse...

Ah Carlos! Que doce conto! Apaixonante, lindo o que escreveu. Adorei te ver em meu blog! E que está postando aqui, esta é tua linda casinha na net, aqui é só você. Gosto do face, mas ele nos tira do nosso foco, muita poesia, textos bons, mas em compensação tanta porcaria no meio, aqui não é teu é paz é o ninho do menino passarinho. bjos Luconi

Roselia Bezerra disse...

Bom dia de paz, Carlos!
Lindo demais!
Ainda ha pouco umas flores me deram bom dia e, noutro momento mais proximo, as aguas azuis cristalinas me deram um osculo da paz com tanta luz que passeio iluminada.
Sao carinhos aos sensiveis e fazem toda diferenca.
Vindo de um poeta como voce so se espera tal sensibilidade.
Parabens e cuide de sua Rosa com carinho.
Tenha dias abencoados!
Abracos fraternos de paz e bem

Arte & Emoções disse...

Belo e profundo texto Carlos! Demonstra o grande romântico que és. Parabéns!

Abraços e uma ótima semana para ti e para os teus.

Furtado

Patrícia Pinna disse...

Boa noite, Carlos. Gostei imensamente do teu conto. O romantismo aflorado e sensível.
Cada vez está mais raro encontrar pessoas que parem e ouçam o silêncio necessário para si mesmos.
Parabéns.
Beijos na alma.